Be Kind Rewind #2: “This Is America”, Childish Gambino

[TEXTO] André C. Santos [ILUSTRAÇÃO] Abel Justo

“This is America”: Tio Ruckus, Jim Crow, a adoração quase bíblica das armas de fogo, a imponência do “homem branco”, a aliciante dança africana, o sósia de Jordan Peele (realizador de Get Out), o massacre de Charleston, o desespero da comunidade afro-americana perante o racismo quotidiano, o escape à realidade camuflada pelos media, as operações stop que culminam em morte, a escravatura — a fuga de todo este caos sem rumo. Todas estas referências visuais, e muitas outras, não escaparam à crítica, nem a mim. Mas o que mais me surpreendeu, a par de todos esses pormenores visuais, foi mais um capítulo da “história de amor” entre Gambino e Murai.

 








Donald Glover, mais conhecido por Childish Gambino (nome que o próprio escolheu após consulta random do site Wu Tang Name Generator) sempre teve esta preocupação de agregar um bom filme à sua música. É aqui que entra Hiro Murai, realizador de Los Angeles, com o qual colabora desde 2013, trabalhando em videoclipes como “3005”, “Sweatpants”, “Telegraph Ave”, “Sober” e, mais recentemente, na série criada por Glover, Atlanta, no qual vão revezando a realização dos episódios.

 







Hiro Murai, que já realizou videoclipes para Earl Sweathisrt, Tribe Called Quest ou Fliyng Lotus, é peça fundamental no sucesso de “This is America”. Estando a um oceano de distância destes dois artistas, quase que sinto a a telepatia criativa entre eles. A série Atlanta tem uma influência enorme na estética deste vídeo. Tal como em “Sober”, realizado antes de Atlanta, o movimento contínuo de câmara em steady ganha um protagonismo enorme na forma como a historia é contada. O facto de em “This is America” não termos uma câmara activa e agitada, que visite o caos que se passa quase sempre no background de Gambino, coloca-nos numa posição de passividade. Esta é, sem dúvida, a maior crítica que existe neste videoclipe. O entretenimento em primeiro plano distrai-nos do que realmente está a acontecer: caos, suicídio, assassinatos, roubo, abuso de poder, racismo…

 



Outro facto que salta à vista é a performance magistral de Gambino. O facto de se assumir como cantor, actor, produtor, realizador e comediante faz com que tenha uma noção geral de como se entretém o espectador, embora este “entretenimento” e performance sejam transversais a todos os videoclipes e de forma mais evidente na série Atlanta. Sentimos sempre que ele nos quer dizer algo mais. Nada é feito por acaso. A ironia é certa, o sarcasmo é autêntico e o humor é “branco”. This is Glover. “This Is America”.

 



ReB Team

ReB Team

Facebook.com/rimasebatidas
Twitter: @rimasebatidas
Instagram: @rimasebatidas
SoundCloud.com/rimasebatidas
YouTube.com/c/rimasebatidas
Mixcloud.com/rimasebatidas
ReB Team