pub

Plutonio: “Tenho estado à procura de uma nova sonoridade”

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [FOTO] Direitos Reservados

“Não Vales Nada” é o novo single de Plutonio, que conta com a produção de Lhast. O vídeo foi realizado por Afro Digital e inclui a participação do comediante Luís Franco-Bastos.

Numa nova composição conduzida por um dos produtores nacionais do momento, o rapper da Bridgetown entrega-se sem travões numa balada r&b, faixa com um dos refrões mais gulosos do ano. Bernardo D’Addario (baixo) Dodas Spencer (guitarra), Bernardo Cruz (teclados) e Jorg Demel (saxofone) são os músicos ao serviço de Lhast.

Depois de Preto & Vermelho, álbum lançado o ano passado com participações de Dengaz, Bonga ou Chullage, Plutonio tem andado a “aprender com artistas mais experientes”, a actuar na gala dos Globos de Ouro e “à procura de uma nova sonoridade”. Estivemos à conversa com o artista sobre as novidades:

 



Não Vales Nada” é o primeira tema que lanças em algum tempo. O que é que tens andado a preparar?

Tenho andado a preparar músicas novas e também tenho me dedicado a fazer um melhor show ao vivo. Tenho tido a oportunidade de aprender com artistas mais experientes e, uma vez que eu me sinto confortável, em diversos estilos, aproveitei esta paragem para reflectir sobre os mesmos, antes de dar um novo passo na minha carreira…

Escolheste o Lhast para produzir a faixa. É primeira vez que trabalham juntos? Como é que foi o processo de criação de “Não Vales Nada”?

Não é a primeira vez que trabalhamos juntos, mas foi a primeira vez que finalizámos um trabalho. Já tínhamos tentado fazer outras cenas antes, mas ainda não tínhamos encontrado o equilíbrio certo, esta música inicialmente era para fazer parte de um outro projecto da Bridgetown, mas, certo dia, eu estava no estúdio e a meio da conversa esse beat tocou e automaticamente surgiu o refrão. Entretanto, a vibe era propícia, fechei os versos e achei que era a música ideal para um novo single

Actuaste nos Globos de Ouro com o Richie Campbell, algo natural dado que ambos são parte da Bridgetown. Como é que surgiu o remix da “Do You No Wrong”?

Antes de mais, actuar nos Globos foi uma honra pelos motivos óbvios, mas também uma grande responsabilidade, tendo em conta o facto de que o “Do You No Wrong” já era um hit gigantesco. Juntando a esse factor aquele palco, tornava as coisas ainda mais sérias. Relativamente à forma como surgiu [o convite], foi muito simples e natural, até porque na Bridgetown temos esse à-vontade uns com os outros. Certo dia, o Richie chegou e deu me essa responsabilidade e disse-me que tinha “x” dias para fechar o meu verso (risos). No princípio ainda fiquei uma beca apreensivo, tendo em conta a dimensão das coisas, mas uma noite fui para o estúdio e ao fim da madrugada ‘tava fechado. Três dias depois estávamos a actuar na Gala dos Globos. Foi uma experiência única.

Lançaste Preto & Vermelho no ano passado. Vamos ter álbum novo este ano?

Depois do álbum Preto & Vermelho, com o qual aprendi muito e também me dei a conhecer a um novo público, tenho estado à procura de uma nova sonoridade. Quero dar um upgrade na minha cena e é nisso que tenho andado focado. O álbum é relativo, quem sabe. Este ano ainda vamos ter muitas coisas boas…

 


pub

Últimos da categoria: Curtas

RBTV

Últimos artigos