Texto de

pub

vulto_secta_marcha_review

 

[TEXTO] Gonçalo Oliveira

 

O universo das multies nunca pareceu tão grande como agora. Já são poucos os MCs a ter sucesso ao investir nessa área. No desenvolver dos temas parece que já vamos adivinhar a rima seguinte, não surpreende como surpreendia antes. O que tem afinal o Secta de diferente que nos faz colar à letra? A sua atitude punk e uma boa dose de imaginação, capaz de nos fazer dar voltas e voltas na cabeça a pensar em algo do género: como é que nunca ninguém se lembrou de dizer isto? Pois é, mas ele chegou lá. E chegou primeiro.

O rapper da Marinha Grande tem sido uma das pessoas no hip hop nacional que mais fora da caixa tem pensado. Uma forma singular no que toca à escrita, deixa-nos indecisos quando queremos citar alguma passagem de tantas frases soltas de grande qualidade que encontramos pelos seus textos. A escolha dos beats também tem um grande peso, podemos ouvir uma selecção arriscada de sucesso em King Kong VS. Godzilla, por exemplo.

É aqui que entra VULTO., dono de uma fórmula, também ela muito própria, de fazer instrumentais à medida do MC e que leva à exaustão quem neles se atreve a rimar, faz puxar pela cabeça. E muito. E de duas pessoas com formas tão únicas de trabalhar na sua arte só poderia sair algo que nos metesse a marchar.

“Pés assentes. Cada vez que trago dicas sei que vou matar, consciência pesa sempre”. Apesar das várias viagens que as suas mentes possam realizar, a cabeça está no sitio e existe um propósito para fazer bem e diferente. Cortar cabeças aleatórias e guardá-las como troféus. Ultrapassar as causas naturais que exercem a força que não permite que o underground chegue ao de cima. Contrariar as tendências e chegar aos ouvidos certos para converter mais crentes. É a Marcha!

É a revolução industrial dentro do hip hop. Cérebros com capacidade e velocidade de processamento dignos de uma máquina. Batidas lentas com vestígios glitchy que nos fazem pensar em mórbidas linhas de montagem. Voz tratada com efeitos, meio robotizada, meio alienígena. Há lugar para todos neste carrossel velho, cansado e usado. Que, para estas pessoas, é como se fosse novinho em folha. Usem e abusem. Façam parte da mudança porque ela vai fazer parte de vós.

 

pub

Últimos da categoria: Críticas

RBTV

Últimos artigos