pub

Prodígio: Angola, Prodígios e a Força Suprema

 

[ENTREVISTA/FOTO] Ricardo Miguel Vieira

 

Durante os meses de Junho e Julho, as contas Instagram de Prodígio e dos restantes membros da família Força Suprema – NGA, Monsta, Masta OG BigBabe, Don G Padrinho, Deezy – serviram de álbum de registo de memórias da tour de apresentação de Prodígios por terras angolanas. Entre o oceano de publicações que surgiam consistentemente no feed dos seguidores da histórica turma da Linha de Sintra na rede social, havia pequenos vídeos que mostravam multidões em maratona atrás da entourage da FS ou intermináveis filas de espera para entrar nos recintos que acolheram os espectáculos de Prodígio e restante família. Havia também fotografias de fãs em lágrimas, aos gritos, ao pulos, em busca de uma selfie, um autógrafo, um toque de mãos, qualquer coisa, desde que proviesse dos ídolos que rimam as ruas da periferia lisboeta e apontam mensagens aos irmãos angolanos. É, assim, naqueles pequenos mosaicos virtuais, que também está prostrada a dimensão do universo Força Suprema em Angola: com legiões de fãs e seguidores, provam que são reverenciados por uma população ávida de referências que emergiram das políticas de segregação – seja ela pós-colonial ou moderna, em Angola ou no exterior – e que se tornaram num exemplo de perseverança e conquista de espaço e sucesso nacional e internacional por via das estórias de vida que partilham através da música.

É por isso que Prodígio revê este primeiro projecto a título singular como “um álbum nosso”, de todos os indivíduos que se revêem nos relatos presentes neste disco. “O nome [do álbum] veio do facto de eu encontrar muitos putos, muitas pessoas, parecidas comigo e comecei a ver que isso se estava a tornar maior do que eu. Já não era mais sobre mim, era sobre nós.” Prodígios é um trabalho de características introspectivas, embora seja igualmente um espelho singular que encontra um reflexo pural na base de fãs do MC. É, também, uma compilação informada por uma vivência quase diária junto da família Força Suprema, que está sempre presente nos momentos cruciais das carreiras dos seus membros, desde o feedback no trabalho de estúdio às performances em palco e até nos momentos de descontração.

Numa tarde de Setembro que ainda sabia a Agosto, Prodígio deu um salto à Steasy, uma loja de streetwear no Cacém, Linha de Sintra, apoiada pelo MC e que terá brevemente nas prateleiras produtos da marca Força Suprema, para um breve balanço sobre a recepção global de Prodígios. Foi também um momento para testemunhar mais um movimento estratégico no takeover do colectivo FS ao mundo lusófono, agora através dos terrenos da moda.

 

pub

Últimos da categoria: Entrevistas

RBTV

Últimos artigos