Praso sobre “Mal Acompanhado”: “Escolhi alguns dos meus rappers favoritos do momento”

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Praso não está sozinho no mais recente avanço de Livre e Espontânea Vontade: Uno, TOM e Subtil acompanham o rapper de Sines em “Mal Acompanhado”, tema com um videoclipe filmado e editado por Slowtters.

Este é o sexto single do terceiro LP de originais de Praso, sucedendo a “Até Virar Pó”, “Raiva de Ontem”, “A Culpa Não É Do Nosso Romance”, “Juicy Lucy” e “Fugir À Regra”, temas lançados entre 2017 e 2018. O rapper e fundador dos Alcool Club e do Artesanacto esteve recentemente em palco a apresentar alguns dos novos temas, num concerto que serviu de celebração dos 10 anos de Alma & Perfil e de comunhão com Uno, TOM e Subtil para a gravação do vídeo de “Mal Acompanhado”.

O Rimas e Batidas trocou algumas palavras com Praso sobre o seu mais recente tema e o disco que será disponibilizado no dia 25 de Abril.

 



Adoptaste um título curioso para o teu novo single, já que não estás nada “Mal Acompanhado” no microfone. Como surgiu a ideia para este tema e que voto de confiança foi este que deste a MCs com menos “anos nisto” do que tu?

Ao fazer este tema não tive em conta o tempo de actividade de cada um. Escolhi alguns dos meus rappers favoritos do momento, pelo talento no mic assim como à inspiração que me transmitem. O tema surgiu da ideia que, por vezes, quando estamos sozinhos é que acabamos rodeados dos maiores males, e nada como um bom convívio e hip hop.

Que outras colaborações vamos poder escutar no Livre e Espontânea Vontade?

Vamos ter algumas surpresas mas não ficam para revelar já!

Gostava de destacar o beat: tem aquele toque soul/jazz típico teu, mas com um groove e pujança mais vincados. Explica-me qual foi o processo para chegares a este instrumental.

Não foi diferente do costume. Andava a passear nas rádios online e apanhei esse bocado, nem sei de onde é.

Tens procurado explorar novas vias na produção para este disco? És tu quem o produz na íntegra?

O disco tem metade de beats meus, uma grande parte do RichardBeats, do Flávio e do Romeu Rocha.

O videoclipe foi filmado na noite da comemoração do Alma & Perfil, no Titanic Sur Mer, certo? Como é que correu esse concerto e que feedback recebeste?

Correto. Foi uma noite de concretização do sonho que tive quando o fiz em 2009. Agradeço a todos que estiveram presentes e fizeram aquela noite inesquecível.

Já nos tinhas apontado para o dia 25 de Abril e confirmaste agora a data de edição do disco no lançamento do novo videoclipe. Porquê o Dia da Liberdade?

Desde cedo que, devido à minha história familiar, aprendi o que foi o dia 25 de Abril para Portugal e principalmente o que era antes disso. Se hoje podemos cantar, fazer rap e dizer o que dizemos, é porque um dia quiseram que tivéssemos a liberdade para o fazer. O álbum não é apenas um disco com consciencialização política e social mas também tem o meu cunho e vivência pessoal. Sai no Dia da Liberdade porque o fiz de livre e espontânea vontade e nada como uma data importante para nunca me esquecer.

 


Praso no Titanic Sur Mer: 10 anos depois, ainda há artistas com alma e perfil

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira

Latest posts by Gonçalo Oliveira (see all)