DJ Jazzy Jeff: o rei da festa

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Nina Sandejas/Red Bull Content Pool

Já imaginaram como seria uma block party em 2018? A primeira festa Parkbeat Legends poderá ser o mais próximo que já estiveram de participar numa delas, um evento que junta mais de dez horas de música a grelhados, copos e muita boa disposição na pista de dança. Os ingredientes? Parte significativa da elite do hip hop nacional — como Nel’Assassin, DJ Glue ou Beatbombers — junta-se àquele que pode muito bem ter sido uma das maiores inspirações dos intervenientes nacionais, que se estreia em Portugal amanhã no Capitólio, em Lisboa. Senhoras e senhores: antes de mais, um forte aplauso para The Magnificent DJ Jazzy Jeff.

Nascido em Filadélfia, no ano de 1965, Jeffrey Allen Townes teve desde cedo uma enorme curiosidade sobre aquilo que um disc jockey fazia numa festa. Depois de observar os profissionais nas suas cabines, foi na cave da sua casa que começou a ensaiar os primeiros DJ sets, passando rapidamente aos níveis seguintes: o bairro e a escola.

Porém, a glória só chegaria com Will Smith na dupla DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince. Depois da estreia com Rock The House, a Jive Records ofereceu-lhes um contrato para a edição de mais quatro discos. Code Red, de 1993, foi o último a ser lançado pela dupla, que alcançou o estatuto de primeiro projecto de hip hop a vencer um GRAMMY, graças ao tema “Parents Just Don’t Understand”. “Summertime”, faixa que fez parte do alinhamento de Homebase, valeu-lhes a segunda estatueta na entrega dos prémios mais importante da indústria musical. DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince também foram dos primeiros nomes do hip hop a alcançar o estatuto de estrelas da cultura pop, fenómeno alimentado pela longa estadia do grupo na televisão norte-americana através da série The Fresh Prince of Bel-Air. A dupla reuniu-se no ano passado para uma pequena série de apresentações ao vivo.

 



A solo, Jazzy Jeff assinou várias mixtapes e arriscou nos álbuns de originais, ele que é um dos pioneiros do sampling pelo trabalho que desenvolveu ao lado de Will Smith. The Magnificent foi o primeiro da série que conheceu recentemente o terceiro episódio. Editado em Maio passado, M3 colocou o DJ e produtor ao lado dos The Trinity, um trio formado para a ocasião: Uhmeer, Rhymefest e Dayne Jordan — os dois últimos estarão à frente de Jazzy Jeff no Capitólio. Masego, Aaron Camper e Maimouna Youssef também colaboraram no disco que é uma ode ao hip hop enquanto música festiva e inserida num contexto club, mas também com muitos pormenores de soul e jazz à mistura.

No entanto, é atrás dos pratos que podemos vislumbrar as verdadeiras qualidades de Jeffrey Townes, ele que é uma lenda viva no manuseamento do gira-discos e do vinil, tendo vencido um campeonato DMC. Também é apontado como um dos inventores do transformer scratch, uma das mais importantes técnicas de turntablism que inspirou, por exemplo, DJ Flare dos Invisibl Skratch Piklz a criar a sua própria variante flare skratch.

Se já viciaram nas duas horas de set que DJ Jazzy Jeff assinou na sua mítica passagem pelo Boiler Room, é bastante provável que o dia de amanhã seja o materializar de um sonho. Antes de saírem de casa, tomem uma dose de “Peter Piper Routine”, um dos mais emblemáticos exercícios de DJing, que a Serato pediu a Jazzy Jeff para replicar no seu canal no YouTube, esta que é uma das routines mais vistas de todos os tempos na plataforma.

 


Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira