pub

Sexta-feira farta: Novos trabalhos de Vince Staples, DJ Khaled, Bone Thugs-N-Harmony e Jarren Benton

[FOTO] Ricardo Miguel Vieira

Têm sido sextas-feiras loucas, com muitos artistas a apostar neste dia da semana para editar os seus novos trabalhos. Hoje não foi excepção e, como tal, a equipa do Rimas e Batidas faz uma nova triagem aos lançamentos mais importantes do dia.

Começamos por dois dos álbuns mais aguardados nos últimos meses. Vince Staples chega com a sua Big Fish Theory para comprovar que tem uma ideia clara do que serão os sons do futuro. Já DJ Khaled parece estar cada vez mais gordo, no que a colaborações diz respeito, claro. E antes que se belisquem ao ver o alinhamento de Grateful, damos-vos de ante-mão a garantia de que é uma tracklist bem real.

Os Bone Thugs-n-Harmony regressaram com um novo LP e Jarren Benton continua igual a si próprio – ou seja, selvagem. Há ainda um brinde da Mass Appeal que já disponibilizou a banda sonora completa da 4ª temporada de Silicon Valley. O mais recente single contou com o contributo dos Wu-Tang Clan.

 


[VINCE STAPLES]

O que podemos exigir a um rapper que assina pela Def Jam aos 20 anos de idade? Que nos indique o caminho a seguir e nos revele como vai soar o futuro. Eram certamente estas as premissas que Rick Rubin e Russel Simmons tinham em mente quando fundaram a editora, e a linha de raciocínio que No I.D. segue para capturar talentos para o histórico selo nova-iorquino.

Depois da bem sucedida estreia com Summertime ’06, Vince partiu à descoberta do maravilhoso mundo dos produtores. Vimo-lo explorar sonoridades em diversos singles, levando ainda a cabo uma experiência mais séria com o EP Prima Donna. No caminho encontrou Zack Sekoff, arquitecto de batidas com um currículo ainda obscuro, que ganha lugar de destaque em Big Fish Theory ao assinar a produção de 5 das 12 faixas do álbum. Justin Vernon, frontman nos Bon Iver, Flume e SOPHIE entram também nas contas e ajudam Vince a fazer mais um projecto com um cunho bastante singular. Kendrick Lamar, A$AP Rocky, Juicy J ou Ty Dolla $ign são alguns dos artistas que embarcam com o rapper num passeio pela máquina do tempo até ao ano de 3230.

 


[DJ KHALED]

DJ Khaled tem o dom de se superar de forma constante. Se a cada álbum que lança nos possa ocorrer a ideia de que reuniu a melhor equipa de sempre, o seu lançamento seguinte volta a subir ainda mais a fasquia. Falta-lhe talvez conhecer Vince Staples. Para que possa também recuar e avançar no tempo para recrutar MCs que não se encontram no planeta Terra neste momento.

Agora mais a sério: Sizzla, Jay Z, Beyoncé, Rihanna, Bryson Tiller, Justin Bieber, Quavo, Chance The Rapper, Lil Wayne, Travis Scott, Rick Ross, Big Sean, Nas, Betty Wright, Alicia Keys, Nicki Minaj, Calvin Harris, Jeremih, Future, PARTYNEXTDOOR, Kodak Black, Migos, Pusha T, Jadakiss, Fat Joe, Raekwon, Gucci Mane, Yo Gotti, 21 Savage, T.I., Young Thug, 2 Chainz, Belly, Mavado, Asahd Khaled… Será que Grateful cabe no telemóvel?

 


[BONE THUGS-N-HARMONY]

Os mais experientes a surgir hoje na nossa lista são sem dúvida os Bone Thugs-N-Harmony. No inicio da década de 90 era Eazy-E que os descobria e os assinava na sua Ruthless Records. Uma relação que viria a culminar em 5 álbuns editados, o último deles em 2007.

O grupo conta já com mais de duas dezenas de edições, com o último LP a surgir no ano de 2013. E apesar dos altos e baixos na carreira, há um agradável número de singles dos Bone Thugs-N-Harmony que ficarão imortalizados na história e que, independentemente da idade, vão somando largos milhões de reproduções graças às memórias que o YouTube alberga.

Quatro anos após Art Of War WW III, eis que o colectivo regressa munido de vários argumentos de peso. Stephen Marley, Jazze Pha, Bun B, Yelawolf ou Jonathan Davis, dos Korn, ajudam os Bone Thugs a abraçar as sonoridades do presente e compila-las em New Waves.

 


[JARREN BENTON]

Jarren Benton é um dos talentosos MCs da nova escola que foge à sonoridade actual que inundou Atlanta. A sua estreia deu-se em 2009 com Jarren Benton: The Mixtape. Mas foi com a entrada na compilação A3C Volume 1, dois anos depois com o tema “Skitzo”, que chamou à atenção de Hopsin e da Funk Volume para que fosse estabelecida uma parceria entre o rapper e a editora. Foi lá que Benton editou uma mixtape, um EP e também o seu álbum de estreia. My Grandma’s Basement foi lançado em 2013.

A Funk Volume acabaria por se separar e o rapper aproveitou o afastamento para montar o seu próprio negócio. Foi na sua Benton Enterprise que saiu Slow Motion Vol 2, no ano passado, e The Mink Coat Killa LP é a sua segunda edição nesta nova plataforma. Um álbum ambicioso munido de bons instrumentais e com Termanology enquanto colaboração mais sonante do alinhamento.

 


[SILICON VALLEY OST]

Já temos falado na banda sonora da quarta temporada de Silicon Valley aqui no Rimas e Batidas. A HBO apostou na Mass Appeal para a edição de um conjunto de 14 temas que têm rodado nos mais recentes episódios da série norte-americana. Nas e DJ Shadow deram o arranque com um frenético primeiro single – “Systematic”. Danny Brown serviu-nos o “Kool Aid” e, mais recentemente, os Wu-Tang Clan ingressaram também nesta aventura com “Don’t Stop”. O alinhamento completo está agora alojado no SoundCloud do selo editorial fundado por Nas, e conta com mais algumas colaborações de peso. Hudson Mohawke, Remy Banks, Onyx, Run The Jewels ou Too $hort são alguns dos artistas envovidos na nova banda sonora de Silicon Valley.

pub

Últimos da categoria: Curtas

RBTV

Últimos artigos