Late Night Drive é o novo EP de rafxlp em estreia no ReB

https://soundcloud.com/rafxlp/sets/late-night-drive-ep/s-tNWPl

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Rafxlp acaba de fazer um novo upgrade ao seu catálogo pessoal com a edição de Late Night Drive. Nesta nova aventura, o produtor compila 5 batidas que servem como uma espécie de tutorial para quem ainda tenta decifrar as sonoridades do hip hop lo-fi.

Além de ajudar a gerir a s l o w h u s h, o produtor português residente em Hamburgo continua a explorar os universos da electrónica e hip hop através de novos lançamentos. Em menos de um ano, soma agora o sétimo projecto a solo num EP que nasce de um exercício auto-proposto em que veste a pele de um cientista do lo-fi e, através do corte e costura de samples, executa várias experiências na sua SP-404. Depois, veste-as com os acapellas que vai descobrindo no ciberespaço para que possam encaixar no tipo de sonoridade que aqui tenta demonstrar.

A faixa de introdução não podia ser mais explicita: “a bunch of ways to get a lo-fi sound”. Rafael explica o propósito desta escolha: “A voz na primeira faixa é tirada de um tutorial de YouTube de ‘como obter um som lo-fi’ que encontrei por acaso. É suposto representar o facto de eu neste EP ‘ensinar’ quem está a ouvir o que é lo-fi hip hop, mas numa de brincadeira, claro.”

“O meu primeiro passo é sempre um estudo do tipo de samples que quero usar, choppar uns quantos e a seguir escolher os que quero e preciso. A seguir, começo com um de cada vez a construir os drums e arranjar os acapellas (se for o caso). No fim, envio tudo para a minha SP-404SX e ‘estrago’ a mix com os efeitos que ela oferece até obter a vibe lo-fi que quero”, explica-nos o produtor. É este o processo de triagem dos sons que encontra online, até os passar para o bloco operatório do seu sampler da Roland, local onde se dá toda a montagem e processamento do tema com recurso aos efeitos nativos da máquina que tornam o resultado final numa mistura quente e crunchy q.b.. Bem ao estilo do vinil antigo, som de referência que caracteriza esta vertente do beatmaking.

Embora a musicalidade seja a língua oficial pela qual Rafxlp se expressa, as vozes que utiliza para adornar as suas composições são, maioritariamente, americanas. No entanto, o EP encerra embalado num doce e melódico fraseado em bom português: “A faixa com o sien é um remix de um tema que ele lançou há alguns meses chamado ‘s o z i n h o’, que está disponível no seu Soundcloud. É, sem dúvida, um dos meus sons preferidos dele pela simplicidade e paz que me transmite.”

Feitas as contas, o repertório do produtor continua em expansão e não mostra sinais de abrandamento. Os seus cantinhos no Bandcamp e SoundCloud albergam já um generoso número de temas que vão traçando os contornos sónicos pelos quais se rege. “É muito importante um artista ter o direito a decidir o que fazer com o que é seu e não estar dependente de decisões de terceiros”, revela à nossa redacção, falando ainda do espírito de entre-ajuda que se vive na s l o w h u s h onde, em conjunto com os outros membros, prepara um terreno propício a “oferecer a outros artistas os meios necessários para crescer em conjunto.”

Rafxlp encerra mais um capítulo no que a edições diz respeito e olha para o sucessor de pink everything pt.1 como uma das próximas metas a atingir, algo que não o irá descuidar das rotinas a que já tem habituado os seus ouvintes: “Visto que sou muito activo, vou lançado alguns projectos, como este EP, enquanto a continuação do meu ‘grande’ projecto não vê a luz do dia.”

 


Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira