Implantação da Rapública: “Queremos tentar mostrar o mais possível aquilo que é hoje o rap e de que forma é que o passado e o presente se unem”

[TEXTO] Pedro João Santos [FOTOS] Direitos Reservados

Hoje celebra-se a Implantação da Rapública. Nos 25 anos da primeira compilação de rap português, a Antena 3 estreia uma série documental sobre a cultura hip hop nacional, da autoria do jornalista Bruno Martins. Já se encontra disponível o primeiro de quatro episódios: “Dançar o Hip-Hop”, dedicado ao breakdance.

Editada em 1994, Rapública recorda uma fase embrionária do rap, movido por artistas como Boss AC, Black Company e Zona Dread. Martins, que desenvolveu esta obra com a produtora Filipa Ramos e a realizadora Catarina Peixoto, falou com o ReB acerca deste Antena 3 Docs, um análogo português ao Hip-Hop Revolution da Netflix. 

“A ideia dos 25 anos vem muito a ‘reboque’ do lançamento dessa colectânea fundamental”, diz sobre um tributo “aos rappers, DJs, writers e b-boys” que definem a cena hip hop. Os b-boys são o centro do primeiro episódio, protagonizado pelas crews 12 Makakos, Gaiolin Roots e Momentum Crew — além de conversas com Sam The Kid, José Mariño, Ace, Capicua, Chullage, Mundo Segundo, XEG e Youthone. Nos próximos capítulos, a equipa debruça-se sobre o graffiti, o DJing e o MCing.



“A ideia foi e é dar o espaço igual a cada uma das vertentes. Precisamente para fazermos sobressair a cultura enquanto um todo, uma cultura que se vai alimentando de um lado para o outro”. O episódio-piloto, sublinha Martins, é o “modelo” para os próximos episódios: “Queremos que todos os episódios dialoguem uns com os outros e que façam sentido como um só.”

O desafio, para além de reunir a equipa certa, foi ter de excluir os relatos de vários entrevistados devido a limites de tempo e produção. Mas “a partir do momento em que fechámos a lista de entrevistados,” explica, “todos se mostraram muito receptivos em receber-nos, a sentar-se e a conversar connosco sobre esta ideia”. Procuraram-se tão distintos quanto este estilo: de Dealema até Chong Kwong, de Vhils até GROGNation

“É claro que há um foco grande naquilo que são as chamadas fundações do movimento, mas não queríamos apenas fazer uma viagem ao passado. Queremos tentar mostrar o mais possível aquilo que é hoje o rap e de que forma é que o passado e o presente se unem. Será que o passado ainda influência o presente?” É uma questão a que a Implantação da Rapública almeja responder.


ReB Team

ReB Team

Facebook.com/rimasebatidas
Twitter: @rimasebatidas
Instagram: @rimasebatidas
SoundCloud.com/rimasebatidas
YouTube.com/c/rimasebatidas
Mixcloud.com/rimasebatidas
ReB Team