7 Dias, 7 Vídeos

Era digital, informação à velocidade da luz. Vídeos e músicas a soçobrar pelas plataformas virtuais. Novidades emaranhadas entre si, confusão sónica, sentidos desorientados. Quem nos guia? Por onde vamos? Para onde vamos?

7 Dias, 7 Vídeos é o resgate audiovisual semanal no terreno do hip hop. Filtragem de qualidade, barreira contra a poeira que nos cega com tanto novo, com tanto por onde espreitar e escutar.

 


 

[NIKO IS] Private Room (Prod. Thanks Joey)

Dois projectos editados foi suficiente para convencer Talib Kweli a assinar o jovem brasileiro, sediado na Florida, pela sua label independente Javotti Media. A aquisição do rapper deu frutos em Fevereiro com o álbum Brutus, do qual têm saído vários singles. “Private Room” é o mais recente e retrata todo o ambiente calmo e exótico que podemos encontrar em Miami junto de um sample bem ao estilo da costa oeste a fazer lembrar “Today Was a Good Day”. “I’m just really tryin’ to take it to the moon with it, private room in it”, são estas as palavras de quem tenta abrir caminho por outras vias.

 


 

[KHARY DURGANS] Came Up (Prod. Falside)

O MC de 23 anos de Long Island deu nas vistas no final de 2014 com o EP Swim Team. Desde então tem sido referencia em publicações como The Source, XXL ou Vibe, e chega-nos agora com o vídeo de um tema editado já este ano. Muito à volta do nonsense, tanto no vídeo como na faixa, remete-nos a influências de Odd Future com sabor a trap que aponta a algo mais mainstream.

 


 

[MATICULOUS FEAT. YOUR OLD DROOG] Stellar Intro

Não é comum vermos uma introdução de um álbum como single. Mesmo sendo um vídeo bem ao jeito Do It Yourself, consegue trazer-nos muito com a música deste produtor de Brooklyn, que se associa ao MC Your Old Droog, nesta travessia pelo bairro. Juntos trazem-nos o sabor renovado de uma costa este antiga que se perdeu em ritmos diferentes. Toda a faixa cheira a subúrbios e Your Old Droog encaixa como o pintor perfeito para este quadro sonoro em tons de cinzento.


 

[MIC SELVA FEAT. VALAS] Nasty (Prod. Last Hope)

Mic Selva apresentou-nos um bom projecto, em parceria com Last Hope, no início do ano e lança agora o terceiro single. Last Hope tem feito várias colaborações com MCs nacionais e encontrou neste rapper uma escrita diferente do habitual que se dá às mil maravilhas com os seus instrumentais. Vídeo simples mas eficaz, com a participação de Valas no primeiro verso e no refrão, muito catchy. Mic Selva toma conta do resto do tema com as suas linhas conscientes repletas de vivência.

 


 

[VILSON] Morrem Cedo

Numa altura em que o trap e o drill vão penetrando nas sonoridades do rap da Linha de Sintra, Vilson traz-nos um boom bap celestial carregado de sentimento em jeito de dedicatória e introspecção. “Eu sou um preto novo”, fora do colectivo Fresh as Hell, assume-se de cara lavada nestes últimos meses. Não é neste registo que estávamos habituados a ouvi-lo, o que demonstra a sua versatilidade não só a nível de escrita como de escolha de beats e flows. Vilson joga, sem dúvida, com o baralho todo.

 


 

[VINCE STAPLES] Norf Norf

Primeiro videoclipe pós-Summertime ‘06. Esta é, para mim, a grande faixa do álbum. Se o beat já tem um bounce sombrio bastante próprio, o flow, métrica e entoação serpenteiam por entre o caldeirão sonoro de Clams Casino, cuja mistura nos dá voltas à cabeça de tal combinação explosiva. Três versos carregados de gangsta rap no seu estado mais cru. Não há receios em esconder nomes, provas, tipo de vida, tudo isto com a atitude e entrega em cada palavra, doseadas de acordo com novas fórmulas. O rap ganhou um novo filho vindo da mais recente geração de ouro que temos tido o prazer de acompanhar em todo o seu desenvolvimento. É estranhamente aliciante ao ponto de irmos contra os nossos próprios princípios, por momentos, no nosso pensamento, e acompanharmos todas as descrições que nos faz Vince Staples sentindo uma certa sedução por todas aquelas ocorrências, guiados pelo prazer do risco e adrenalina. Uma viagem perigosa e viciante onde nos perdemos nos vários labirintos da vida do gangbanger afiliado aos Crips.

 


 

[GANGRENE FEAT. ACTION BRONSON] Driving Gloves

O duo edita novo projecto já em Agosto, de onde é resgatado este tema, numa extrema paródia anárquica com um convidado escolhido a dedo. O som pujante dos timbalões e os riffs de guitarra fazem-nos lembrar uma introdução de um tema algures entre o punk e o grunge, cuja atitude é adoptada pelos três MCs nesta arruaça, teatral claro, a um stand de automóveis ao vandalizar completamente um dos seus carros. Provavelmente a mais louca viagem de carro alguma vez captada num vídeo de rap. Egotrip desgarrado vindo directamente dos locais mais escondidos do cérebro humano.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira