Wendy Carlos, pioneira da música electrónica, homenageada com biografia

[TEXTO] Rui Miguel Abreu [FOTO] Direitos Reservados

Wendy Carlos, que nasceu Walter Carlos em 1939, em Rhode Island, Estados Unidos, é uma das mais reverenciadas pioneiras da música electrónica tendo sido determinante para a afirmação, ainda na década de 60, das potencialidades da criação de Robert Moog, que lançou um dos primeiros sintetizadores disponíveis comercialmente. O álbum Switched on Bach, lançado em 1968, foi determinante para mostrar o que era possível fazer com o instrumento imaginado pelo inventor nova-iorquino e revelou-se um enorme sucesso comercial.

A música que Wendy criou e lançou antes de assumir a sua condição transgénero, sobretudo as bandas sonoras que assinou para os filmes A Clockwork Orange (1971) e The Shining (1980) ajudaram a criar a fórmula tantas vezes seguida de música electrónica como a mais perfeita para ilustrar distopias ou filmes de tensão psicológica. Carlos assinou também a música da versão original de Tron para a Disney, em 1982, cimentando igualmente a ligação entre a electrónica e a ficção científica.

Na primeira biografia dedicada a Wendy Carlos, a sua vida e obra são analisadas com detalhe, desde os seus estudos na Universidade de Colômbia à sua celebrada carreira com que obteve considerável sucesso: os seus primeiros registos surgiram numa era de profundas transformações tecnológicas e de enormes progressos científicos (corrida ao espaço, computadores pessoais, telecomunicações por satélite, etc) e a música que compôs e lançou traduzia na perfeição as promessas do futuro. No documentário da BBC Synth Britannia, músicos como Philip Oakey dos Human League não poupam elogios a Carlos, apontando a adaptação cinematográfica da obra literária de Anthony Burgess pelo realizador Stanley Kubrick como o seu primeiro contacto com o pulsar particular da música electrónica.

Este será o primeiro livro de Amanda Sewell, que, como explica a revista britânica Wire, é directora musical da Interlochen Public Radio, no Michigan. O livro será lançado no próximo dia 2 de Março e já está disponível para encomendas no site da Oxford University Press ou na Amazon.


Rui Miguel Abreu

Rui Miguel Abreu

Crítico musical desde 1989, Rui Miguel Abreu escreve atualmente para a Blitz e integra a equipa da Antena 3. De vez em quando também gosta de tirar o pó aos discos e mostrá-los em público.
Rui Miguel Abreu