“Uma peça de arte histórica”: ProfJam une-se a Branko para o remix de “Hear From You”

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [FOTO] Direitos Reservados

Uma das boas surpresas de 2019 acaba de ser revelada ao mundo: Branko convidou ProfJam para a remistura de “Hear From You”, tema pertencente a Nosso, o seu mais recente disco. A novidade veio acompanhada de um videoclipe com dimensão cinematográfica que tem realização de Augusto Fraga e produção da Krypton Films.

Numa curta conversa depois da apresentação no B.Leza, em Lisboa, João Barbosa desvendou o que o levou até ao autor de #FFFFFF: “Senti um bocadinho a necessidade de acrescentar um diálogo entre a canção que já existia e o vídeo e a narrativa que estava a ser contada no vídeo. O personagem interpretado pelo Rafael Morais tinha que ter uma voz e tinha que se encaixar nesta triangulação de alguma forma. Foi mesmo pensar numa pessoa que a, meu ver, conseguisse agarrar em conceitos, porque obviamente não é fácil vires encaixar numa música que já existe e num vídeo que já foi pensado por outra pessoa. Foi uma dimensão importante. Para mim, o bonito disto é que não é um vídeo, não é um filme, não é uma música, não é uma banda sonora, é todas essas coisas ao mesmo tempo. E acho que só pessoas que pensam um bocadinho na música para além de música é que conseguem entrar nestas coisas, por isso fez todo o sentido convidar o ProfJam.”

Sobre a facilidade no processo, acrescentou: “Foi mesmo um puzzlezinho muito feliz que se foi completando. Muito orgânico. Foi tudo com conversas. Acho que há aqui um lado muito bonito, se isto tivesse acontecido há 20 anos, ias ter uma burocracia enorme de uma major, e as conversas aqui foram todas super de discurso directo, de igual para igual.”

Para Mário Cotrim, a possibilidade de adicionar mais uma camada à canção foi, tal como nos confidenciou, uma enorme honra: “Eu adoro desafios e o convite foi logo um tremendo elogio ao meu trabalho da parte do Branko. Ainda para mais poder ser associado a uma peça de arte, para mim, histórica. Quando eu entrei, o barco já estava a meio da viagem, mas quis reforçar o que eu absorvi do vídeo. Até falámos, na nossa sessão preliminar, o que é que a faixa significava, o que é que o vídeo estava a transmitir para ele e para mim. Nós estivemos a descodificar as lyrics, interpretar barra a barra para perceber para que lado eu iria ‘pegar’ no discurso da música, da narrativa. Decidi ‘pegar’ na coisa bélica, ligar à paz e à guerra que é o amor, à procura da paz e da estabilidade. Queria que tivesse um bocado a descrever o que eu senti a ver o vídeo e a ouvir o som. É uma corrida pela luta e o que interessa é lutar ou seja, não estou a dizer que tem de dar, mas eu estou aqui. O processo de estar aqui, isso é que é o amor. Enquanto estás a batalhar como o personagem está fazê-lo até chegar a ela, essa é a batalha que eu acho que é o amor. Foi um grande prazer e não estava à espera deste convite. Poder estar associado a um realizador tão conceituado e dois produtores de top mundial é uma felicidade do caraças. Fiquei muito satisfeito com o resultado final.”

Com poucas semanas de diferença, os dois artistas portugueses editaram novos álbuns que, curiosamente, até culminaram em actuações no mesmo dia da edição deste ano do NOS Primavera Sound, no Porto. Agora, a dupla vai para o combate, na companhia de Sango, Cosima e PEDRO, e encerra, em conjunto, um ano em cheio para ambos.