pub

Estreia: “Sou Rei” é o novo vídeo d’O Processo de Blasph e Beware Jack

[FOTOS] Direitos Reservados

A propósito da estreia de um novo vídeo de apoio ao álbum O Processo, Beware Jack e Blasph tiram tempo para responderem a algumas perguntas que lançam um pouco mais de luz sobre o importante disco que marca o trimestre inaugural de 2016 e que certamente deixará marca funda na produção deste ano quando forem horas de contabilizar o que de melhor estes 12 meses deixarão para o futuro.

“Sou Rei” tem carimbo de realização de Chicolaev e Margarida Vaz e é uma ambiciosa produção visual que ilustra na perfeição um dos melhores temas de O Processo, disco que parece beber nas dinâmicas de algum rap muito específico. O tom, aliás, foi ditado antes da subida ao palco para a apresentação do disco no Santiago Alquimista, quando Beware Jack e Blasph elegeram para banda sonora de preparação do seu próprio concerto o clássico Marcberg de Roc Marciano. Na playlist do mês, Rui Miguel Abreu reforçou a ideia com uma associação entre os dois álbuns: “É uma inspiração e um clássico”, confirma Beware Jack. “O disco ouviu-se antes do concerto no Alquimista porque nós também o estávamos a ouvir e isso eleva-nos, faz parte do ritual, agora de facto impressiona-nos que façam essa associação, a dor e o peso de Marcberg são linhas que não se separam d’OPROCESSO“.

beware jack sou o rei

“A nossa dieta musical continua a mesma since day one”, assegura ainda Beware Jack. Roc Marciano e Ghostface Killah são dos nossos rappers de sempre, se sons tivessem gráficos quando estes dois entram em cena o gráfico sobe, há quem lute para não descer, eles lutam para serem campeões, é a melhor metáfora que podemos ir buscar. Beats sujos, este álbum soa a Nova Iorque de alto a baixo, e atenção que somos super fãs do Sol da Califórnia, mas isto soa a arranha céus, projects e prédios cinzentos – pouco Sol e muitas nuvens”.

Sobre o perfil clássico da sonoridade d’O Processo, Blasph explica que não é ir contra a corrente trap, antes uma questão de seguir uma linha constante: “Na dica do trap, quisemos fazer as coisas de maneira diferente, ir pelo caminho com mais buracos e pedras bicudas. Fizémos o nosso rally ali, mas se passarem um dia connosco nas nossas tertúlias que não têm que ser forçosamente criativas é precisamente isso que vão ouvir, o mesmo rap que sempre ouvimos”.

Quanto à cidade que marca este álbum, a cidade onde afinal Blasph e Beware reclamam o trono, que cidade é esta? “É a minha e a tua, a nossa e a deles, mas nós somos visuais, o nosso rap é visual, se eu vi duros a cumprimentarem-se com dois beijos na cara, o Blasph também vê que é pela gola que é afastado o cobardola”.

O Processo tem edição da Mano a Mano e encontra-se disponível para encomendas através do email oprocesso.encomendas@gmail.com.


pub

Últimos da categoria: Avanços

RBTV

Últimos artigos