Sexta-feira farta: novos trabalhos de Loyle Carner, Pivot Gang, Lizzo e Your Old Droog

[FOTO] Direitos Reservados

“Gangues” de Chicago a canalizarem a energia certa, um britânico em clara ascensão a firmar créditos, uma artista de Houston a mostrar bangers em catadupa e um MC nova-iorquino a demonstrar que, 25 anos depois da edição de Illmatic, ainda existe quem erga a mesma bandeira. É esta a introdução possível à colheita desta semana.

Erick Sermon (Vernia), 03 Greedo & Mustard (Still Summer In The Projects), Smokepurpp (Lost Planet), Nolan The Ninja (SPORTEE) e Kelsey Lu (Blood) completam o lote de sugestões da penúltima sexta-feira de Abril.


[Loyle Carner] Not Waving, But Drowning

Do Sul de Londres para o mundo, Benjamin Gerard Coyle-Larner trocou duas letras do seu nome e ingressou com sucesso na turma do hip hop consciente. Depois de Yesterday’s Gone, álbum que o elevou a um palco mundial, Carner volta a apostar na sensibilidade lírica aliada ao som de pontuação certeira, e traz amigos, como Jorja Smith, Jordan Rakei ou Sampha. Not Waving, But Drowning é o novo trabalho do perspicaz menino da mãe que, todos os Verões, coordena uma escola de culinária para crianças, e troca bilhetes dos seus esgotadíssimos concertos por t-shirts antigas de clubes de futebol. E soa tal e qual a isso.

[Pivot Gang] You Can’t Sit With Us

O título reflecte a atitude do colectivo de Chicago: se não és ambicioso e talentoso, não tens lugar na mesa. De Saba, Mick Jenkins e Smino a Kari Faux e Joseph Chilliams, o elenco do disco de estreia dos Pivot Gang é um “who’s who” das maiores promessas (e algumas certezas…) da cidade norte-americana que nos deu ícones como Common, Kanye West ou, mais recentemente, Chance The Rapper.  


[Lizzo] Cuz I Love You

Em sexta-feira santa, cimenta-se um novo ícone de uma realidade muito apregoada, mas muitas vezes sem representatividade real: na capa de Cuz I Love You, uma Lizzo nua é porta-estandarte dessa positividade. E a forma não se pode divorciar da substância: o seu primeiro álbum sob a chancela de uma grande editora documenta a revelação da natural de Houston que faz portefólio desde 2011 — rapper, cantora, flautista e mais. Estreou-se com o auto-explicativo Lizzobangers em 2013, seguindo-lhe mais um álbum e um EP. Num disco que testa diferentes registos (além da participação de Missy Elliott e Gucci Mane), a cantora consubstancia o seu fulgor vocal com o dinamismo rítmico.


[Your Old Droog] It Wasn’t Even Close

Ouvindo apenas uma das músicas do novo projecto de Your Old Droog, já estávamos vendidos. “RST”, faixa que tem contribuições de MF DOOM  e Mach-Hommy, é, sem grande sombra de dúvida, candidata a música rap de 2019, juntando três MCs singulares em cima de um instrumental de V Don. O haitiano-americano repete a dose em “Funeral March (The Dirge)”, mas a lista de convidados ainda contém os nomes de Lil Ugly Mane, Wiki e Roc Marciano, pesos pesadíssimos do underground norte-americano. Na produção, Daringer, Sadhu Gold, Evidence ou Tha God Fahim criaram as bases para as rimas cinematográficas (ou simplesmente gráficas) dos rappers em cena. 

ReB Team

ReB Team

Facebook.com/rimasebatidas
Twitter: @rimasebatidas
Instagram: @rimasebatidas
SoundCloud.com/rimasebatidas
YouTube.com/c/rimasebatidas
Mixcloud.com/rimasebatidas
ReB Team