7 Dias, 7 Vídeos

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Era digital, informação à velocidade da luz. Vídeos e músicas a soçobrar pelas plataformas virtuais. Novidades emaranhadas entre si, confusão sónica, sentidos desorientados. Quem nos guia? Por onde vamos? Para onde vamos?

7 Dias, 7 Vídeos é o resgate audiovisual semanal nos terrenos do hip hop e electrónica. Filtragem de qualidade, barreira contra a poeira que nos cega com tanto de novo, com tanto para espreitar e escutar.


[Griselda Records] WWCD Documentary: “Westside Gunn – Connie’s Son”

A passada sexta-feira teve a Griselda Records enquanto principal destaque no campo das edições musicais. O grupo formado pelos MCs Westside Gunn, Conway e Benny e o produtor Daringer lançou o tão aguardado álbum de estreia pela Shady Records, de Eminem. WWCD chega-nos poucos meses após uma nova jogada por parte do colectivo de Buffalo, Nova Iorque, que passou a ser agenciado pela Roc Nation, de Jay-Z, e veio agregado a uma série documental,que terá enquanto foco cada um dos quatro membros nucleares que formam a Griselda Records. O primeiro a entrar em cena foi Westside Gunn, num episódio partilhado um dia antes da edição de What Would ‘Chine Do, um álbum dedicado a Machine Gun Black, malogrado irmão de Benny The Butcher, e que conta com Eminem, Raekwon e 50 Cent entre os convidados.


[Jam Baxter] “Red Hawaiian” (prod. Zygote)

Jam Baxter é um dos MCs que mais tem feito por elevar a fasquia do boom bap britânico. Há um ano editou o álbum Touching Scenes, que o voltou a juntar ao produtor experimental Chemo e foi um dos projectos mais bem recebidos pelo público da High Focus Records, juntando nomes como Kate Tempest, Rag’n’Bone Man ou Stinkin Slumrock na lista de convidados.

Como forma de celebrar esse aniversário, o rapper assinou duas novas faixas e compilou alguns dos seus desenhos e escritos num livro de 164 páginas — Off Piste sai no dia 6 de Dezembro e as primeiras 100 cópias disponibilizadas para pré-venda já têm todas dono.

“Red Hawaiian” foi lançado junto do respectivo acompanhamento em vídeo e é um tema futuristico produzido por Zygote, nome frequentemente associado à cena underground britânica, metade dos Strange U e creditado em trabalhos dos Cult Of The Damned. Cozinhado por Chemo, em parceria com Last Japan, “The Stump” outra das novidades de Baxter, por enquanto apenas disponível num novo 7”.


[Silvestre] “Yeah”

Inicialmente apresentado como banda sonora para o anúncio da edição deste ano do Boiler Room Festival, “Yeah” foi agora editado num EP que adopta o mesmo título e é selado pela londrina Meda Fury. O produtor português foi figura de destaque na última edição da Room 1, uma playlist que dá a conhecer os novos talentos da música de dança e é curada pela Boiler Room, que vai receber Silvestre no regresso da plataforma a Lisboa, agendado para o dia 12 de Dezembro.


[billy woods] “Western Education Is Forbidden” feat. FIELDED

Fundador da Backwoodz Studioz e metade dos Armand Hammer, billy woods regressou este ano aos trabalhos em nome próprio — depois de editar Known Unknowns em 2017, o rapper de Nova Iorque voltou a unir esforços com E L U C I D em Paraffin, o mais recente disco enquanto Armand Hammer, e juntou-se a Kenny Segal no longa-duração Hiding Places. Terror Management foi o álbum a solo que editou em Outubro e tem este “Western Education Is Forbidden” como segunda faixa no seu alinhamento, uma das três colaborações com a cantora FIELDED registadas no projecto, que conta também com aparições de Mach-Hommy, Akai Solo ou Pink Siifu.


[Medhane] “On Me”

Medhane é um jovem rapper de Nova Iorque e integra o colectivo sLUms, um conjunto de artistas que têm estado a desenvolver uma nova sonoridade descendente do tradicional boom bap e que alberga nomes como MIKE, 6press, Navy Blue ou o supergrupo Standing On The Corner.

Depois de editar os EPs DO FOR SELF e Ba Suba, Ak Jamm, que contemplam aparições de gente como Earl Sweatshirt ou Budgie, Medhane estreou-se nos álbuns durante o mês passado com Own Pace, que já começou a gerar ecos em publicações como a Pitchfork ou a DJ Booth.


[xtinto] “Ébano” (prod. benji price)

xtinto continua a galgar terreno entre o público do hip hop em Portugal e é neste momento um dos casos que mais facilidade nos oferece para conjugar skill e views na mesma frase quando o queremos descrever. O vídeo para “Ébano” foi ontem apresentado e acompanhou a edição de Inacabado, o tão esperado primeiro EP de originais do rapper de Ourém, actualmente a residir em Lisboa, criado em parceria com benji price no seio da Think Music. “Opus Magnum”, “Jurássico Barco”, “Quentin Miller”, “Sangue Novo” e “Pentagrama”, músicas editadas anteriormente por xtinto, foram também compiladas no curta-duração Ventre.


[Reason] “Flick It Up” feat. Ab-Soul

Foi em Agosto de 2018 que Reason foi apresentado como novo membro da Top Dawg Entertainment, estreando-se com o longa-duração There You Have It pela editora que assistiu ao nascimento de talentos como Kendrick Lamar, Jay Rock ou SZA logo no mês seguinte.

Depois de ter deixado a sua marca na super-compilação Revenge of the Dreamers III, o rapper californiano lançou as faixas soltas “High Hopes” e “Same Ol Shit”, agora sucedidas por este “Flick It Up”, que tem a participação do colega Ab-Soul. Apesar de carecer de uma confirmação oficial, estes novos temas podem muito bem ser parte da estratégia que levará Reason à edição do seu segundo álbum.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira