pub

Nina R.A.E.: “‘Lose It’ é apenas uma espreitadela para todo o trabalho que desenvolvi ao longo dos anos”

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Connor Higgins

Nina R.A.E. estreou na passada quinta-feira o seu primeiro single. Beatoven, Zacky Man e Dodas Spencer participaram na composição de “Lose It”, tema servido num videoclipe realizado pela Rutz Records.

Influenciada por nomes do r&b contemporâneo como Rihanna, SZA ou Kehlani, Nina R.A.E. — a versão curta de Real Ana Experience — é um diamante em bruto. Com origens angolanas e 21 anos feitos a 18 de Janeiro, o mesmo dia em que lançou “Lose It”, a cantora vive actualmente em Londres, onde se encontra a estudar música no British and Irish Modern Music Institute. A ligação à arte começou cedo, com o coro da igreja enquanto primeira grande experiência no canto. Essa aprendizagem inicial e natural aptidão levaram-na a servir de suporte vocal para algumas bandas e a descobrir como se trabalha em estúdio, tendo colaborado com alguns grupos de MCs da Margem Sul.

Estudado até ao mais ínfimo detalhe, o seu lançamento enquanto artista a solo deixa prever um trajecto que irá primar pela qualidade do produto a que se compromete editar. “Lose It” em nada se parece com uma estreia mas sim como uma espécie de projecto paralelo de alguém já com alguns créditos firmados na indústria musical. Para chegar ao resultado final, Nina R.A.E. contou com a ajuda de dois nomes com um bom historial em Portugal — Zacky Man é uma figura importante em toda a fase inicial deste projecto e foi ao seu lado que a artista delineou os primeiros traços deste single; Beatoven levou a faixa ao forno e apimentou-a com os condimentos modernos do r&b e trap, que tanto dominam a indústria nos dias de hoje; a guitarra eléctrica é uma das paixões de Nina R.A.E. e foi Dodas Spencer quem deu os últimos retoques a “Lose It”.

Sem compromissos de editar brevemente um projecto de maior dimensão, Nina R.A.E. revelou ao Rimas e Batidas que irá, passo a passo, revelar novos temas ainda este ano.

 



Nem se nota que este é o teu tema de estreia. Como foi toda a preparação para este “Lose It”?

Comecei desde cedo a lidar e a trabalhar profissionalmente com a música, principalmente com hip hop e r&b, que sempre foram uma constante na minha vida. Isto proporcionou-me certas ferramentas ao longo dos anos para saber o que quero, não só musicalmente mas também como o entregar ao público. O som começou a ser produzido o ano passado e passou por várias fases. Foi, sem dúvida, um desafio chegar ao resultado final, existindo uma enorme preocupação em tudo, desde a qualidade do som à imagem. Para mim, o “Lose It” é apenas uma espreitadela para todo o trabalho que desenvolvi ao longo dos anos.

Contaste com a ajuda de dois artistas com alguma experiência. De que forma é que o Beatoven e o Zacky Man influenciaram a sonoridade final deste single?

O Zacky Man tem sido uma das pessoas que tem acompanhado o meu projecto a nível de produção e composição e esta foi a nossa primeira produção juntos. Primeiramente, o processo de criação e composição foi feito por mim e pelo Zacky Man. Após ouvirmos a demo sentimos a necessidade de uma outra influência no som. O Beatoven é perito nos ritmos de hip hop, trap e r&b e eu achei que seria o produtor ideal para complementar a produção do ”Lose It”. Tendo também uma grande paixão pela guitarra, achei que seria a cereja no topo do bolo ter uns apontamentos no som e fiz assim o convite ao Dodas Spencer, que nos fez terminar esta faixa em grande.

O que te levou a partir para a temática que abordas em “Lose It”?

Este sempre foi um tema sensível para mim e uma causa à qual me juntei, a luta contra a violência e desigualdade numa relação. Afirmo-me como alguém que acredita na igualdade e acredito que nenhum de nós se deve contentar com menos do que merece. Penso que, como artistas, temos o direito e dever de dar voz a causas pelas quais vale a pena lutar e, apesar de esta letra ser simples, sei que muitas mulheres se vão identificar. O que espero delas é que se consciencializem e não aceitem estas situações. So ladies, let’s lose it!

Esta é uma das boas surpresas que nos trouxe o arranque do novo ano. Que planos reservas para 2018?

Este ano será um grande culminar de toda a aprendizagem e informação que reuni principalmente nos últimos anos e posso já dizer que tem sido produtivo — tenho algumas coisas boas a serem cozinhadas, desde colaborações a novos sons. O plano é continuar a lançar singles até sentir que está na altura de lançar um EP ou algo maior, mas por enquanto vou me focar na qualidade da música e em definir cada vez mais a minha sonoridade.

 


nina-r-a-e-videoshoot-by-rutz-records

pub

Últimos da categoria: Entrevistas

RBTV

Últimos artigos