7 Dias, 7 Vídeos

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Era digital, informação à velocidade da luz. Vídeos e músicas a soçobrar pelas plataformas virtuais. Novidades emaranhadas entre si, confusão sónica, sentidos desorientados. Quem nos guia? Por onde vamos? Para onde vamos?

7 Dias, 7 Vídeos é o resgate audiovisual semanal nos terrenos do hip hop e electrónica. Filtragem de qualidade, barreira contra a poeira que nos cega com tanto de novo, com tanto para espreitar e escutar.


[JPEGMAFIA & Kenny Beats] “Puff Daddy”

A situação torna-se caótica depois de JPEGMAFIA comer as panquecas, com algumas gotas de ácido no topo, cozinhadas por Kenny Beats. “Puff Daddy” é a primeira colaboração entre rapper e produtor, dada a conhecer no final do ano passado e a merecer agora um tratamento visual. Mais trabalho da dupla poderá até estar no forno, já que Peggy foi o convidado de Kenny no primeiro episódio de The Cave, rubrica para o YouTube que arrancou no dia 1 de Março e que mostra os bastidores durante o processo de criação de um tema. Em Junho, JPEGMAFIA estará no Porto para se estrear nos palcos nacionais pela mão do NOS Primavera Sound.


[Mick Jenkins] “Consensual Seduction”

“Consensual Seduction” será provavelmente o momento de maior profundidade poética em Pieces of a Man. O mais recente álbum de Mick Jenkins saiu em 2018 e viu alguns dos seus temas ascender ao formato de videoclipe, como “Understood”, “Padded Locks” ou “Reginald”. O rapper de Chicago arranca amanhã com uma curta digressão europeia, que o vai levar a passar por cidades como Londres, Manchester, Amesterdão, Paris ou Antuérpia. Apesar do seu foco se manter na promoção do seu último LP, Jenkins tem aproveitado o tempo livre para distribuir versos em temas de ARLO, Tek.lun, UZUAZO, Qari ou Planet Giza neste arranque de 2019.


[IDK] “Trigger Happy”

Enquanto prepara um novo longa-duração, IDK regressou aos terrenos do boom bap para mostrar que tem o skill em dia. “Trigger Happy” é o primeiro tema a solo pós-IDK & FRIENDS :) e serve de ajuste de contas com Logic, que tentou sabotar o seu contrato discográfico depois de se ter sentido ofendido com um dos seus freestyles.


[Pink Sweat$] “I Know”

Pink Sweat$ é uma das vozes a manter debaixo de olho neste ano de 2019. O MC/cantor de Filadelfia lançou o EP Volume 1 na recta final de 2019 e mostrou que ainda há espaço no mainstream para canções r&b despidas de batida. A fórmula altera ligeiramente neste “I Know”, que combina riffs de guitarra blues com uma suave secção de ritmos. Volume 2 está agora a caminho…


[Ronnie Bosh] “100%” (prod. Dirty Dike)

A semana passada trouxe uma dose dupla de contratações para o plantel da britânica High Focus. O primeiro a ingressar no esquadrão foi Ronnie Bosh, membro dos Contact Play, cuja voz poderá soar familiar aos seguidores da editora, já que tem colaborado com alguns dos seus artistas nos respectivos projectos. “100%” é o single de estreia e tem produção de Dirty Dike.


[Datkid & Leaf Dog] “Crud Addict”

Depois dos videoclipes de Ronnie Bosh, Coops e Dirty Dike, “Crud Addict” foi a quarta edição da High Focus durante a semana transacta, single que sucedeu ao anúncio da contratação de Datkid para a editora fundada por Fliptrix. O rapper de Bristol, que pertence aos Split Prophets, aproveitou o momento para formar dupla com Leaf Dog num álbum colaborativo — Confessions Of A Crudlord tem este “Crud Addict” como primeiro avanço.


[Kayo Genesis] “Hometown”

Depois das boas impressões de “Distance”, no Verão de 2018, Kayo Genesis regressa ao 7 Dias, 7 Vídeos com outra bagagem: o rapper/cantor de Palmdale, Califórnia, editou o EP Bad Sushi em Novembro passado e tornou-se num caso sério para os amantes das vibrações calorosas da Costa Oeste norte-americana. “Hometown” é o mais recente tema a ingressar no capítulo visual e chega depois de Kayo ter visto o seu talento reconhecido por Amineé, que o convidou a fazer parte de algumas das suas datas da TourPoint5ive.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira