pub

Texto: ReB Team
Fotografia: Direitos Reservados

Um retrato tirado pelo Original Marginal.

Sinceramente Porto, a compilação que se propõe “a recuperar a identidade do rap portuense”

Texto: ReB Team
Fotografia: Direitos Reservados

Missão impossível para muitos, missão oficialmente cumprida por Keso no dia 1 de Julho. O rapper e produtor do Porto reuniu algum do talento da sua cidade em Sinceramente Porto, disco que, tal como nos confessou em Março passado, se propõe “a recuperar pelo menos a identidade do rap portuense, gravando, fotografando e expondo o máximo que pode estes nativos de uma cidade que como qualquer outra se faz das suas gentes”.

Roke, Fokus, Minus, Kaines, Berna, Pibxis, Tácio, Kapataz, Maze, DJ Guze, Auge, DJ Spot, $tag One, Barrako 27, DJ Dezanove, Rato 54, Enigmacru, Smélio, Ace, M’Cirilo, QVXNO, Lazy, Puro L, Dekor, Buster, Virtus, Palhetas, Riça, Fidbek, DJ Score, Mundo Segundo, Deau, Saloio, Sérgio Alves, Reis, Ricardo Martins e José Mariño (que dá voz à “Intro” e ao “Outro”) são os nomes que se dividem entre as rimas, scratches, linhas de baixo/teclas/guitarra e co-produções que preenchem os créditos desta ambiciosa empreitada que teve Marco Ferreira enquanto grande arquitecto.



“Sempre esteve nos meus [planos] divulgar a cultura hip hop e estamos numa altura, a meu ver, em que o Porto precisa de um boost, de uma wake up call, para os seus rappers e produtores. A humildade, o sotaque, a amalgama de estilos, a escrita e o carisma dos nossos é tão potencial que apelar à união e à interacção entre os demais é essencial para que não se deixem calar ou sentir-se esquecidos”, disse o autor de Ksx2016 ao Gerador, falando ainda da necessidade de juntar gerações: “O Porto tem um legado invejável dos melhores rappers e produtores deste país. A qualidade desses ‘históricos’ continua neles e não há necessidade nenhuma de os estar a encostar para canto quando eles continuam a ser melhores que maior parte dos novatos. Não fazia sentido juntar a malta sem colocar todos no mesmo ponto de partida, e daí a junção de nomes da ‘velha’ e da ‘nova’ escola ser essencial para uma compilação coerente, que abre uma porta do passado, do presente e do futuro”.

Na peça escrita por Carolina Franco, há ainda espaço para se ler declarações de Kaines, Riça, Ace e Barrako 27 sobre o projecto. Já podem comprar o CD na loja virtual da Paga-lhe o Quarto Records e, amanhã, dia 7 de Julho, a compilação ocupa a primeira hora do programa semanal do Rimas e Batidas na Antena 3.


pub

Últimos da categoria: Curtas

RBTV

Últimos artigos