pub

Fotografia: Alexander Mallis

A cantora de Brooklyn colaborou nos últimos dois projectos de billy woods.

Demisexual Lovelace: Fielded estreia-se pela Backwoodz Studioz no próximo mês

Fotografia: Alexander Mallis

Pela primeira vez, Fielded vai deixar a sua marca no catálogo da Backwoodz Studioz no dia 9 de Outubro com o álbum Demisexual Lovelace.

Vinda de um registo assumidamente pop, a cotação de Fielded subiu ligeiramente quando nos chegaram os primeiros sinais de um possível afastamento desse espectro. billy woods foi um dos responsáveis pelo processo de mutação da cantora de Brooklyn, tendo apostado na sua voz para dar mais cor a Terror Management, um statement que se traduziu numa tripla aparição no alinhamento desse disco.

Western Education Is Forbidden” e “Suzerain” mostraram-nos que há traços mais interessantes — nuances da soul e do r&b – que estavam a ser ofuscados pelas escolhas musicais da artista no seu trajecto a solo. Numa rápida pesquisa para conhecer o repertório da mulher que havia conquistado woods e estava a dar cartas em Terror Management, projectos passados como Drip Drip ou Ninety-Thirty-Thirty falharam em cativar-nos. Como poderia a voz que se desdobra em diferentes camadas e cadências em “Shepherd’s Tone“, que quase nos fez esquecer estarmos dentro de um disco do rapper nova-iorquino com um arrepiante solo no final do tema, estar a ser tão desaproveitada graças a um mero desvio estético nos seus trabalhos em nome próprio?



A resposta veio no pressrelease de Demisexual Lovelace: “Este álbum é um ponto de viragem para Fielded, que deixa para trás a pop e vai ao encontro de um som mais introspectivo, no qual a sua voz pode ser experienciada ao máximo, no seu mais sincero timbre e alcance”. A isto junta-se o facto de se tratar do “projecto mais autobiográfico de sempre” da cantora, “inspirado por modalidades de cura como o grupo de reabilitação, a relação aprofundada com o herbalismo e o trabalho meditativo com a terra.”

“Valleys & Peaks”, faixa-bónus do longa-duração, é a única amostra disponível para escuta. Demisexual Lovelace sucede ao EP Sacrifice Zone, será editado num glamouroso vinil rosa e conta apenas com duas participações: a billy woods, claro, junta-se ainda ELUCID, eles que juntos formam a dupla Armand Hammer, que este ano assinou o furtivo Shrines, no qual a vocalista também participou em duas das músicas.

Sobre Fielded e ELUCID, os dois acabam também de contracenar em “Safehouse”, o primeiro avanço de Don’t Play It Straight, álbum de estreia do projecto Small Bills, que junta o MC ao produtor e multi-instrumentista The Lasso e será editado a 30 de Outubro pela Mello Music Group.


pub

Últimos da categoria: Curtas

RBTV

Últimos artigos