Pedro Mafama é fogo que arde e se vê

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [FOTO] Direitos Reservados

Se ainda não perceberam por esta altura, permitam-me dizê-lo em voz alta: no que toca à armada nacional, Pedro Mafama é uma das revelações de 2018 e a grande aposta para 2019. “Arder Contigo”, o novo single, cantado e produzido pelo próprio — José “Cosmvs” Torres ajuda no conceito e animação –, é só mais um argumento de peso para sustentar essas duas afirmações.

Depois de aparecer com Má Fama no final de 2017 e explorar ainda mais o seu “novo fado” em Tanto Sal, lançado em Abril, Pedro Simões chegou aos ouvidos (e olhos) do público com o vídeo de “Jazigo” — António Freitas e Fábio Silva captaram na perfeição a essência da sua música. Os concertos no Maus Hábitos, incluído na Enchufada na Zona, Musicbox, Casa Independente ou Super Bock em Stock ajudaram a afinar a máquina e entender o que pretende transportar do palco para o estúdio e vice-versa.

Na senda de Conan Osiris e Rosalía, dois casos de clara modernização e actualização de sons tradicionais, o artista lisboeta apresenta uma fascinante fórmula que contém o fatalismo do fado, a força dos graves do trap e a vitalidade do afro-house. E resulta. Vai ser difícil apagar este fogo.

 



[A INSPIRAÇÃO PARA AS LETRAS]

“Acho que é uma mistura de sentimentos, memórias e coisas imaginadas. Os sons começam normalmente de uma emoção que quero soltar, neste caso uma coisa bem visceral. Depois, quando vou escolhendo e arranjando as palavras, tento criar um ambiente, um cenário ou imagem para enquadrar essa emoção. Aqui estava a pensar muito nas gravuras dos autos de fé no Terreiro do Paço, e o som todo gira à volta dessa imagem de teres o teu amante numa fogueira e quereres arder com ele.”

 

[A INFLUÊNCIA DOS CONCERTOS PARA A CRIAÇÃO DE NOVAS MÚSICAS]

“Esta canção foi feita no fim deste Verão, quando já tinha dado uns concertos mas ainda não tinha tido as experiências de palco que tive entretanto. A nível corporal, este som é mais influenciado pelas noitadas na cave do Lux (foram muitas este Verão), de estar com o peito a arder e as emoções a transbordar para fora do corpo. Ainda não sei muito bem de que modo esta temporada de concertos vai influenciar as coisas novas que estou a produzir, mas estou curioso para ver de que forma isso vai acontecer!”

 

[MÁ FAMA E CONAN OSIRIS, ROSALÍA, J BALVIN OU ANITTA]

“É engraçado ver como o panorama mudou tanto neste último ano. Olhando para trás, acho que me sinto menos sozinho, há pessoas a tocar em pontos semelhantes e isso é bem estimulante. Por outro lado o desafio tornou-se maior, porque tenho de puxar mais pela cabeça e trabalhar para me destacar daquilo que está a ser feito. Sinto que se está a conseguir construir uma coisa nova e que o mundo a quer receber, por isso vou trabalhar o mais que puder para contribuir para isso.”

 

[“ARDER CONTIGO” E O PRÓXIMO PROJECTO]

“Há um projecto a ser feito, mas este é sobretudo um som que eu queria pôr cá fora. Queria partilhar esta música enquanto a labareda está viva. Logo veremos onde isto se encaixa, estou a trabalhar no próximo passo mas por agora queria só mesmo soltar este grito.”