7 Dias, 7 Vídeos

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Era digital, informação à velocidade da luz. Vídeos e músicas a soçobrar pelas plataformas virtuais. Novidades emaranhadas entre si, confusão sónica, sentidos desorientados. Quem nos guia? Por onde vamos? Para onde vamos?

7 Dias, 7 Vídeos é o resgate audiovisual semanal nos terrenos do hip hop e electrónica. Filtragem de qualidade, barreira contra a poeira que nos cega com tanto de novo, com tanto para espreitar e escutar.

 


[Domo Genesis] “ONLINE”

O final desta semana vai trazer-nos Facade Records. O próximo EP de Domo Genesis vem com o selo da Odd Future e sucede a Aren’t U Glad You’re U?, mixtape disponibilizada gratuitamente em Janeiro e que colocou o rapper lado a lado com Evidence, que cedeu todas as batidas para o projecto. “ONLINE” é o primeiro avanço de Facade Records, que vai contar com os The Futuristiks na produção executiva — a dupla conta com créditos em temas de 2 Chainz, BJ The Chicago Kid, The Game, Curren$y ou Snoop Dogg. O projecto chega no dia 7 de Dezembro e tem Buddy, Cozz, IDK e King Chip como convidados vocais e DJ Khalil, Kill, Sam Wish e Tariq Beats nos beats.

 


[Serial Killers] “WAR”

Xzibit está de volta. O veterano rapper de Los Angeles junta-se a B-Real e Demrick nos Serial Killers, que aproveitaram o Dia de los Muertos para lançar o terceiro disco. Day of the Dead conta com sete temas e foi antecipado por “Get Away With It”. “WAR”, acrónimo para “We Are Ready”, é o segundo single do projecto.

 


[B.E.N.N.Y. The Butcher] “Broken Bottles” (Prod. The Alchemist)

A Griselda Records está a viver mais um ano de sonho. Para Benny, 2018 teve um sabor ainda mais especial: Tana Talk 3 marcou a estreia do rapper de Buffalo nos álbuns e teve Daringer e The Alchemist na produção, com Royce Da 5’9”, Meyhem Lauren, Westside Gunn, Conway e Mélanie Rutherford enquanto convidados. “Broken Bottles” foi o mais recente dos 14 temas a ingressar no capítulo do audiovisual e tem Benny a disparar rimas num clima tenso providenciado pela batida de “Uncle Al”.

 


[Amaral] “Hora e Meia” (Prod. Here’s Johnny)

Vitó é quem assina o videoclipe para a canção mais rodada de Últimos Dias. Em menos de três minutos, Amaral faz um apanhado de histórias para “Hora e Meia” de conversa, captadas pelas antenas de quem é incapaz de se desligar das ruas e de tudo o que se passa nelas. A produção ficou a cargo de Here’s Johnny, homem do leme na Superbad. Stone Jones, sleepinpatterns e WholeLife também cederam batidas ao rapper da Linha da Azambuja nos seus Últimos Dias.

 


[Vado Más Ki Ás] “Brincar É No Parque”

Vado Más Ki Ás não está para brincadeiras. É a partir da Damaia que nos acena um dos MC que actualmente mais brilha na esfera hip hop em Portugal, ele que tem amealhado vários dos singles que mais passam pelos ouvidos do público no último par de anos. Durante a semana passada, Vado brindou-nos com mais dois temas novos: “Vai” é o primeiro tema da banda sonora original para o filme Gabriel e “Brincar É No Parque” mais uma faixa solta no catálogo do rapper, que voltou a contar com Katana Produções na retaguarda e Dre Lopez na realização do vídeo.

 


[Biya] “Paper”

Se 2018 serviu de palco para o novo talento feminino no panorama nacional, Biya é uma das mais fortes a surgir dessa conjectura, e Agir teve ouvido apurado na altura de formar o plantel que serve de base para a sua Real Caviar, escolhendo a cantora e MC como artista principal neste arranque do seu projecto editorial. Gerssis e Cheezy Ramalho assinam a realização deste “Paper”, gravado em Londres, o terceiro videoclipe de Biya em ano de estreia. Holly e Jon, seu habitual colaborador, delinearam a batida da música.

 


[sien] “O.M.V.G.”

sadboynotsosadtobehonest foi o EP instrumental que sien nos deu a conhecer em Agosto. Em “O.M.V.G.”, o artista de Gondomar regressou às origens para traduzir novamente os sentimentos por palavras próprias, em cima de uma batida também por si delineada. Ana Pinto auxiliou sien na concepção do videoclipe do tema que antecipa a vinda de um novo projecto e cujo título serve de acrónimo para “O Meu Vazio é Gigante”.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira

Latest posts by Gonçalo Oliveira (see all)