Vinicius Terra apresenta manifesto sobre a lusofonia em Eles Não Sabem a Minha Língua

[TEXTO] Núria R. Pinto [FOTO] João Gabriel Salomão

Com um longo percurso de trabalho dedicado ao estudo da lusofonia, dentro e fora dos discos, Vinicius Terra lançou Eles Não Sabem a Minha Língua, o seu novo álbum, na passada sexta-feira.

O rapper carioca, que é também um dos artistas em cartaz no Festival Iminente — sobe ao palco a 21 de Setembro –, chamou nomes incontornáveis do português que se canta pelo mundo: Lavoisier, Dino D’Santiago, Azagaia, Mynda’Guevara, Dexter, Karyna Gomes, Akira Presidente, CHS, Maze, Keso, Denise, Goribeatzz e Selma Uamusse representam Portugal, Cabo Verde, Moçambique, Brasil ou Guiné-Bissau, embora a “viagem” cantada se estenda para além do Atlântico e até à Ásia Lusófona, na sonoridade e nas próprias temáticas.

Em 10 faixas e aproximadamente 40 minutos, Vinicius Terra entrega uma obra que se passeia pelo boombap, trap, afrobeat, jazz rap ou o spoken word bastante característico do carioca, com um objectivo concreto: a descolonização da palavra lusofonia. “Acredito que hoje os países, outrora colónias, influenciam muito mais a cultura portuguesa do que Portugal em si, daí a urgência em descolonizar o termo lusofonia como algo ditado pela ‘descobridora’”, explica. Seguindo uma linha temporal, o álbum narra toda a história da língua portuguesa sob a óptica do rap desde o trovadorismo do século XII até o hip hop lusófono do século XXI, tendo a travessia como grande mote: “aquilo que chegou ao Brasil e nos transformou; aquilo que também se perdeu na confusão do Atlântico e precisa ser retomado/remontado.”

O curador do festival Terra do Rap chamou o produtor baiano Gabriel Marinho, sobrinho de Luiz Melodia, para assumir a produção do trabalho que construiu nos últimos dois anos. Destaque para as faixas “Eles Não Sabem a Minha Língua”, a love song “Morabeza” e “Nasce Um Novo Dia”, momentos em que o álbum se cumpre tanto na pluralidade de vozes como na fusão de géneros que dançam com o rap do MC do Rio de Janeiro.

Este sábado, às 18 horas, Vinicius Terra actua no Palco Cave do Iminente. No dia 27 de Setembro, o rapper faz a primeira parte do concerto de Keso no Plano B, no Porto.


Núria Rito Pinto

Núria Rito Pinto

Hip hop, r&b e brasilidades com tanta moderação quanto vontade. Fundou o clube de fãs da “Corda” do Boss AC, já comprou CDs pela capa e preferia comer douradinhos frios todos os dias do que ficar sem Spotify.
Núria Rito Pinto