Melhor ano de sempre? 2018 vai ter Travis Scott e Tyler, The Creator, Vince Staples e Joey Badass, .Paak e BBNG…

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Preparem as mochilas: 2018 ainda não completou o primeiro trimestre de ciclo e há já muitos concertos de hip hop agendados um pouco por todo o país. Algo que levanta novamente a questão com a qual nos temos vindo a deparar nas épocas mais recentes — é este o melhor ano de sempre para os amantes das sonoridades urbanas? Tudo aponta nesse sentido e há dois factores de grande peso nesta simples equação: se por um lado temos os grandes festivais a apostar cada vez mais na importação de grandes talentos à escala global — e aqui destaca-se o alinhamento de luxo no NOS Primavera Sound como expoente máximo desta premissa —, há também uma face cada vez mais patriota nos cartazes dos certames portugueses, que servem para demonstrar o bom momento de saúde que vive a música nacional. Afinal de contas, o que tem vindo a fazer-se cá dentro já não destoa do produto que nos chega de fora, sendo esta uma das grandes vitórias que a nossa nova escola de músicos e técnicos tem vindo a protagonizar.

2018 é um ano de pura tentação e não faltam artistas da nata do hip hop — nacional e internacional — a percorrer estrada dentro das nossas fronteiras. Entre estreias e repetentes, saltam à vista nomes como Skepta, Travis Scott, Anderson .Paak & The Free Nationals, A$AP Rocky, Tyler, The Creator, Vince Staples, Joey Bada$$ ou Vic Mensa. Num registo menos “tradicional”, BADBADNOTGOOD, Thundercat, Mount Kimbie, Nosaj Thing, LEFTO e Mykki Blanco vêm a Portugal demonstrar as várias ramificações que o hip hop alternativo pode assumir. E, claro, nunca é demais rever caras já nossas conhecidas, artistas que têm ajudado a elevar a fasquia do hip hop lusitano, como são os casos de Slow J, DJ Glue, Wet Bed Gang, Alcool Club, Jimmy P, Valete, Orelha Negra ou Sam The Kid e Mundo Segundo.

No decorrer de 2018 vão surgir ainda mais novidades, mas há já uma boa dose de razões para que a vossa casa seja o último sitio onde vão querer estar. Este é o roteiro com os eventos e concertos ligados ao hip hop mais relevantes em Portugal para os próximos meses. Já têm a agenda na mão?

 


[MARÇO]

Devido à proximidade a que nos encontramos do mês de Março, há já um alargado número de palcos com concertos marcados para deliciar os adeptos do hip hop. Em Lisboa e nos seus arredores, o que não falta são eventos de maior escala para fechar o primeiro trimestre do ano em grande forma. O Red Bull Culture Clash, Lisboa Dance Festival, Caparica Primavera Surf Fest, BEAT Street XXI ou o primeiro aniversário do Hip Hop Radio apresentam cartazes promissores — NAO, Nosaj Thing, ValeteCarlão, DJ Glue, Jimmy P, Orelha Negra, TNT, Fumaxa, Scorp, Harold, Slow J, Mishlawi ou xxoy são alguns dos nomes a ter em atenção nos cartazes.

Não é só de festivais que vive a capital e há alguns outros concertos a ter em mente para quem pretende viver o espirito do hip hop em Lisboa. Russ é o artista que tem Portugal inteiro a aguardar pela sua chegada ao Altice Arena. DJ Glue vai trazer a Soulection até ao Lux Frágil. Alexandre Francisco Diaphra — ou Biru, se preferirem — exerce a força da palavra no CCB. Ângela Polícia vai estrear-se no Musicbox num concerto com vários convidados e o ZDB aposta em Mhysa para uma das derradeiras noites de Março.

Nos outros pontos do país, vale a pena reforçar a importância do Tremor, que leva vários nomes de relevo à ilha de São Miguel, nos Açores, com Mykki Blanco ou os Ermo como principais destaques. 9 Miller vai marcar presença no Memories Bar em Vilamoura e Slow J desloca-se ao Pacha Ofir, em Braga, num evento que conta também com a presença dos Karetus e DJ Overule. Leiria recebe NERVE no âmbito do Clap Your Hands Say F3st! no dia 3 e a Skills Radio Show, de Mundo Segundo, celebra o seu segundo aniversário no Hard Club — além do veterano MC dos Dealema há Birro, Rato 54, B Quest ou DJ Guze na programação do evento. Os Alcool Club apostam numa dose dupla de concertos para o mês de Março: dia 10 tocam em Santiago do Cacém, num cartaz que conta também com Chyna e Fumaxa, e no dia 24 partem para cima, rumo ao Hard Club, desta vez acompanhados por ORTEUM, Subtil e Richard Beats.

 


[ABRIL]

Se o que procuram é festa rija, em Abril todos os caminhos vão dar ao Porto. É na Exponor, mais precisamente, que a Rádio Nova Era vai montar a sua gala de Melhores do Ano 2018, que combina uma entrega de prémios com várias actuações e uma after party. Das 20h do dia 14 às 6h da madrugada do dia seguinte, hip hop é o que não vai faltar por entre o alinhamento curado pela Nova Era — Bispo, GROGNation, DOMI, Jimmy P, Mundo Segundo, Piruka, Profjam, Valas e os Wet Bed Gang dizem “presente.”

Para aqueles que acham que o rapcore morreu, os Deez Nuts vêm a Portugal mostrar que essa é uma conclusão precipitada. Em Abril, o grupo australiano tem três datas agendadas para cobrir o país de norte a sul: dia 21 no Hard Club, 22 no RCA Club e 24 no Bafo de Baco.

 


[MAIO]

Não há, para já, previsões musicais para o quinto mês do ano, algo que certamente mudará com o aproximar da época em questão. O espírito do hip hop não deixará de ser celebrado e podemos já adiantar um evento que não passará despercebido. No capítulo da dança, é no Campo de Ténis da Maia que vão decorrer as provas finais para o Hip Hop Dance Championship. Dividido em três dias de competição, de 4 a 6 de Maio, o evento serve para apurar os campeões nacionais que irão representar Portugal no desafio mundial em Phoenix, Arizona, nos EUA. Além das batalhas nas vertentes Junior, Varsity, Adult, Mega Crew, Kids e Gold, não vão faltar também masterclasses e workshops que visam promover o lado mais didático do Hip Hop Dance Championship.

 


[JUNHO]

O aumento das temperaturas assinala o regresso dos festivais de Verão. O primeiro é o NOS Primavera Sound, que trará até ao Porto aquele que parece ser o cartaz mais apetecível do ano. Lembram-se das ideias que o Rimas e Batidas lançou para o ar com o Festival do Nunca? Parece que a organização do festival nortenho nos quis obrigar a riscar três desses nomes de uma assentada apenas. E como se não bastassem A$AP Rocky, Tyler, The Creator e Vince Staples, a eles juntam-se ainda Thundercat, Arca, Ibeyi, Kelela ou Jamie XX para a programação dos dias 7, 8 e 9 de Junho na cidade invicta.

Na capital, teremos o Rock In Rio, que também tem vindo a dar o braço a torcer para com o poder massivo do hip hop — Língua Franca, Mishlawi, Supa Squad, Dillaz, Bispo, DJ Kamala, Carlão e Blaya estão no alinhamento da edição deste ano.

 


[JULHO]

Se há mês favorito para os festivaleiros, esse será Julho, certamente. A qualidade será sempre discutível, pois está directamente relacionado com os gostos de cada um, mas quantidade é algo que não falta para o arranque da segunda metade do ano.

O Sumol Summer Fest trata de dar as boas vindas a Julho, com Joey Bada$$, French Montana, Vic Mensa ou os Wet Bed Gang enquanto principais fontes de calor para os dias 6 e 7. Segue-se o NOS Alive, que parece ter deixado o hip hop internacional praticamente em exclusivo no Porto. O que é nacional também é bom e Holly Hood, Orelha Negra, DJ Glue, SP Deville, Fumaxa, Dead End ou Here’s Johnny juntam-se a Sampha e Khalid nos três dias de festival.

Do EDP Cool Jazz há, para já, uma confirmação que vale a pena apontar na agenda: no dia 17, os BADBADNOTGOOD vão até ao Parque Marechal Carmona, em Cascais, para se apresentarem ao vivo em Portugal depois da presença no Vodafone Paredes de Coura na edição do ano passado. No MEO Marés Vivas, em Vila Nova de Gaia, destaca-se a actuação de Richie Campbell no dia 20, com o Festival de Músicas do Mundo de Sines a importar as Baiana System. A música volta a fazer-se ouvir em pleno Atlântico em Julho, com o NOS Summer Opening a levar Piruka, Slow J e os Wet Bed Gang do continente até ao Funchal.

O cartaz do Super Bock Super Rock ainda está em mutação mas as atracções no capitulo do hip hop são já suficientes para deixar Lisboa em alerta — ao ontem anunciado Travis Scott, somam-se os já conhecidos Anderson .Paak & The Free Nationals, Oddisee & Good Company, Sevdaliza e Slow J.

 


[AGOSTO]

Apesar de ainda ser um mês bom para os festivais, a distância temporal que nos separa de Agosto impede-nos de conhecer já os cartazes completos do MEO Sudoeste, Vodafone Paredes de Coura e O Sol da Caparica. Sem entrar em previsões, há pelo menos alguns exemplos que nos vão dando indícios de que o hip hop tem também uma palavra a dizer nos três pontos distintos do país. Skepta é o nome de peso a tomar de assalto Paredes de Coura a 17 de Agosto, o mesmo dia que levará Jimmy P até ao festival da Margem Sul. No festival que se realiza anualmente na Zambujeira do Mar, Marshmello e as frescas aquisições de Mundo Segundo & Sam The Kid, Piruka e Wizkid colocam novamente o MEO Sudoeste entre as paragens obrigatórias de 2018, no que ao hip hop diz respeito.

 


[SETEMBRO]

Para a despedida dos festivais de Verão temos a primeira edição do Nova Batida. O evento pretende celebrar a cultura dos ritmos e soa a promissor para um futuro grande palco do universo hip hop. Nesta estreia há já alguns nomes que apontam para esse caminho – LEFTO, Mount Kimbie e Gilles Peterson são algumas das presenças no cartaz para os dias 14 e 15 de Setembro.

No dia 19, DJ Kamala vai curar uma festa de arromba para celebrar os seus 20 anos de carreira. Com lugar no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, não há ainda pormenores revelados sobre o que vai acontecer no evento, embora o conceito esteja já lançado: ao palco subirá um convidado por cada ano de carreira que completa Kamala.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira

Latest posts by Gonçalo Oliveira (see all)