2 Chainz // Rap Or Go To The League

[TEXTO] Moisés Regalado

As últimas entrevistas até podem mostrar um 2 Chainz mais focado nos seus designer shoes do que na música mas parece que não será bem assim — além disso, para que servem as entrevistas se não para apreciar o autor per se, deixando a obra falar sozinha? Percebe-se perfeitamente que 2 Chainz não esteja assim tão preocupado em vender Rap Or Go To The League com freestyles ou declarações polémicas sobre o seu lugar na cadeia alimentar: o homem que costumamos ver em vídeos sobre jóias, sapatilhas ou coisas caras no geral, fez o que tinha a fazer pela calada e entretanto apareceu com um disco que tem tudo para vir a ser uma verdadeira referência dos nossos dias.

Quando um dia perguntarem como era o hip hop de 2000 e poucos, podem até começar por Rap Or Go To The League. Além de 2 Chainz, ainda passam pelo microfone Young Thug, Travis Scott, Kendrick Lamar, Lil Wayne, Chance The Rapper, Kodak Black… Haverá lista de featurings mais representativa daquilo que tem sido o movimento? A equipa de produção alinhou alguns dos incontornáveis do costume, como Dem Jointz, Mike WiLL Made-It ou DJ Mustard, mas há tempo suficiente em Rap Or Go To The League para voltar ao início do milénio. “Forgiven”, “Rule The World” ou “Money In The Way” podiam perfeitamente ter saído de uma sessão de estúdio com Cool & Dre ou Kanye West (o de Graduation, claro), e chega até a parecer que Chance teria encaixado (ainda) melhor no instrumental desta última.



Para quem gosta sobretudo desses momentos em que o hip hop e a soul se abraçam e transformam num só, “Threat 2 Society” deverá ter um sabor especial. Afinal, não é todos os dias que se ouve 2 Chainz puxar do seu flow mais afiado para cuspir dicas como “I’m so famous, can’t even cough in peace” sobre um instrumental de 9th Wonder, aqui presente sem quaisquer vestígios de ferrugem. Claro que as passagens por Chicago ou pela Carolina do Norte não passam disso mesmo e que o novo disco do outrora Tity Boi vai sempre parar à sua Geórgia natal. As teclas e os graves sulistas marcam o tom para quase todo o alinhamento e, verdade seja dita, não há nada como ver um player a actuar em casa.

As clássicas “2 Dollar Bill” ou “Statute Of Limitations” funcionam como verdadeiros cartões de visita para o imaginário de 2 Chainz ou dos estados norte-americanos mais solarengos, só que as ruas já o conhecem de ginjeira e pedem mais — hinos para repetir até à exaustão, de preferência. Tudo bem: “NCAA” pode até nem atingir semelhante estatuto mas tem todos os ingredientes necessários para que assim seja. O tema e as referências, o instrumental e a entrega, o refrão e as linhas icónicas que todos vão cantar, como “Drop my album off the court and make ’em post it, yeah” — e, já agora, a entrada que faz lembrar “Gyalchester“.

2 Chainz, a.k.a. um dos melhores rappers dos dias que correm? Não necessariamente, mas depois de Rap Or Go To The League será difícil dizer que Tauheed Epps não é um dos melhores escritores de canções que por aí andam, ou que este não é um grande álbum de rap. À sua maneira, Rap Or Go To The League vem provar que mesmo adjectivos ou rótulos tão redutores como “grown man rap” podem ganhar, quando menos se espera, toda uma nova dimensão.


ReB Team

ReB Team

Facebook.com/rimasebatidas
Twitter: @rimasebatidas
Instagram: @rimasebatidas
SoundCloud.com/rimasebatidas
YouTube.com/c/rimasebatidas
Mixcloud.com/rimasebatidas
ReB Team