Novo jazz londrino invade cartazes portugueses

[TEXTO] Rui Miguel Abreu [FOTO] Direitos Reservados

O anúncio, nos últimos dias, de concertos de The Comet is Coming (Hard Club e Lux, em Outubro próximo) e Ezra Collective (parte do cartaz da edição 2019 do Super Bock Super Rock) vem reforçar a ideia de uma verdadeira “invasão jazz britânica” nos próximos meses.

A vibrante cena Londrina de que em Dezembro último dávamos por aqui conta tem concentrado justificadas atenções por parte da imprensa mundial muito graças ao talento, ao carisma e à originalidade dos seus elementos-chave. Cena diversa em termos de género, com muitas artistas a imporem-se num meio tradicionalmente masculino, em termos culturais e, sobretudo, musicais, o novo jazz que emana de Londres para o mundo tem sabido escapar ao habitual e talvez até redutor circuito convencional dos festivais e clubes de jazz, procurando comunicar com outros públicos em diferentes contextos.



Prova efectiva disso é o que vai suceder em Portugal nos próximos meses, começando já com a presença de Kamaal Williams no cartaz do festival ID, que no final deste mês assenta arraiais no Centro de Congressos do Estoril. O produtor, teclista e multi-instrumentista que marcou a agenda editorial de 2018 com o lançamento do álbum The Return na sua própria Black Focus Records regressa assim ao nosso país depois de em 2018 ter marcado presença no Waking Life Festival, no Crato.

Anunciados para o cartaz da edição do NOS Primavera Sound em excitante formato XL, os Sons of Kemet de Shabaka Hutchings, que o ano passado lançaram Your Queen is a Reptile na histórica Impulse! logrando alcançar depois destacadas posições em muitas notáveis listas de melhores álbuns do ano, protagonizarão certamente uma das mais aguardadas passagens por Portugal deste lote de fresco talento jazz londrino. O grupo já se tinha apresentado na sua formação mais convencional no Festival de Músicas do Mundo, em Sines, em 2018, mas este regresso deverá acontecer com uma mais dilatada formação, com mais músicos em palco, o que para um projecto que já foi descrito como sendo capaz de evocar a força de “futuros carnavais” é bem capaz de ser uma incrível ideia.



Quem também já conhece o calor do público português é Nubya Garcia, saxofonista que o ano passado assinou uma explosiva passagem pelo Milhões de Festa, em Barcelos. Mas para 2019, Nubya é, para já, a campeã de presenças: ombreia com os Sons of Kemet no cartaz do NOS Primavera Sound, tem datas asseguradas para Julho no Musicbox, em Lisboa, e gnration, em Braga, e ainda fará parte do cartaz do Festival Nova Batida que terá a sua segunda edição em Setembro próximo, também na capital.

Nesse mesmo festival, Nova Batida, deverá também apresentar-se um dos nomes-chave deste imparável e multifacetado colectivo de músicos britânico que se divide em múltiplas entidades e projectos: Theon Cross é tubista e trombonista, editou o fantástico Fyah na Gearbox já em 2019, mas o seu som grave marca o pulsar de muitas edições de gente como Sons of Kemet, Moses Boyd, Nubya Garcia, Ezra Collective ou Makaya McCraven. O facto de ser um dos mais requisitados músicos deste lote diz muito da sua capacidade de se encaixar em diferentes registos, talento que, certamente, saberá aplicar em palco no contexto de um festival mais voltado para os prazeres da dança.



Entretanto, o Super Bock Super Rock anunciou a vinda ao nosso país do Ezra Collective. O projecto em que milita, entre outros músicos, Joe Armon-Jones, colaborou em 2018 com Jorja Smith e parece preparar novidades para os próximos meses, talvez um longa-duração para suceder a Juan Pablo: The Philosopher que já data de 2017. Será, por isso mesmo e previsivelmente, uma boa oportunidade para escutar este grupo a explorar novo reportório. A confirmar no próximo mês de Julho, na nova localização do Super Bock Super Rock, no Meco.

Yussef Dayes, artista que com Kamaal Williams compôs o projecto de curta-duração Yussef Kamaal, que em 2016 foi um dos primeiros a concentrar as atenções que se começavam a voltar para o que acontecia em pequenos clubes de Londres, graças à edição de Black Focus na Brownswood Recordings de Gilles Peterson, integra o cartaz da edição deste ano do Waking Life, festival que em Agosto leva ao Crato muitos nomes oriundos do universo da electrónica (e que em 2018 programou Kamaal Williams). O músico lançou o ano passado um projecto ao vivo registado nos estúdios de Abbey Road em que colaboravam Alfa Mist, Mansur Brown e Rocco Palladino, mas não se conhece para já o formato em que se apresentará no Crato.



E a compor este excitante ramalhete de propostas diferenciadas na agitada agenda musical nacional de 2019 há a já confirmada vinda ao nosso país de The Comet is Coming, trio de Shabaka Hutchings, Dan Leavers e Maxwell Hallett que acaba de lançar o extraordinário Trust in the Lifeforce of the Deep Mystery, uma vez mais através da Impulse!, álbum que, não nos espantaria, iremos certamente reencontrar nas listas que procurarem no final do ano resumir o melhor da colheita de 2019: The Comet is Coming tem passagem assegurada pelo Hard Club e pelo Lux em Outubro próximo, mercê de mais uma proposta do Gig Club.

Com vários cartazes ainda em aberto, é natural que esta lista se venha a dilatar nos próximos meses. A possibilidade de encaixar propostas vindas deste efervescente caldeirão de jovem jazz londrino em festivais de música electrónica (ID, Waking Life ou Nova Batida), de recorte mais “indie” e alternativo (NOS Primavera Sound) ou de apelo mais transversal (Super Bock Super Rock) e ainda fornecer talento para clubes e salas tão diferentes como o Musicbox e Lux (Lisboa), Hard Club (Porto) ou gnration (Braga) sublinha a inovadora ambição desta música, de chegar mais longe, de se recusar a ser limitada por fronteiras estéticas ou de se conformar com circuitos “tradicionais”. E por falar em circuitos tradicionais. curioso será perceber se a principal celebração jazz da capital, o festival Jazz em Agosto da Fundação Calouste Gulbenkian, encaixará alguma das propostas oriundas desta concreta cena londrina no seu cartaz de 2019. Uma questão que em breve será, certamente, respondida.



Para que melhor possam organizar as vossas agendas, ficam aqui as datas já conhecidas dos concertos destes jovens artistas britânicos:

  • Kamaal Williams – dia 30 de Março // ID, Estoril
  • Sons of Kemet XL – dia 6, 7 ou 8 de Junho // NOS Primavera Sound, Porto
  • Nubya Garcia – dia 6, 7 ou 8 de Junho // NOS Primavera Sound , Porto
  • Nubya Garcia – dia 11 de Julho // Musicbox, Lisboa
  • Nubya Garcia – dia 12 de Julho // gnration, Braga
  • Ezra Collective – dia 19 de Julho // Super Bock Super Rock, Meco
  • Yussef Dayes – dia 14, 15, 16, 17, 18 ou 19 de Agosto // Waking Life, Crato
  • Theon Cross – dia 13, 14 ou 15 de Setembro // Nova Batida, Lisboa
  • Nubya Garcia – dia 13, 14 ou 15 de Setembro // Nova Batida, Lisboa
  • The Comet is Coming – dia 16 de Outubro // Gig Club @Hard Club, Porto
  • The Comet is Coming – dia 17 de Outubro // Gig Club @Lux, Lisboa

Rui Miguel Abreu

Rui Miguel Abreu

Crítico musical desde 1989, Rui Miguel Abreu escreve atualmente para a Blitz e integra a equipa da Antena 3. De vez em quando também gosta de tirar o pó aos discos e mostrá-los em público.
Rui Miguel Abreu

Latest posts by Rui Miguel Abreu (see all)