Hora da televenda: Mike El Nite estreia EP Vaporetto Titano

 

[Texto]: Ricardo Miguel Vieira | [Entrevista]: Rui Miguel Abreu | [Foto]: Direitos Reservados

 

Vaporetto Titano, o mais recente EP do produtor e MC Mike El Nite na ASTROrecords, é uma sátira contida em 6 tracks. Uma limpeza lírica que passa a pente fino a predisposição autopublicitária em que a sociedade moderna – e as unidades singulares que a compõem – se encontra, fruto do bombardeamento comercial a que somos sujeitos e do capitalismo selvagem que preconiza o modo de estar das comunidades globais, mas também através das infinitas promoções ego-individualistas por via dos Instragrams, dos tweets e do livro das caras de que todos fazemos parte. Sem nunca esquecer a dicotomia comercial-versus-underground que também se vive nos meandros da música. Tal como o próprio Mike El Nite sumaria: “todos nos queremos vender”.

O trabalho de Mike El Nite, disponibilizado para download gratuito, segue os cânones que já lhe reconhecemos desde Trocadalhos do Carrilho Vol. 1 (2012) – autênticas diatribes verbais banhadas a beats desconcertantes de trips ácidas – e do mais evoluído Rusga para Concerto em G Menor (2013) – em que o trap e as pitch-played voices se começam as distinguir como linha produtiva de El Nite. Vaporetto Titano é a soma de todas essas partículas, é uma produção que confirma a crescente evolução criativa do MC. Escutando – e vendo – o single “F.E.N.A II“. ficamos com a ideia de que há uma premente desenvoltura na produção de Mike El Nite, que jiga-joga entre mesclas de estilos e agitações nas próprias tracks. Não é, portanto, uma estrada de sentido único, antes uma viagem cujo destino é desconhecido. É tripar até à ruína mantendo aberta uma fenda de consciência que nos alerta para o que realmente nos rodeia no mundo lá fora e para o modo como participamos no mesmo através dos seus canais globais.

Porém, todo este nosso discurso é meramente observador. Por isso mesmo, nas vésperas do lançamento de Vaporetto Titano, fomos ao encontro de Mike El Nite para que ele próprio nos vendesse o seu produtos. São quase cinco minutos de televendas, de conversas sobre cada uma das tracks que enformam o EP e até da importância da Baby TV numa noite fora de controlo. É conferir os dotes de marketeer de Mike El Nite e escutar o disco.

 

Rui Miguel Abreu

Rui Miguel Abreu

Crítico musical desde 1989, Rui Miguel Abreu escreve atualmente para a Blitz e integra a equipa da Antena 3. De vez em quando também gosta de tirar o pó aos discos e mostrá-los em público.
Rui Miguel Abreu