Sagaz sobre “Vida é Vida”: “A preocupação com o próximo sempre foi uma máxima e este som é uma prova disso”

[ENTREVISTA] Rui Miguel Abreu [FOTO] Direitos Reservados

“Vida é Vida” é o novo single de Sagaz com participação de Sérgio Mota (voz, letra e guitarra) e instrumental, captação, mistura e masterização de Noise The Wizard. A canção está disponível no canal de YouTube do Rimas e Batidas.

“Numa altura difícil, nunca é demais apelar aos valores em que se deve basear a vida: verdade, amizade e amor ao próximo!”, escreveu o MC dos Micro aquando do anúncio do lançamento do tema que marca o seu regresso em nome próprio.

Ao ReB, Tomé Landim, também conhecido como Sagaz, fala sobre a nova faixa, o encaixe na actual cena hip hop e a vontade de voltar à estrada.



Este single marca o teu regresso em nome próprio. Há muito que andavas arredado das lides. Que te fez querer voltar?

Este single é o reflexo daquilo em que me transformei nestes últimos anos de interregno. A idade, a evolução espiritual e o crescimento como ser humano são algumas das coisas que adquiri com o tempo. A preocupação com o próximo sempre foi uma máxima e este som é uma prova disso. Estou de volta, mas nunca fiquei inactivo, fui criando temas e tenho dezenas de músicas feitas entre sons de Sagaz, Micro e Family Complow. Sinto hoje a necessidade de exteriorizar alguns temas que penso que merecem ver a luz do dia, pois até agora estavam escondidos.

Fala-nos deste tema: quem produz? Do que fala? Quem é o teu convidado?

Este tema fala da vida e dos seus altos e baixos, [na] esperança e perseverança para mudar o que está ao teu redor. Produzido por Noise Wizard aka Kosmico, produtor e amigo que produziu a minha música com Dengaz, entre outras. Quanto à participação, é mais um amigo que conquistei nestes últimos anos, Serginho Mota (conhecido pelo fantástico refrão no som do Valete, “Rap Consciente”), músico fantástico com uma vibe única que também tocou a guitarra que se ouve na segunda parte da música. Foi um dia abençoado quando nos reunimos os três para produzir este som, funcionámos como um trio de produtores e a harmonia foi o ingrediente principal para ter este resultado.

Qual a ideia aqui: single solto ou faz parte de algo maior?

Não será um single solto. Tenho preparados mais dois singles que já estão prontos e serão lançados em tempo oportuno.

A cena hip hop está agitada, variada, competitiva. Achas que uma voz veterana como a tua se encaixa?

Modéstia a parte, penso que o meu espaço na cena hip hop é inevitável, não só pelo que construí enquanto MC dos Micro, mas também como Sagas — o Rostu Limpu penso que ficou marcado na história do hip hop tuga. Não venho para competir, mas sim para agregar e trazer uma nova alma à cena. A forma como quero fazer as minhas músicas saem fora da caixa e viajam pelo mundo de influências que tenho dentro de mim. Sou angolano de nascença, cabo-verdiano na origem e português que cresceu num bairro de lata — para mim, uma riqueza inolvidável. Posso ser o elemento agregador pela identidade e originalidade.

E Micro? Temos aí Rocky Marsiano activo, Nelassassin a assinalar 20 anos. Tu mesmo a avançar em nome próprio… o futuro ainda vai ter espaço para Micro?

Micro tem andado a gravar temas nestes últimos meses e já temos um EP pronto à espera de ver a luz do dia. A logística não tem permitido estarmos os três juntos, mas com certeza nos próximos tempos vão ter novidades. Verdade, o D-Mars tem feito coisas brilhantes como Rocky Marsiano e o Nelassasin como perseverante que é tem conseguido andar ao ritmo da cena e tem seguido a sua carreira, resta-nos como Micro voltar a marcar uma posição forte no panorama actual. Temos algumas participações pontuais que ajudaram a enriquecer o EP.

E para terminar, vais voltar à estrada?

Sim, é um objectivo claro, sempre fui um MC de palco, não de estúdio, tenho um prazer enorme de estar no palco e encarar o público olhos nos olhos, só assim conseguimos atingir a a pessoas. Tenho a minha team pronta para os concertos e festivais se tiver que ser. Tenho ideias inovadoras para as actuações ao vivo e gostava de partilhar com todos. Já tenho algumas datas programadas para o Verão e assim que puder vou revelar, mas não hesitem ligar: estou à espera dos convites.


Rui Miguel Abreu

Rui Miguel Abreu

Crítico musical desde 1989, Rui Miguel Abreu escreve atualmente para a Blitz e integra a equipa da Antena 3. De vez em quando também gosta de tirar o pó aos discos e mostrá-los em público.
Rui Miguel Abreu