RBTV: No estúdio com Orelha Negra

 

[ENTREVISTA] Alexandre Ribeiro [IMAGEM/EDIÇÃO] André Leiria

 

Os Orelha Negra voltaram à vida. O primeiro sinal chegou-nos no dia 20 de Outubro de 2015 através de um comunicado obscuro no Facebook da banda, criando o necessário abalo para que as redes sociais propagassem um terramoto. A banda estava numa espécie de hiato, mas não o vêem como isso. Família é o termo mais utilizado para definir a relação de Fred, Sam The Kid, Chico Rebelo, DJ Cruzfader e João Gomes.

O 530B da Rua Maria Pia não transparece por fora a vida que vai lá dentro e quando a porta se abre todo um universo musical começa a emergir. A espera pelos artistas, que se tinham retirado para o almoço, deu espaço para uma leitura rápida por revistas e uma vistoria pela música na prateleira – um single em vinil de D’Angelo salta à vista. Os artistas vão chegando a conta-gotas e a conversa demonstra uma grande cumplicidade entre todos. A descida às catacumbas leva-nos ao estúdio, sítio onde se desenrolam as acções criativas de músicos como os próprios Orelha Negra, Regula, Carlão, entre outros. A diferença, hoje, é que não há som que se possa vislumbrar. Estamos do lado de fora do estúdio e apenas vemos corpos em movimento, na criação dos sons que havemos de escutar no próximo ano.

Depois de Orelha Negra, lançado em 2010, e Orelha Negra em 2012, o próximo álbum vem carregado de mistério e nada é desvendado. Talvez um Orelha Negra em 2016. Na verdade, só a data do concerto de apresentação oficial no Centro Cultural de Belém – 16-01-2016 – é revelado e a única promessa é que todo o repertório será novo. Este secretismo é justificado pela banda como “uma prenda especial para as pessoas que comprarem bilhete.”

Uma das faixas que deu o projecto a conhecer ao grande público foi “Solteiro”, retirada da mixtape lançada pelo grupo em 2013, que conta com quase 6 milhões de visualizações. O MEO Sudoeste em 2013 foi o culminar de todo o crédito ganho enquanto grupo, tendo participado vozes – Da Chick, Orlando Santos, Valete, Carlão e Regula – que entraram na mixtape e a West European Symphony Orchestra.

O Rimas e Batidas esteve à conversa com os cinco músicos e tentou descobrir as razões para o regresso e informações sobre o disco novo que irá ser apresentado em Lisboa no novo ano.