T-Rex no Musicbox: uma descarga eléctrica para pôr Lisboa em sentido

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [FOTOS] Ricardo Constantino

Construir sem fugir da orientação inicial: a Real Caviar criou as Saucin’ com o objectivo de juntar MCs, beatmakers e DJs num ambiente seguro para todos, e que proporcionasse um crescimento sustentado. Numa quinta-feira à noite em Lisboa, o exercício pode nem sempre ser fácil, tendo em conta a adesão dos vários tipos de público que vão à procura de cenários completamente diferentes, mas dar continuidade é, só por si, uma prova de resiliência que merece aplausos, ainda para mais quando se fala em apoiar o talento português.

Quando entrámos no Musicbox, Mizzy Miles e o veterano DJ Kwan comandavam os grupos de pessoas que se espalhavam pelo espaço, passando música de nomes como Skepta, Desiigner, Tyga ou French Montana, o aquecimento devido antes da entrada de T-Rex e da sua Mafia73.

Numa actuação intempestiva que meteu o staff do Musicbox em sentido — parecia que nunca tinham recebido um concerto de bandas de punk, por exemplo –, o autor de Chá de Camomila mostrou alguns dos argumentos que o elevam a herdeiro natural da linhagem da Força Suprema e foi recebido com bastante entusiasmo por uma plateia que sabia praticamente todas as letras do seu mais recente EP e não só (as canções de Andromeda, projecto do colectivo, também não passaram despercebidas). Houve tempo para mosh pits, subidas para cima da mesa do DJ e balanços mais sensuais, numa troca de energia constante entre um palco cheio e uma audiência a ferver.

Depois de Biya, Harold, Lon3r Johny, Jair MC, rkeat, Fumaxa ou benji price, a aposta em T-Rex comprova a visão da recém-criada produtora e editora. Se fôssemos caça-talentos de uma major, não falharíamos qualquer sessão: é possível que a próxima grande estrela passe por aqui.