7 Dias, 7 Vídeos

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Era digital, informação à velocidade da luz. Vídeos e músicas a soçobrar pelas plataformas virtuais. Novidades emaranhadas entre si, confusão sónica, sentidos desorientados. Quem nos guia? Por onde vamos? Para onde vamos?

7 Dias, 7 Vídeos é o resgate audiovisual semanal nos terrenos do hip hop e electrónica. Filtragem de qualidade, barreira contra a poeira que nos cega com tanto de novo, com tanto para espreitar e escutar.


[Young M.A] “Big”

2019 está a ser um ano e pêras para as mulheres que militam no hip hop, cada vez menos “tapadas” pelos grandes artistas masculinos, que tanto têm dominado a indústria durante praticamente toda a história do género. Young M.A não é excepção e a MC de Brooklyn tem vindo a crescer consideravelmente, single a single, ainda à procura do momento certo para se estrear nos álbuns. “Big” é uma produção de Mike Zombie, beatmaker in-house da OVO, de Drake, e sucede à remistura de “Thotiana”, que lhe valeu umas boas dezenas de milhões de reproduções online.


[SiR] “Hair Down” feat. Kendrick Lamar

Óptimas notícias para SiR, uma das mais recentes vozes a integrar os quadros da Top Dawg Entertainment. O cantor de Inglewood, Califórnia, estreou a semana passada a primeira colaboração de sempre com o colega Kendrick Lamar, para quem já tinha realizado vários concertos de abertura durante a digressão de DAMN.. “Hair Down” faz parte do alinhamento de Chasing Summer, disco que seguirá o mesmo caminho de Ctrl, de SZA, numa nova parceria entre a label gerida por Anthony “Top Dawg” Tiffith e a histórica RCA Records.


[BROCKHAMPTON] “If You Pray Right”

Campeões do formato longa-duração, os BROCKHAMPTON preparam-se para editar o sexto álbum num espaço de apenas quatro anos. Após os três volumes de SATURATION, a boy band do Texas assinou um contrato com a RCA Records e arrancou com uma nova trilogia de discos, que teve iridescence enquanto primeiro capítulo. Segue-se em breve GINGER, que tem neste “If You Pray Right” o segundo avanço, sucedendo a “I Been Born Again”, dado a conhecer há poucas semanas.


[Dino d’Santiago] “Sô Bô” (Tarraxo Remix) feat. Pedro Mafama e PEDRO

Dino D’Santiago estende a mão a Pedro Mafama e PEDRO num claro voto de confiança dado aos dois newcomers que já começam ditar as próprias tendências na nossa Nova Lisboa musical. O single — agora vitaminado com um verso irrepreensível do autor de Tanto Sal e uma secção de ritmos mais pormenorizada de PEDRO — faz-nos recuar até Mundu Nôbu, aclamado disco que Dino d’Santiago editou em 2018 e que recentemente foi alvo de um retratamento num EP de remisturas.


[Benny the Butcher] “5 to 50” feat. India (prod. The Alchemist)

Benny the Butcher é capaz de ser a figura da Griselda em maior destaque no presente ano. O rapper de Buffalo, Nova Iorque, editou The Plugs I Met, um disco que voltou a colocar o seu nome na ordem de discussões de hip hop, meio ano após ter lançado o aclamado terceiro capítulo de Tana Talk. Produzido por Alchemist, “5 to 50” é o mais recente videoclipe a ser extraído de The Plugs I Met, que tem Pusha T, Black Thought ou Jadakiss entre os convidados.


[Verb T & Pitch 92] “Tragedy & Comedy”

Menos pujante do que “Cold Case”, dado a conhecer há três semanas, “Tragedy & Comedy” não deixa de ser um bom aperitivo para A Question Of Time, o álbum colaborativo que vai juntar novamente Verb T e Pitch 92 no dia 30 de Agosto e que sucederá a Good Evening, de 2017.


[Dano] “Christopher Lambert”

Danilo Amerise Díaz é um multifacetado artista de Buenos Aires, actualmente sediado em Madrid. Rapper, produtor, realizador e líder dos Ziontifik, Dano é o nome com que assina a sua obra musical, que se expandiu na esfera digital durante os últimos cinco anos. “Christopher Lambert” é uma das faixas extraídas de ISTMO, o álbum com o qual nos brindou em Fevereiro passado e que serviu até de inspiração para uma curta-metragem.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira