Drake abre o jogo novamente com vídeo de “Hotline Bling”

[TEXTO] Gonçalo Oliveira

 

O tempo não pára para Drake. É até uma das suas melhores ferramentas, tendo em conta toda a sua metodologia de trabalho e a velocidade a que o mesmo se propaga. Num minuto uma música pode atingir um milhão de pessoas, mas nesse mesmo minuto Drake já se encontra a preparar a seguinte. O MC canadiano é uma espécie de empresa que se recusa a parar a produção de novos conteúdos. Só assim se consegue manter na posição em que se encontra.

Rodado em primeira mão no programa OVO Sound na sempre fresca Beats 1 Radio no início do Verão, juntamente com muitas outras faixas da label de Drizzy e não só, o tema já fez correr tinta pelas redes sociais e mereceu, até, uma vasta edição de remisturas de artistas como Erykah Badu ou Disclosure. Remonta-nos para uma paixão antiga que ainda mexe com a cabeça de Drake.

Sem que nunca assuma na letra que sente a falta de Nebby, são demasiadas as linhas disparadas a uma pessoa só. É como uma viagem guiada pelas redes sociais da ex, que desde que Drake saiu da cidade se tornou numa mulher completamente diferente. É agora vista pelo próprio como uma bad girl com quem o rapper se preocupa e tenta chamar à razão. Conseguimos ir imaginando fotos na nossa cabeça à medida que Drake vai relatando as várias situações em que Nebby se encontra. O nome do tema tem um um trocadilho interessante que pode ser interpretado de várias maneiras. “Hotline” é o que se chama a uma linha de telefone erótica. Ao mesmo tempo pode significar uma gama mais alta de um produto, neste caso um telemóvel. “Bling” remete-nos para jóias e afins, que pode ser conjugado com a tal gama alta do produto (imaginem, por exemplo, um telemóvel decorado com diamantes) mas também acaba por ser parecido com o som do telemóvel a tocar (“ring“).

Drake sabe que quando Nebby precisar dele vai acabar por lhe ligar e a chamada vai ser quente. Por outro lado todos sabemos o quanto gosta de jóias e artigos caros, o que não nos faz ficar admirados se o telemóvel que lhe pertence for banhado a ouro ou com pedras preciosas cravadas.

 

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira