7 Dias, 7 Vídeos

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Era digital, informação à velocidade da luz. Vídeos e músicas a soçobrar pelas plataformas virtuais. Novidades emaranhadas entre si, confusão sónica, sentidos desorientados. Quem nos guia? Por onde vamos? Para onde vamos?

7 Dias, 7 Vídeos é o resgate audiovisual semanal nos terrenos do hip hop e electrónica. Filtragem de qualidade, barreira contra a poeira que nos cega com tanto de novo, com tanto para espreitar e escutar.


[Standing On The Corner] “Angel (Life and Death of the Earth in the Key of F)”

Sem que se desse muito pela sua presença, os Standing On The Corner têm vindo a tornar-se num dos colectivos mais importantes na dinamização da estética lo-fi. “Girl” roda com bastante frequência por estes lados, o seu segundo álbum Red Burns foi um dos projectos mais elogiados pela Pitchfork nos últimos anos, foram recrutados por gente como Earl Sweatshirt ou Solange nos seus respectivos projectos a solo e as limitadíssimas tiragens físicas do seu ainda curto catálogo tem vindo a ser negociadas no Discogs por preços exorbitantes. Se ainda não entraram na onda, não deixem passar muito mais tempo, porque o futuro está a acontecer bem debaixo dos vossos olhos. Após quase três anos sem dar a conhecer novo material, o jovem ensemble de Nova Iorque está de volta: “Angel (Life and Death of the Earth in the Key of F)” conta com um videoclipe realizado por Gabriel Rodriguez-Fuller e protagonizado pelo actor Melvin Van Peebles e parece que a prolífica XL Recordings está metida ao barulho.


[slowthai] “BB (BODYBAG)”

Apostámos muitas das nossas fichas nele no arranque da sua carreira e, tal como prevíamos, agigantou-se no ano passado quando se mostrou ao mundo no álbum de estreia Nothing Great About Britain. Este aumento de dimensão traduziu-se não só no alcance da sua música mas também numa data de feitos importantes, principalmente se tivermos em conta que estamos perante um artista bastante jovem e vindo Northampton, Reino Unido — além de uma nomeação para o Mercury Prize, Tyron Frampton marcou presença em trabalhos de nomes incontornáveis da indústria, como Tyler, The Creator, BROCKHAMPTON, Kenny Beats ou Gorillaz. Em 2020, ainda só o tínhamos visto em interacções nas redes sociais mas a últimas semanas tiraram-nos rapidamente a sede: primeiro “ENEMY”, depois “MAGIC” e agora “BB (BODYBAG)”, que foi retratado em vídeo pelos habituais colaboradores THE REST em parceria com a AWGE, de A$AP Rocky, e tem Dom Maker, dos Mount Kimbie, na produção do instrumental.


[lemin.] “when i met you” feat. Sean Leon

Dói-nos na alma continuar a ver Sean Leon com tão fraco desempenho no que toca a views face à qualidade da música que nos apresenta. Talvez o plano seja mesmo esse. O canadiano que não quer ser uma celebridade tem lançado trabalhos irrepreensíveis nos últimos anos, como C.C.W.M.T.T. ou I Think You’ve Gone Mad (or Sins of the Father), contribuiu para discos de Kanye West e Daniel Caesar e reservou recentemente o dia 29 de Maio para a edição de um novo projecto em nome próprio. Entretanto alinhou ao lado de lemin. neste “when i met you”, provavelmente a canção de desapego mais bonita que vão escutar este ano.


[COLÓNIA CALÚNIA] “LOGO #5 (LADO NENHUM)”

COLÓNIA CALÚNIA é VULTO., L-ALI, Metamorfiko, Secta, Tilt, Caronte, Retarded Temaki, Jota, Can I e muito mais. E agora é também Pedro Mafama: o “fadista do apocalipse” uniu esforços com o homem sombra da produção naquela que é a quinta entrada da série de singles LOGO e também uma celebração do arquétipo de canção portuguesa, que tantas cambalhotas tem dado num passado recente com vista a reformulações dignas da era em que nos situamos. A mistura e masterização ficou ao cargo de Pedro Coelho Franklin e o vídeo é uma nova criação em ambiente 3D protagonizada pelo designer in-house do colectivo Sérgio Faria, recuperando uma estética semelhante àquela que foi explorada em “LOGO #3”.


[K.A.A.N.] “The Escape”

Ter Kendrick Lamar enquanto principal inspiração será provavelmente uma constante para muitos dos MCs que surgiram no radar após os sucessos planetários da estrela de Compton. Há quem o tente fintar com uma nova abordagem ao instrumental mas há também quem não tenha receio de mostrar a planta original na qual o seu estilo assenta. E se muitos torceram o nariz com o rumo escolhido por K.Dot em DAMN., K.A.A.N. parece ser neste momento a aposta mais certeira para aqueles que sonharam com uma sucessão diferente de To Pimp A Butterfly. Em “The Escape”, o rapper de Maryland volta a alinhar ao lado do veterano Dem Jointz, um dos “descendentes” da classe e mestria de Dr. Dre que tem vindo a deixar o seu nome inscrito em obras de Eminem, Anderson .Paak, ScHoolboy Q ou do próprio ex-NWA. Abram alas para Blissful Awareness, que chegará às malhas da Internet no final deste mês.


[Kenny Mason] “Firestarter”

Para a DJ Booth, “Kenny Mason é o som da mudança” e, para nós, a descrição não é nada descabida. O jovem rapper de Atlanta assegurou a distribuição da sua música pela Sony no ano passado e a jogada deu frutos instantâneos: “Hit” causou algum impacto nas plataformas digitais e também alguma expectativa em torno de Angelic Hoodrat, o álbum de estreia, que nos chegou aos ouvidos no mês passado. Agora é “Firestarter”, o tema de abertura, a ser alvo de destaque com o videoclipe a aterrar no YouTube durante a semana transacta. “Firestarter, flyer caught a flame, sayonara / Science, art and pain, every field I play in, I demolish” é uma prova concreta do potencial que o jogo de rimas de Kenny Mason consegue impor em cima de uma batida.


[Ovrkast.] “Face // Try Again” Ao Vivo @ Kinda Neat

No passado dia 8 de Abril, a sineta das notificações do nosso YouTube acusou um brilho especial. Mais de um ano após a última emissão, o podcast Kinda Neat regressou à actividade com a mesma premissa de sempre: dar a conhecer alguns dos talentos emergentes da música urbana, expressem-se eles através de canto, rap ou beatmaking. Foi por lá que os mais atentos apanharam pela primeira vez nomes como Anderson .Paak, Zeroh, JID, Ghostemane, Kali Uchis, Father, Night Lovell ou Tommy Genesis em acção e isso é garantia mais do que suficiente para subscreverem aos seus serviços de olheiro. Nesta segunda vida da rubrica digital já pudemos apanhar por lá lojii ou Zelooperz, artistas que também têm estado sob o radar do ReB, e chegou agora a vez de Ovrkast. brilhar, ele que é mais um nome associado à nova geração de MCs que está a fazer renascer o boom bap nos EUA e próximo do universo de Earl Sweatshirt, Mavi e Navy Blue, artistas com os quais tem colaborado recentemente.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira

Latest posts by Gonçalo Oliveira (see all)