[Estreia] L-ALI é o novo membro da Think Music (e já podem ouvir o primeiro single com ProfJam)

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [FOTO] Direitos Reservados

“UAIA” é o novo single de L-ALI com participação de ProfJam. A faixa, que conta com um vídeo realizado por Leonardo Portes, serve como estreia do MC com a máscara mais emblemática do rap nacional na Think Music.

Velhos conhecidos tornam-se pares. Não será a primeira vez que isto sucede desta forma e Hélder Sousa, MC a criar terramotos com contos prontos para aterrorizar os “meninos” do hip hop português, viu no projecto de Mário Cotrim, “o prof dos putos da nova gen”, o local ideal para criar novas raízes.”Vi as coisas a acontecer daquele lado e achei que ia ganhar com a label e a label comigo. Já conhecia o Nelson e o Prof e foi uma questão de ver que fazia sentido e actuar”, revela-nos L-ALI.

O primeiro tema conta com a produção de Pesca e é um banger direccionado para o underground – e traz o melhor dos dois mundos. A nova contratação da Think Music conta como foi o processo até chegar ao resultado final: “Esta faixa já estava na calha, muito antes de sequer sonhar em vir para a Think. Já tínhamos pensado em fechar um som juntos. Foi um processo demorado por questões de timing, mas fomos sempre avançando com a faixa ao longo do tempo. Reunimos no estúdio com o Pesca e começámos a descomprimir com a faixa em freestyles. Depois, arranjámos o fio necessário para puxar a canção e foi só desenrolar por aí. Acabámos por gravar a faixa uns meses depois, devido ao prof também estar no Reino Unido e, posteriormente, em tour.”

À primeira vista, existe um distanciamento em termos sónicos para Benji, YUZI, Prettieboy Johnson ou o ProfJam, nada que atormente o novo membro: “Sim, é bom que haja essa distância. Acho que todos nós, que fazemos música, queremos caminhar para uma identidade própria. Não sou da opinião que uma label tem de soar toda igual. O que trago? Eu trago a soda cáustica para a Think.”

No último domingo, L-ALI lançou DILÚVIO, novo EP em que divide versos com Tilt e conta com a produção na íntegra do anteriormente mencionado Pesca. Mas, afinal de contas, a que entidade é que o rapper “pertence”? “Colónia Calúnia é um colectivo, não uma label. E irão sair mais projectos com o meu contributo por lá, certamente. Tenho material suficiente para fazer releases nos dois campos. E é o que tenciono fazer. Um não se opõe a outro”, responde-nos o MC.

Quanto a novidades, nada temam: “Tenho sempre coisas na calha. Em 3 anos, 2 álbuns e 4 EPs. Não ia parar agora. Há mais coisas para vir, certamente, mas não vou revelar nada. A seu tempo, os próximos passos vão ser revelados”. O aviso está feito. Hora de festa no subterrâneo com L-ALI e ProfJam: