pub

Frankie Baptista convida Gson para o primeiro single do trabalho de estreia

[FOTO] Direitos Reservados

“Good Vibes” é o single de estreia de Frankie Baptista, o músico de 18 anos que quer levar a guitarra para o hip hop. Para colaborarem neste primeiro avanço, o guitarrista chamou Forever Suave e Juzicy Beatz para a produção do tema e Gson para emprestar a voz, uma reunião com três dos artistas portugueses mais talentosos no panorama nacional.

O Rimas e Batidas esteve à conversa com Frankie e falou sobre a génese do projecto, o EP de estreia e “Good Vibes”, uma faixa que condensa o melhor do R&B feito em Portugal:


frankie-2


[A GÉNESE]

“Este projecto baseia-se no uso de um vocoder e da guitarra. Costumo usar o termo, inventado por mim (risos), GuitArtist, que significa que quero tornar a guitarra (no meu caso) como se fosse o vocalista de uma banda, tipo um frontman. Quero dar mais ênfase à guitarra. Mas isto sou eu, vai haver de certeza pessoal de opinião diferente, mas este é o meu ponto de vista. Para mim, o essencial hoje em dia é ser inovador. That’s the keyword. Inovação. Quando estou a criar sonoridades, tento sempre ‘descolar’ do que já existe e fazer algo novo. É também minha ambição fazer deste projecto internacional e dar concertos com um baterista a acompanhar-me.”

“Este projecto surgiu no seguimento de eu estar a trabalhar com alguns produtores, a gravar guitarras para alguns artistas e de querer destacar ainda mais o meu instrumento, a guitarra, no ramo do hip hop/ r&b. Sou da opinião de que deviam existir mais ‘músicos’ a fazer parte do universo cultural do hip hop. Escrevo, maioritariamente em inglês, pontos de vista que eu tenho sobre a vida, coisas do meu dia-a-dia, histórias verídicas e utilizo um vocoder para me auxiliar transformar essa escrita em melodia. Para quem não sabe, um vocoder é um instrumento analisador e capaz de sintetizar a voz humana, funcionando como um codificador vocal. Torna a voz humana numa voz sintetizada. Eu utilizo o Boss VO-1, pedal que, conectando um microfone e a guitarra, transforma as melodias que eu toco e tudo o que eu falo num som parecido a um sintetizador antigo. Ou seja, estou a tocar as melodias que estão na minha cabeça e a gravar a voz ao mesmo tempo, sempre.”

[O TRABALHO DE ESTREIA]

“Penso que o nome ‘álbum’ é demasiado para o que pretendo lançar neste momento. Talvez EP seja o nome mais adequado para este primeiro projecto. Na minha opinião, um álbum é algo maior que exige uma condução lógica na qual as músicas estão interligadas entre elas. O que não vai ao encontro do que vai acontecer. Eu vou lançar uma compilação de faixas (ainda não sei quantas) que reflectem apenas o que “me vai na alma” enquanto estou em estúdio a gravar. Ainda não tem título, mas provavelmente irá sair durante este Verão. Vão sair 2 ou 3 singles e depois lanço o resto apenas em formato digital.”

“Nem todas as faixas do EP vão ter participações, mas podem surgir surpresas. Os instrumentais estão a cargo de alguns produtores com os quais fui trabalhando e conhecendo.”

[O PRIMEIRO AVANÇO COM PARTICIPAÇÃO DE GSON]

“Neste single, “Good Vibes”, o beat advém de uma colaboração entre o Forever Suave e o Juzicy, dois grandes produtores que admiro. O convite ao Gson para participar nesta faixa surgiu naturalmente. Eu sou grande fã do trabalho dele há algum tempo, o timbre dele e a maneira como joga com as palavras é impressionante, para mim. Conheci-o, trabalhei em temas a solo dele e com os Wet Bed Gang, e achei que seria uma possibilidade de colaboração. A partir daí, as coisas foram acontecendo. Eu já tinha a minha parte escrita e o tema mais ou menos estruturado. Ele deu o seu toque especial à faixa. E se eu vos contasse a forma como ele trabalha… Como podem ouvir, ele na “Good Vibes” diz ‘Eu só estou no estúdio, boa vibe e Don Simon’. Ele trabalha literalmente assim. Ele vai para estúdio, bebe sangria e grava de freestyle (sim, de freestyle). É impressionante. Não precisa de fazer o trabalho de casa, de estar a escrever antes de ir para o estúdio. Sai-lhe tudo de improviso. Um talento nato mesmo. Que rapper é que grava assim? O Gson.”

“Não posso esquecer o excelente trabalho da Rewire Studios no vídeo. Sei que tiveram muito trabalho na edição e ficou altamente, na minha opinião. Também quero agradecer ao Michael Ferreira, que literalmente passou as minhas ideias do papel para os speakers, misturando e masterizando na Sine Factory.”

 


pub

Últimos da categoria: Curtas

RBTV

Últimos artigos