Vasconcelos Crew: o takeover do rap nacional começa nas ruas de Coimbra

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Há um novo colectivo a praticar as artes do hip hop em Coimbra, um conjunto que reúne vários talentos das zonas centro e norte do país. A Vasconcelos Crew alberga rappers e produtores e serve de berço para algumas novas promessas musicais, apoiando-se na experiência de Haka e MCF, MC e produtor, respectivamente, que já se têm cruzado em vários trabalhos, inclusive na já extinta No Karma.

Tudo começou na Rua António Vasconcelos. “Em certa altura, todos lá vivemos em simultâneo enquanto estudantes ou depois de nos fixarmos na cidade após a conclusão dos estudos”, conta Haka – o mais experiente MC da Vasconcelos Crew – ao Rimas e Batidas referindo-se ao local que dá nome ao colectivo que agora representa. “Fui o primeiro a cá viver e conheci o MCF nessa fase, apenas e só através da internet”, lembra o rapper sobre o momento em que conheceu o produtor, formando assim a primeira parceria que viria a resultar neste novo colectivo. Na altura, ambos ingressaram na antiga editora No Karma e cruzaram-se na compilação de estreia do selo editorial e no EP de AVC – trio de ataque lírico onde Haka alinhava juntamente com Sarcasmo e Spasm. Foi também pela antiga editora que Haka se estreou a solo com a Mixtape Sixteen, que contou com alguns convidados como Tilt ou Nerve.

 



Agora juntam-se Claustro, Litos, Johnny Nolas ou Bruno – nomes mais recentes do movimento do hip hop nacional que prometem dar cartas neste colectivo – e já compilaram os primeiros temas num EP que surgiu na Internet ainda no início deste ano e que serve como apresentação de alguns dos integrantes desta crew.

“O EP representa o que a crew foi até agora. Isto é, compila faixas que foram sendo gravadas ao longo deste ano de existência enquanto crew de rap, e representa momentos tão distintos como o aparecimento do Litos e do Nolas ou a evolução do Claustro”, explica Haka ao Rimas e Batidas, aproveitando ainda para frisar o seu “regresso” ao trabalho após um período de 3 anos em que se encontrou mais afastado do hip hop, mas que ainda assim serviu para exorcizar alguns demónios e colocá-los em áudio para marcar este seu restart. A Purga foi editada no final de 2016 e teve apresentação ao vivo no passado dia 11 de Fevereiro, em Coimbra.

 



Purga era exactamente fixar esses assuntos e os que ficaram purgados durante o processo criativo no espaço-tempo de uma vez por todas. Acrescentando a isso, acho que se trata de um bom momento de rap, dentro do que me é permitido dizer sobre o meu próprio trabalho. Estou satisfeito”, explica o rapper sobre o seu momento a solo. O objectivo agora passa por “continuar com esse fluxo de trabalho” nos próximos projectos e encerrar este seu capítulo com o lançamento do trabalho em CD, aliado a alguns extras na parte do merchandise.

MCF será, juntamente com Bruno, responsável pelas batidas do colectivo. Embora não participem no EP de apresentação, é neles que o grupo confia a arte da produção das batidas. Bruno começou a produzir pouco antes da crew se oficializar e MCF tem assinado instrumentais para vários nomes do hip hop nacional independente como Tilt, Weis ou Diogo Divagações.

 


https://youtu.be/owOciUR_Edw?list=UUZrsR7omLPkpAtOW007cLTQ


Claustro é a coqueluche do grupo e tem-nos dado motivos para o mantermos debaixo de olho. A grande prova disso foi o seu desempenho no Desafio 16 Barras do Rimas e Batidas, que levou o nosso público a colocá-lo no primeiro lugar do pódio e, como prémio, teve direito a um kit da Sennheiser que certamente lhe poderá dar jeito no seu próximo passo: o seu EP de estreia.

Há ainda outros elementos cuja função “não passa apenas por rimar, nem passam por aí na sua maioria, mas que ainda assim têm um valor imenso nos bastidores”, conta Haka, com a promessa de que novos trabalhos surgirão no horizonte. Além do EP de Claustro, o rapper fala-nos ainda da sucessão da Purga, que será certamente um objectivo a cumprir, mas que é ainda cedo para adiantar mais pormenores.O projecto de estreia de Litos também estás nos planos, outra das metas do colectivo.

Além dos temas presentes no EP da Vasconcelos Crew, existem ainda outros brindes divididos entre as plataformas de YouTube e SoundCloud do grupo. Faixas soltas que vão servindo para exercitar e criar dinâmicas entre os vários membros.

Claustro também aproveita para ir mostrando trabalho antes do seu primeiro EP e podem ir acompanhando alguns dos temas nos quais tem trabalhado na sua página do YouTube. “Porque eu sou Vasconcelos Crew, mas tou na fase da experiência”, rima no mais recente “Neve no Telhado”, produzido por ELÓI.

Coimbra quer conquistar o seu espaço no rap nacional e o percurso inicial é mais que prometedor.

 


Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira

Latest posts by Gonçalo Oliveira (see all)