Longas

A ‘realidade’ segundo Vince Staples

Summertime ’06 é um dos mais impressionantes discos hip hop do ano. O retrato de um Verão que é também a biografia de vida de um rapper, ex-crip e filho das ruas dos súburbios de Los Angeles. Vince Staples levou a Londres a realidade do bairro e da América. E aos Rimas e Batidas traçou um quadro das culturas que o rodeiam.

Ler +

Skinner cumpriu e P-Money revelou-se em mais uma noite C.R.E.A.M.

Discoteca Lux encheu para se divertir com o DJ set do ex-líder dos The Streets, mas foi o rapper de Londres que mais impressionou.

Ler +

DJ Ride: “Sinto que estou a inspirar uma nova geração”

Oito anos depois da estreia com Turntable Food, DJ Ride lança o seu quarto disco de originais, From Scratch. O momento certo para Tomás Oliveira rever o passado e o presente no seu percurso enquanto produtor e multi-premiado scratcher e turntablist. Das Caldas da Rainha a um dos nomes maiores da cultura electrónica urbana em Portugal.

Ler +

Flamingods: Moon, o Bahrain e a busca pela cultura idílica

Em Agosto, o colectivo do Golfo Pérsico editou um disco de remisturas na portuense Lovers & Lollypops e por mais de uma vez actuou em Portugal. Em entrevista ao Rimas e Batidas, Kamal Rasool, um dos elementos da banda, aborda a necessidade de se reinventarem, os desafios de produzir à distância e o amor a Portugal.

Ler +

DJ Damage: um dançarino desastrado no Plano B do Porto

É já no dia 6 que DJ Damage, um terço dos franceses Jazz Liberatorz, vem ao Porto mostrar a sua classe boom bap.

Ler +

[RBTV] Em estúdio com Balla: Isto é “synth-porn”

Por alturas do lançamento do sexto disco do projecto de Armando Teixeira, Arqueologia, o Rimas e Batidas visitou a sala de trabalho do músico e produtor e ficou a conhecer melhor a sua saudável obsessão pelos sintetizadores. Mas, atenção: não se trata da visita a um museu. Arqueologia também não é um desfile de máquinas electrónicas de música: é antes o saber aproveitar os muitos recursos disponíveis para criar canções e ambientes, tentando devolver alguma alma à música electrónica.

Ler +

Cálculo: “A Zul é um álbum feliz, que traz boas vibrações”

O rapper e produtor nascido em Barcelos, e que mora em Londres, estreia-se em disco com A ZUL, um álbum honesto, directamente do coração para as batidas.

Ler +

Postais de Londres: Trikk

Ainda que natural do Porto, Trikk cresceu como músico na cidade de Londres. Entre os produtores portugueses que residem na capital britânica, faz parte do grupo que tem dos mais vastos portfolios de releases em editoras internacionais. Bruno Deodato em discurso directo a encerrar a presente série de postais londrinos no Rimas e Batidas.

Ler +

Bruxas, fantasmas e possessões electrónicas: uma cartografia pelas BSO de terror

Aproveitando a época de halloween, Bruno Silva mapeia livremente um possível paradeiro da electrónica no epicentro do terror actual.

Ler +

Postais de Londres: IVVVO

Saiu do Porto para Londres porque sempre cresceu “a pensar em globalidade”. Já lá vão três anos, e desde então é uma das referências entre os produtores portugueses de música electrónica no estrangeiro. E há surpresas – um novo álbum – para breve. IVVVO a assinar mais um postal londrino.

Ler +