Papillon sobre “Sweet Spot”: “O Murta foi ficando no som sem querer e quase sem ele saber”

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [ARTWORK] Filipe Feio

“Sweet Spot” é o novo single de Papillon. A canção conta com a participação de Murta (que vai lançar o seu álbum de estreia já esta sexta-feira), co-produção de Holly e mistura e masterização de Charlie Beats.

Três meses depois do lançamento de “Camadas“, o rapper da Sente Isto regressa na companhia do jovem cantor da Universal Music Portugal, um encontro natural entre dois talentos nacionais: “O Murta foi ficando no som sem querer e quase sem ele saber. Mas acho que foi um misto do orgânico com uma fase em que queria colaborar. No dia da sessão em que estive com o Holly a escolher os beats, ele apareceu para cumprimentar-nos. Pouco tempo depois, encontrámos-nos no [MEO] Sudoeste, onde tivemos a conversa que fez com que eu sentisse que a participação do Murta era o que fazia mais sentido para o tema.”

Depois da tomada de decisão, o processo “foi muito fácil”, confessa Rui Pereira em conversa com o ReB. “Felizmente, assim que o Murta ouviu a demo, ela rapidamente passou a ser aquilo que se tornou o produto final do ‘Sweet Spot’.”

Em 2019, o autor de Deepak Looper já participou em canções de Emicida, Agir, Macaia, Slow J e Harold, uma forma de reconhecimento do impacto do seu primeiro disco a solo. “O meu estímulo para explorar a música e experimentar está no pico máximo. Tenho tido a sorte de conseguir fazê-lo com os diversos artistas com que me tenho cruzado. Artistas diferentes, conversas e vibes diferentes, sinergias maradas e a música acontece”, atira, concluindo que no próximo álbum espera “pôr em prática” tudo o que tem aprendido neste período.