7 Dias, 7 Vídeos

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Era digital, informação à velocidade da luz. Vídeos e músicas a soçobrar pelas plataformas virtuais. Novidades emaranhadas entre si, confusão sónica, sentidos desorientados. Quem nos guia? Por onde vamos? Para onde vamos?

7 Dias, 7 Vídeos é o resgate audiovisual semanal nos terrenos do hip hop e electrónica. Filtragem de qualidade, barreira contra a poeira que nos cega com tanto de novo, com tanto para espreitar e escutar.


[Freddie Gibbs & Madlib] “Giannis” feat. Anderson .Paak

Apresentado em Junho como segundo avanço de Bandana, “Giannis” chegou ao formato vídeo durante a semana que passou. Realizado por M. Corey Whitted e Nick Walker, a curta-metragem recua até 2014 para ilustrar um negócio ilícito que termina com Freddie Gibbs a perder num confronto físico com o seu superior. Bandana foi lançado no final do mês de Junho e voltou a juntar a voz do rapper às batidas de Madlib, sucedendo ao aclamado Piñata, de 2014. A dupla apresenta-se ao vivo no Vodafone Paredes de Coura a 17 de Agosto.


[Lizzo] “Tempo” feat. Missy Elliott

2019 fica marcado para Lizzo como o seu ano de estreia por uma major label. Cuz I Love You, o seu terceiro projecto, tem o carimbo da Atlantic Records, alcançou o sexto lugar na Billboard 200 e tem sido alvo de várias críticas positivas por parte das publicações da especialidade. Dado a conhecer em Março, “Tempo” era um dos temas mais aguardados desse projecto, já que conta com uma rara aparição da veterana Missy Elliott, e salta agora para o capítulo do audiovisual.


[Legalize LA] “Legado”

A preparar neste momento o seu EP de estreia, apontado para sair em breve, Legalize LA deu ontem a conhecer mais um avanço daquele que será o primeiro lançamento da sua Beko Records. “Legado” sucede a “No Topo” na lista de avanços de 28/04/90 e mostra a boa forma em que se encontra um dos mais carismáticos MCs da cena underground da Linha da Azambuja.


[Fukkit] “Deadpool”

Depois de nos ter surpreendido com “Flashbang”, Fukkit regressa ao radar da rubrica 7 Dias, 7 Vídeos com o seu mais recente “Deadpool”. O rapper carrega consigo a bandeira do trap hardcore da Florida, fazendo parte da mesma geração de artistas como XXXTENTACION e Denzel Curry. O novo videoclipe sucede a Smithy, o álbum que editou em Abril deste ano.


[Vácuo] “Caravela Portuguesa”

O movimento boom bap português ganha um novo reforço na presente temporada com o regresso de Vácuo. O rapper fez parte da ASTROrecords, a par de Vilão, ProfJam ou Mike El Nite, pela qual editou Evacuação Obrigatória, o seu EP de apresentação. Em 2016 lançou o álbum de estreia Culturismo, tendo pouco depois desaparecido quase por completo do radar, acenando-nos apenas com “Duas Opiniões” e “Cavalo Pura” nos anos que se seguiram. “Caravela Portuguesa” é o seu primeiro videoclipe desde “Conserva o Som”, conta com produção de Groove Synthdrome (aka Amon) e aponta para MegaLowMano, o projecto em que está a trabalhar.


[CMPND] “Paraphrase” feat. Verbz

Os MCs Kemastry e Vitamin G juntam-se ao rapper/produtor Wundrop no trio CMPND. São eles uma das mais recentes aquisições da High Focus Records, editora liderada por Fliptrix e pela qual lançaram este “Paraphrase”, o seu terceiro single e que conta com a participação de Verbz.


[XXL] Freshman 2019 Cyphers

Os últimos dias têm sido de enorme destaque para a XXL, que finalmente nos deu a conhecer os tão aguardados cyphers, interpretados pela anual turma de “caloiros” curada pela revista norte-americana. Embora as mais recentes edições do Freshman tenham ficado vários furos abaixo do expectável, o conjunto de artistas escolhido este ano subiu ligeiramente a fasquia. Os novos cyphers deixam bem claro que as mulheres atravessam um óptimo momento de forma, todas elas a registar um bom desempenho. No lado dos homens, destaque apenas para os versos protagonizados por YBN Cordae e DaBaby.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira