Guia de Festivais ReB: todos os concertos que não podes perder nos próximos meses

[ILUSTRAÇÃO] Abel Justo

Tudo o que é demais… Neste caso não cansa, mas certamente que traz muitas indecisões no que toca a que rumo seguir. O dinheiro não estica e a distância por vezes complica. Nada que não se resolva com um momento de reflexão para apurar as prioridades e colocar os pesos na balança.

Este é mais um ano em cheio para os festivaleiros, dada a quantidade (e qualidade) dos artistas que vão marcar presença em diversos locais, de norte a sul, de Portugal. Nacionais ou internacionais. Há nomes e sonoridades para todos os gostos. Neste guia vão encontrar um bom número de recomendações para que não vos falte música durante os próximos meses.

 


[NOS ALIVE]

O festival do Passeio Marítimo de Algés costuma ser um dos grandes acontecimentos a nível nacional no que a concertos diz respeito. Reparem bem:

No dia 6 de Julho, vamos finalmente ter a oportunidade de ouvir Starboy ao vivo. The Weeknd é uma das maiores vedetas da pop dos últimos anos e vem à capital para apresentar o seu mais recente disco. Os The XX quebraram um jejum de 4 anos ao editar I See You, álbum que também vai ter destaque no NOS Alive. No Palco Heineken, não menos importante, destacam-se as passagens de Bonobo e Rhye. Com Riot, Rastronaut, Izem, Dotorado Pro e Kking Kong a jogar em casa.

A 7 de Julho, há Parov Stelar e Floating Points entre os nomes internacionais mais sonantes. Fábia Maia sobe ao Palco Coreto e pode ser uma boa oportunidade para ouvirmos alguns dos temas que prepara para o seu álbum de estreia. Bandido$ e Ramos vs. Mitsuhirato são algumas das presenças confirmadas para o NOS Clubbing.

O festival conclui-se no dia 8 e, para terminar em grande, vamos poder ouvir os The Avalanches que no ano passado terminaram um silencio editorial de 16 anos. Depois do estonteante Since I Left You, o grupo deu uma boa resposta no ano passado ao editar Wildflower. Peaches é também outro dos nomes internacionais obrigatórios para terminar o ciclo de 2017 do NOS Alive. Scúru Fitchádu, Ghost Wavvves, GPU Panic, Mike El Nite, Mr. Herbert Quain, Switchdance, Trikk e a The Discotexas Band mostram que o nacional também é bom.

 


[SUPER BOCK SUPER ROCK]

Este será provavelmente o acontecimento mais aguardado por parte dos hip hop heads em Portugal durante este Verão. Throes + The Shine e Xinobi + Moullinex são as atracções de maior impacto no dia 13 de Julho, no que a produto nacional diz respeito. Com as memórias de Prince a serem novamente evocadas pelo festival que volta a montar os palcos no Parque das Nações. Os The New Power Generation vêm a Lisboa acompanhados de Bilal.

Mas reparem bem na programação para dia 14: Future fez história ao conquistar o primeiro lugar das tabelas músicas com dois álbuns diferentes no espaço de duas semanas. Se querem ouvir “Mask Off” ao vivo em estreia absoluta no nosso país, esta é a melhor oportunidade para fazê-lo. E o que dizer de Pusha T? Um dos nomes mais fortes a carregar o som do hip hop nos últimos anos que lidera agora a equipa da GOOD Music, fundada por Kanye West. Talvez tenhamos a sorte de ouvir algum tema inédito de King Push, o seu tão aguardado álbum cuja edição está prevista para este ano. Darkest Before Dawn: The Prelude, esse certamente não nos irá faltar. A viajante Akua Naru traz consigo o estandarte do boom bap aliado à mestria do liricismo profundo. The Miner’s Canaru foi o seu último lançamento, conotado por uma sonoridade fresca e aliciante que promete encantar o público nacional. O projecto Língua Franca de Capicua, Valete, Emicida e Rael é também um grande trunfo do Super Bock Super Rock. NBC, Slow J, Beatbombers, Celeste/Mariposa, Keso, Octa Push e Rocky Marsiano & Meu Kamba Sound também trazem sons de peso na bagagem e vão mostrar que o talento nacional pode e deve continuar a ser alvo de aposta por parte das grandes produtoras de eventos.

O certame encerra a 15 de Julho. A grande figura desse dia é Fatboy Slim, mítico DJ e produtor britânico conhecido pela energia que emprega nos seus maravilhosos sets ao vivo. Tem no seu historial uma mão cheia de poderosos singles aos quais não poderemos negar um pé de dança. Sensible Soccers e Marquis Hawkes têm também uma palavra a dizer no SBSR, com Monki e Magazino a fechar as contas no dia em que mais se celebra a cultura da electrónica.

O primeiro dia do festival já se encontra esgotado, restando os dias 14 e 15 de Julho para aqueles que ainda vão comprar os bilhetes. Cada ingresso diário tem o valor de 55 euros.

 


[MEO MARÉS VIVAS]

Com um cartaz que prima pela diversidade, Mundo Segundo é o grande nome que se destaca no cartaz do MEO Marés Vivas. Uma oportunidade para o rapper do colectivo Dealema actuar em casa em época de festivais, depois de ter editado Sempre Grato na recta final de 2016. No início deste ano deu uma entrevista ao Rimas e Batidas onde revela alguns dos seus planos para 2017.

Kappa Jotta é o outro rapper em destaque a subir a subir a Vila Nova de Gaia. O seu segundo álbum deverá estar para breve, já que os 3 primeiros singles já foram revelados. Nesta nova jornada, o MC da Linha C rima em produções de Reis, Lhast e Slow J.

O MEO Marés Vivas decorre entre 14 e 16 de Julho e os bilhetes já foram todos vendidos.

 


[MILHÕES DE FESTA]

The Gaslamp Killer foi o primeiro grande motivo a colocar este ano o festival de Barcelos no centro de todas as atenções. Visto enquanto um dos grandes nomes da beat scene de Los Angeles, o DJ e produtor editou Instrumentalepathy no ano passado, depois de uma grande estreia pela Brainfeeder. Será certamente um dos momentos altos do festival que leva a música até ao Parque Fluvial e às Piscinas Municipais de Barcelos.

Mas a lista de artistas presentes na edição de 2017 do Milhões de Festa é tudo menos curta, e há um grande número de trunfos em cima da mesa: Hieroglyphic Being, Powell, Moor Mother, Yves Tumor, Yussef Dayes, Bitchin Bajas, Rizan Said ou Sly & The Family Drone estão entre os artistas internacionais em destaque.

Também há talento português para adoçar ainda mais o certame. Podem contar com as presenças de Switchdance, GPU Panic, MMMOOONNNOOO e Joaquim Albergaria, O Bom, o Mau e o Azevedo, Supa & MVRIA ou Ghost Wavvves e Mike El Nite representam as cores nacionais no festival de Barcelos.

O Milhões de Festa decorre entre 20 e 23 de Julho e os bilhetes estão à venda por 60 euros.

 


[MEO SUDOESTE]

A Zambujeira do Mar é já um local de culto para os festivaleiros do nosso país. E este ano o MEO Sudoeste volta a somar bons nomes ao seu cartaz, numa combinação entre artistas internacionais de renome e muitos talentos formados dentro das nossas fronteiras.

Já considerado enquanto um dos melhores rappers de todos os tempos, Lil Wayne é ainda dono de uma discografia invejável. São já cerca de 30 álbuns e mixtapes que Dwayne Carter editou a solo, fazendo-se acompanhar também das colaborações mais quentes que o panorama do hip hop lhe permite. Sorry 4 The Wait 2 é o mais recente LP, que saiu em 2015. Ultimamente temo-lo visto ao lado de DJ Khaled, Drake ou Nicki Minaj, por exemplo.

The Divine Feminine foi o quarto álbum a entrar na discografia de Mac Miller, rapper de apenas 25 anos que tem também conhecido o doce sabor da fama e reconhecimento. No projecto que editou no ano passado conta com colaborações de Kendrick Lamar ou Anderson .Paak.

Os Jamiroquai regressaram este ano com Automation, projecto que os leva a apresentarem-se na Zambujeira do Mar. A banda britânica tem um estilo único, tanto na forma energética como se apresenta ao vivo como também pelo cunho singular dos seus temas, onde fundem a música pop às tendências do funk e do acid jazz.

As razões para visitar o MEO Sudoeste são muitas, até pelo grande leque de talento nacional que mostra urgência em se expressar nos grandes palcos dos festivais em Portugal. Richie Campbell, Mishlawi, Piruka, ProfJam e a sua Think Music, Supa Squad, Wet Bed Gang, Bispo, DJ Big, Stereossauro, Valas, GROGNation ou Kappa Jotta são apenas alguns dos adoçantes para o cartaz deste ano.

Cada dia do festival da Zambujeira do Mar tem um custo de 48€ à entrada. Os passes para ingressar na aventura de 1 a 5 de Agosto custam 105 euros.

 


[NEOPOP]

Liguem-se à corrente. Haverá muita electricidade em Viana do Castelo, propicia a uma elevada dose de descargas de batidas aceleradas. E quem melhor para fazer a ponte entre o passado e o presente da música electrónica? Os Kraftwerk regressam a Portugal para um espectáculo que será, no mínimo, imperdível. Em palco prometem celebrar uma obra extensa que têm vindo a fabricar ao longo de quase 5 décadas de actividade.

Rødhåd, Moderat, Voiski, Dax J, Maceo Plex, Loco Dice, DJ Bone, Planetary Assault Systems, Svreca, Dixon ou Paco Osuna vão ajudar a ditar as regras na pista de dança, num festival que se estende de 3 a 5 de Agosto. O Neopop é um acontecimento obrigatório para os amantes da música electrónica a altas rotações.

Os passes para os três dias custam 75 euros, sendo que para apenas um dia de festival é cobrado o valor de 40 euros.

 


[O SOL DA CAPARICA]

Vale a pena dar um salto à Margem Sul para visitar um festival que se faz alinhar exclusivamente por músicos ligados a Portugal ou à expressão na língua portuguesa. De 10 a 13 de Agosto, a música dá à costa e O Sol da Caparica apresenta um cartaz aliciante.

Regula é um nome incontornável no hip hop nacional e tem um país inteiro à espera de o ver lançar Ouro Sobre Azul, o tão aguardado quinto álbum da carreira do rapper do Catujal. É com vários singles que vamos podendo imaginar a como soa este novo capítulo na sua já longa jornada, temas que se vão tornando em hits e que colocam Regula lado-a-lado com alguns dos melhores MCs ou produtores do hip hop português.

Também Carlão tem estado em torno dos temas avulso que antecipam o seu próximo projecto. Talvez hajam surpresas para o concerto que se prepara para dar na Costa da Caparica mas “Viver Para Sempre” e “Agulha no Palheiro” certamente que farão parte do alinhamento do veterano rapper de Almada, que jogará bem perto de casa.

Na apresentação do festival, Bispo prometia novidades até à data de subir ao palco. Elas concretizaram-se e o rapper de Mem Martins é agora um artista da Sony Music e editou ainda o primeiro EP com Fumaxa, o DJ e produtor que o acompanha na estrada de norte a sul do país.

Por outro lado, os Dealema puxam pela memória e vão em busca de um feeling mais nostálgico. “Podem esperar um concerto carregado de clássicos”, revelou Mundo ao Rimas e Batidas.

Criolo, Holly Hood, Mishlawi ou os Mão Verde, projecto de Capicua com Pedro Geraldes, são outras das atracções d’O Sol da Caparica.

Os bilhetes diários custam 15€, os passes 35€. Há ainda vários pacotes e preços especiais para os munícipes de Almada, que podem todos ser consultados no site do festival.

 


[BONS SONS]

Há muito boas razões para visitarem Tomar em Agosto. Na aldeia de Cem Soldos espera-vos um cartaz recheado que aponta para os dias 11, 12, 13 e 14. Os Orelha Negra são sem dúvida o grande trunfo do festival Bons Sons, e sobem ao palco principal para apresentar o antecipado novo álbum que tarda em chegar às lojas. A Sam The Kid, DJ Cruzfader, Fred Ferreira, João Gomes e Francisco Rebelo juntam-se ainda ao cartaz nomes como os Throes + The Shine, Sampladélicos, Groove Salvation ou Beatdizorder.

A Principe Discos também terá um lugar de destaque em Tomar, representados pelo colectivo Firma do Txiga. Puto Anderson, DJ Ninoo e K30 são os nomes que vão levar a batida até à aldeia.

Octa Push editaram Língua no ano passado, projecto que certamente merecerá destaque na sua passagem pelo Bons Sons. Já Surma acaba de estrear o primeiro single para o álbum de estreia. “Humma” será certamente um dos pontos altos da sua actuação.

Os passes que dão acesso aos 4 dias de Bons Sons estão à venda por 40€.

