pub

Texto: ReB Team
Fotografia: Direitos Reservados

Tudo em família.

Kaya: “Crescer rodeada de criativos veio definitivamente dar azo ao que está a acontecer”

Texto: ReB Team
Fotografia: Direitos Reservados

O final do mês de Junho trouxe mais novidades da equipa da Supa Squad Music: “My Baby” foi a canção que marcou a estreia de Kaya a solo. Mr. Marley ficou encarregue da produção do single e Rod Taumata dirigiu a peça visual que o acompanha.

Foi logo aos cinco anos que o talento musical de Kaya Rosário começou a ser estimulado pela sua família na banda conimbricense One Love Family, onde aprendeu e desempenhou funções de back-vocalist, teclista e percussionista. Fast-forward para 2020, após uma militância de 15 anos no conjunto entretanto extinto, para um “reencontro” com o irmão Mr. Marley em estúdio, ele que tem construído um trajecto sólido na dupla Supa Squad, fundando a Supa Squad Music, editora pela qual já editaram também PABLØ e Nina R.A.E..

O Rimas e Batidas trocou algumas impressões com a nova aposta da label acerca do seu passado, presente e futuro enquanto artista.



Começaste a cantar muito cedo na One Love Family. Como foi crescer rodeado de criativos na família?

O crescer rodeada de criativos veio definitivamente dar azo ao que está a acontecer. O facto de ter crescido nesse meio, no meio da música, veio influenciar, sem dúvida, o meu rumo e fez com que eu nunca me desapegasse permanentemente dele.

Em que altura é que surge esta ideia de envergar numa carreira a solo? Existiu algum momento crucial que tenha feito o “clique”?

Não sinto que tenha existido algum momento crucial. A ideia sempre esteve lá. Talvez o desfecho dos One Love Family tenha influenciado o começo. Desde muito cedo quis ter uma carreira a solo e pensava nisso, mas a banda, e também alguma falta de confiança, no sentido de não saber exactamente o que queria apresentar ao público, adiaram esse plano.

Que ensinamentos é que sentes que extraíste dessa experiência de banda e que agora te ajudam a consolidar enquanto artista em nome próprio?

A experiência na banda não foi o apenas fazer parte de um grupo musical. A experiência na banda foi a minha vivência até à data. Era uma banda familiar. Não era só o ensaiarmos juntos e tocarmos juntos, nós vivíamos juntos! Éramos e somos família! Portanto havia todo um ensinamento junto com a parte musical, toda a experiência se tornou mais complexa do que talvez quem veja de fora entenda. Tive a sorte de ter experienciado como e o que vivi e do que também me foi ensinado no processo, isso ajuda-me mais do que imagino agora. Dito isto, retiro que o mais importante para mim é manter-me fiel ao que sempre fui e ter os pés assentes na terra.

Lançaste recentemente o teu primeiro single, “My Baby”. O que viste nessa faixa que te fez pensar nela como um bom cartão de visita para a tua música?

Vejo o “My Baby” como um bom começo para o que aí vem. É uma música de fácil relacionamento a nível de tema e considero que é também “dançável” e agradável de se ouvir. Algo que eu gostaria e ouviria por esses motivos. Vejo-me nele e se eu estou satisfeita com o resultado gosto de acreditar que o público sentirá o mesmo.

O tema foi construído ao lado do teu irmão, Mr. Marley, um nome já com alguma rodagem no panorama nacional das sonoridades urbanas. Como foi trabalhar com alguém que já te conhece tão bem?

Tenho a sorte de trabalhar com os meus e, sim, isso acaba de certa forma por facilitar a parte da comunicação, do entenderes o que a pessoa quer ou não e teres a capacidade de o colocar em prática. Nem sempre é fácil para mim explicar o que procuro ou para ele encontrar o que eu quero (que faz parte do processo e do trabalho), mas o Marley é, sem dúvida alguma, muito bom no que faz e isso traz-me conforto e confiança e o facto de sermos irmãos ajuda-nos na parte da cumplicidade e compreensão. Isso é a cereja no topo do bolo.

O que se segue a partir daqui? Vêm aí mais singles de Kaya em 2020 ou estás a trabalhar em algum projecto mais extenso, como um EP ou um álbum?

O plano é crescer e não parar (antes de ainda mal termos começado), seja de que forma for e isso é o que posso prometer. Seja com um próximo single, um futuro EP ou um álbum. Portanto fiquem atentos que muita coisa se passa nos bastidores e por este lado ainda não parámos de cozinhar.


pub

Últimos da categoria: Entrevistas

RBTV

Últimos artigos