TV Chelas: a delícia dos nerds do hip-hop

[TEXTO] Ricardo Farinha [FOTO] Direitos Reservados

Para os menos atentos, Sam The Kid estreou esta semana um projecto de que já se falava há mais de um ano no circuito interno do hip-hop nacional – a plataforma online TV Chelas. O site estreou-se com uma intro audiovisual com imagens do rapper/produtor no mítico “quarto mágico”, na rua e em concertos, acompanhadas por um beat feito por si. Era a introdução para o que viria a seguir, nesta plataforma que STK dizia há tempos querer alimentar com conteúdo praticamente diário.



 

No segundo dia: boom! Chega ao YouTube e à TV Chelas o single “Caravana”, em que Sam The Kid partilha um instrumental da sua autoria com Boss AC, num registo boom-bap, com um vídeo de recorte clássico, a preto e branco, realizado por Francisco Gomes, cuja lente tem acompanhado Samuel Mira nos últimos tempos. Ouve-se a voz do falecido Snake no início e são inúmeros os intervenientes do hip-hop alfacinha que aparecem a dar a cara nem que por uns meros frames no tratamento audiovisual de “Caravana”.

Os seguidores, nas redes sociais, começam a ficar entusiasmados com o projecto e elogiam um regresso do Mandachuva a um rap puro e cru, mas não lhes passa pela cabeça o que aconteceria no dia seguinte, simplesmente por não estarem habituados a tantas novidades seguidas vindas de apenas um sítio. E aí estará, com certeza, uma das razões para a plataforma ter demorado o seu tempo a chegar – Sam já deverá ter conteúdo suficiente em stock para não ter de estar preocupado a trabalhar directamente em novos conteúdos de uma forma diária.



 

Ao terceiro dia, a TV Chelas lança o primeiro “Na Mira”, a rubrica de entrevistas/conversas onde Sam The Kid fala com pessoas que admira e em que pergunta curiosidades muito pessoais e específicas sobre o seu percurso e carreira. Sam apresenta, a olhar de forma directa para a câmara, Boss AC, o primeiro convidado, e a entrevista, qual aula de História, de quase uma hora e meia, faz a delícia de todos os nerds do hip-hop tuga.

O nível de especificidade é tão elevado que se aborda quem são os convidados desconhecidos que Boss AC já teve em discos, a forma de dar concertos no início da carreira, as demos das músicas de AC, a utilização de diferentes vozes e línguas, os samplers e as caixas de ritmos, a maneira como se afiliou às editoras e gravou os seus trabalhos, e histórias perdidas como apenas Sam, um super-estudioso-dedicado do hip-hop tuga, que não hesitou anos a fio a gravar em VHS entrevistas e programas televisivos com participações de rappers, DJs ou produtores portugueses; uma pessoa tão imersa e interessada no meio para saber de todos os episódios que circulavam boca-a-boca no underground da cultura; poderia saber.



 

O arquivo de Samuel Mira é enorme – em valor quantitativo mas também qualitativo – e deverá ser por aí, para sorte de todos nós, que deverá também passar a actualização da TV Chelas – com conteúdos inéditos nunca lançados (imagine-se as possibilidades), antigos programas televisivos, demos perdidas no tempo ou ainda filmagens pessoais da sua autoria.

Simultaneamente, e como faria sentido, o lançamento da TV Chelas marca (finalmente) a chegada de Sam The Kid às redes sociais num sentido profissional, com uma conta de Facebook oficialmente verificada (que agregou seguidores de antigas páginas de fãs – não estranhem, caros leitores, vocês já tinham colocado like), o canal de YouTube da TV Chelas e até uma conta na Audiomack, onde se pode descarregar gratuitamente a faixa solta com Boss AC.

Recorde-se que este não é o primeiro sinal que temos do facto de Sam The Kid querer partilhar online e com o público as conversas que terá, certamente, no dia-a-dia com o seu núcleo mais íntimo de malta do hip-hop; nomeadamente sobre pormenores ou assuntos mais técnicos. Samuel Mira era o autor do blog Neuronewz, onde partilhava curiosidades sobre rap, opiniões suas ou coisas que andava a fazer – por exemplo, os podcasts dos Orelha Negra, e a única rubrica existente que falta estrear neste momento na TV Chelas é precisamente a dos podcasts.

É óbvio que, a um nível internacional, não é algo novo – talvez Dr. Dre na Beats 1 seja o maior exemplo – mas é totalmente inovador para alguém no hip-hop português (e não só!) criar uma plataforma deste género, com rubricas de autor, de forma completamente independente. Também pelos motivos óbvios de serem necessários meios e reconhecimento e experiência para isso. Mas, acima do resto, os ingredientes-chave, que se notam à distância, são o gosto e a dedicação por tudo isto. É também Sam The Kid a aproveitar as potencialidades da Internet em nome próprio, como têm feito, noutras áreas, pessoas como Rui Unas, por exemplo, no seu podcast Maluco Beleza.

Aqui, no Rimas e Batidas, aguardamos impacientemente por novos conteúdos e temos todos o televisor ligado na TV Chelas. Arrisco dizer que, no meio da comunicação e do espaço mediático da cultura hip-hop portuguesa, vai haver um período pré-TV Chelas e uma era pós-TV Chelas. A mudança acabou de acontecer e este é um marco enorme. Esperemos que a porta do “quarto mágico” fique sempre, pelo menos, entreaberta. Os nerds do hip-hop estão à espera de mais, Samuel!

Ricardo Farinha

Ricardo Farinha

Jornalista. Colabora desde os 18 anos com várias publicações culturais — as rimas e batidas sempre foram inerentes à vida.
Ricardo Farinha