 


[VODAFONE PAREDES DE COURA]

Há sonoridades alternativas para explorar a norte do país. King Krule é um dos nomes mais sonantes do catálogo da XL Recordings e regressa a Portugal 5 anos depois de o termos recebido em Lisboa. Com apenas 22 anos, Archy Marshall tem já um historial de música extenso que edita sobre os vários pseudónimos que usa para se camuflar na industria musical. No seu mais recente trabalho assina enquanto The Return Of Pimp Shrimp, mas esperemos que em Paredes de Coura haja também espaço para as aclamadas criações que produziu enquanto Zoo Kid, Edgar The Beatmaker ou o próprio King Krule, nome que figura no cartaz do festival.

Missing Link é o mais recente trabalho de Nick Murphy. O nome não vos diz nada? O homem que antes assinava enquanto Chet Faker tem também um cunho bastante singular vincado nas suas produções. Desde que adoptou o nome civil para assinar a sua obra editou ainda dois singles, “Fear Less” e “Stop Me”, ambos de 2016.

Outro nome grande? Ok, cá vai: BadBadNotGood! A banda canadiana tem uma forte ligação ao hip hop, e foi através da reinterpretação de vários clássicos do género musical nascido no Bronx que o seu hype subiu a pique. Tyler, The Creator, Frank Ocean, Danny Brown ou Kaytranada são artistas consagrados que trabalharam já com o quarteto. Ghostface Killah, membro dos míticos Wu-Tang Clan, chegou mesmo a colaborar num álbum inteiro com os canadianos.

Young Fathers, Benjamin Clementine, HO99O9, Conjunto Corona, Octa Push ou Throes + The Shine também figuram no alinhamento do festival que decorre de 16 a 19 de Agosto. Os passes para o Vodafone Paredes de Coura estão à venda por 90 euros.

 


[LISB-ON]

No Parque Eduardo VII haverá um jardim sonoro para apreciar nos dias 1, 2 e 3 de Setembro. O Verão já vai estar a chegar ao fim, mas nada que impeça Lisboa de dançar ao som dos nomes mais sonantes da musica de dança.

Sven Väth regressa a Portugal, ele que e um dos mais consagrados DJs e produtores da prestigiada escola alemã. A sua obra tem ajudado a inspirar vários nomes da nova escola do techno.

Nina Kraviz é a cara bonita da música electrónica, conhecida pelos seus animados movimentos enquanto dispara os potentes four-on-the-floor que fazem estremecer a munição sonora. Nascida na Russia, Nina também produz, canta e gere a sua própria editora. DJ Slugo ou DVS1 são alguns nomes fortes da cena electrónica que já remisturaram os seus temas.

Tony Allen é o famoso baterista que alinhava ao lado de Fela Kuti. Influenciou toda uma geração graças aos seus inovadores esquemas rítmicos e swing inconfundíveis. DJ Koze conta com edições pela Kompakt e alia a batida oriunda da Alemanha a sonoridades mais viradas para a herança da música afro-americana.

Motor City Drum Ensemble, KiasmosAmp Fiddler, Trol2000 ou Ramboiage são alguns dos muitos nomes que vão colocar a capital a dançar.

Os bilhetes diários para o Lisb-On custam 25 euros, com um pack que dá direito aos 3 dias do evento taxado nos 55 euros.

 


[SEMIBREVE]

Em Braga celebra-se a electrónica de cariz mais experimental. Entre 27 e 29 de Outubro, Deathprod, Fis, Gas, Lawrence English ou Valgeir Sigurdsson são alguns dos nomes de maior destaque num cartaz que ainda vai conhecer novas caras até à data do evento.

Deathprod vem da Noruega para se estrear em território luso. É na música ambiente que melhor expressa as suas ideias e fundou os Supersilent: um grupo de improvisação que actua à base do experimentalismo.

Valgeir Sigurðsson, produtor islandês, vem acompanhado por Yannick Jacquet, que compõe a parte visual do seu espectáculo. No currículo conta com colaborações com nomes grandes da música internacional como Björk, Damon Albarn ou Brian Eno.

Wolfgang Voigt actua sob o pseudónimo Gas e é um dos históricos da cena electrónica alemã. Juntamente com Michael Meyer e Jürgen Paape formou a Kompakt, um dos mais importantes selos discográficos nos espectros do techno.

O passe para o festival dá acesso aos 3 dias de concertos e custa 38,50 euros.

ReB Team

ReB Team

Facebook.com/rimasebatidas
Twitter: @rimasebatidas
Instagram: @rimasebatidas
SoundCloud.com/rimasebatidas
YouTube.com/c/rimasebatidas
Mixcloud.com/rimasebatidas
ReB Team