Ice Burz, um jovem produtor português à conquista dos Estados Unidos da América

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [FOTO] Direitos Reservados

Onde é que estavam com 18 anos? O português Ice Burz está a tentar, para já, uma carreira internacional como produtor, trabalhando com nomes como Semi Supreme, Vietto, Lil Fedex, Marcy Mane, Kilo Xantana, HSMSC, highfive ou Fury. Em Portugal, encontra-se a colaborar com YUZI e Woner, dois artistas em diferentes fases de carreira e com abordagens sónicas totalmente diferentes. Acabada de lançar, Icey Tape é a nova beat tape e o cartão-de-visita perfeito para aqueles que querem entrar no universo do artista do Porto.



Numa era em que podemos pegar no nosso computador e aprender qualquer coisa através de tutoriais espalhados pela Internet, David Burai, o nome de nascimento de Ice Burz, começou a dedicar-se à produção depois de uma conversa produtiva: “A ideia de eu começar a produzir surgiu quando estava a sair das aulas com o meu amigo Lucca Marino (foi ele que me apresentou ao estilo de música), e estávamos a partilhar ideias sobre produtores e os seus trabalhos. A partir dessa conversa, motivei-me a começar a produzir e foi o que tenho feito de lá até agora todos os dias.”

Num mundo onde as barreiras estão estilhaçadas através da globalização digital, a procura pela identidade musical está cada vez menos relacionada com a localização geográfica. O trap é o universo predilecto de Ice Burz e os Estados Unidos da América o país de eleição no que toca à música: “Eu sempre preferi a música que vem dos EUA e, desde que criei Twitter, o meu alvo eram artistas americanos e trabalhar com eles. Essa música que fiz com o Mane Mane surgiu quando eu entrei numa live de Instagram dele. Começou-me a dar shout out pelo meu trabalho e foi aí que perguntei se podia enviar uns beats — e ele aceitou. Ele já me conhecia: quando ele e o Kane Grocerys vieram a Portugal no Milhões de Festa tive a mostrar-lhe uns beats e ele curtiu da cena.”

 



Se os EUA são um objectivo, é natural que todas as referências de Ice Burz apontem para para aí mesmo. “As minhas referências musicais enquanto produtor são MexikoDro, Metro Boomin, Southside, DY e Icytwat. Quanto a rappers, olho para Chief Keef, 21 Savage, Lil Pump, Duwap Kaine e Famous Dex.”

Estudante de Som e Imagem na Universidade Católica do Porto, o produtor conta-nos como tem sido o processo de colaboração com YUZI e Woner: “O YUZI ouviu uns beats meus, escolheu um que curtiu imenso e ficou com ele. Quanto a produzir para o Woner, eu já o conheço há algum tempo e dou-me bem com ele. Surgiu a ideia de eu e ele fazermos uma música com um videoclipe. Enquanto o estilo do YUZI é uma cena mais para o drill, o Woner é uma cena mais pesada e mais dark. ”

 



Voltando à beat tape, os cerca de seis minutos de trap que podemos ouvir são um reflexo das influências que ouve, algo que até está implícito no discurso do jovem de 18 anos: “Esta ideia de fazer a tape surgiu porque eu acompanho as samples que o MexikoDro lança todos os meses e quis fazer uma tape em que me baseasse no conceito dele.”

Ice Burz revelou-nos que pretende mudar-se para os Estados Unidos da América mal termine o curso para trabalhar de perto com os artistas com quem já colaborou. Em Portugal, o produtor “gostava de continuar a trabalhar com o YUZI em mais algumas músicas e fazer umas cenas com o ProfJam”.

 


Alexandre Ribeiro

Alexandre Ribeiro

Passei os meus escritos da gaveta para o mundo "real" depois de concluir o curso de Jornalismo e Crítica Musical na ETIC.
Alexandre Ribeiro