pub

Publicado a: 09/11/2017

Dave East é o rapper que anda a trucidar os beats das vossas canções favoritas

Publicado a: 09/11/2017

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Ouvir uma remistura de um tema leva-nos sempre à eterna questão: “Supera o original?” Pisar os terrenos que já foram criados e conquistados por outros artistas é uma tarefa árdua e arriscada. Por vezes, até mesmo injusta, pelo simples facto de termos a versão inicial entranhada nos arquivos da nossa memória, que dificilmente esquece aquele que foi o seu primeiro “amor”.

O hip hop ensinou-nos que, ao manter o instrumental original, as probabilidades de destronar a primeira versão de uma música aumentam. A história dos freestyles e das mixtapes comprovam-no. Os rappers “competem” com os seus antecessores, colocando flows e letras na mesma arena onde o sangue foi derramado pela primeira vez. E há versos que ficam na memória, de tal forma que nos levam a eleger um novo favorito para um determinado beat.

É nesse caso que se enquadra EASTMIX, série de remisturas da autoria de Dave East. O MC de Harlem, que recentemente se estreou pela Def Jam, tem sido uma espécie de assistente social dos instrumentais de rap da nova escola, garantindo que estes não se sintam maltratados ou injustiçados dentro do actual panorama da cultura. Sem ad-libs manhosos que nos enfeitiçam os ouvidos e nada acrescentam a nível de conteúdo. Em suma: sem truques. Apenas uma vasta panóplia de flows e versos de quem está nisto pela fome e não pela forma. O melhor de dois mundos: abordar as sonoridades do momento com a audácia daqueles que se imortalizaram perante um microfone.

 



São dezenas de versões alternativas que Dave East ofereceu nos últimos anos, faixas que complementam o seu sólido percurso enquanto rapper – actualmente, regista quase uma dezena de trabalhos. Talvez seja essa a forma de captar a atenção de outros públicos para o seu rap… O resultado final acaba por lhe assentar que nem uma luva, ao contrário das típicas remisturas que servem apenas para efeitos de marketing, que culminam em faixas forçadas.

Nem The Weeknd escapa à lista das “vítimas”, artista canadiano que vem de um planeta diferente onde algumas das suas batidas fazem inveja a alguns trappers do panorama. Dave East rasgou “Party Monster” ao meio, seguindo o mesmo exemplo aplicado em casos de O.T. Genasis, Drake, French Montana ou Future. East relatou o hustle nos instrumentais mais badalados dos “hip poppers” da nossa praça, mostrando o verdadeiro poder da escrita rap.

Mas não é só de remixes que vive um MC e trabalho é o que não falta a Dave East. Se alguns já atentam no seu skill desde o início da década, os restantes renderam-se perante o poderio de Black Rose, a aclamada mixtape que o colocou pela primeira vez no catálogo da Mass Appeal. E não foi preciso esperar muito para ter a benção de Nasir Jones. Um dos seus rappers favoritos, que entretanto se tornou seu patrão, concedeu-lhe um voto de confiança. Dave East e Nas cruzaram-se em “Forbes List” em 2015 e repetiram a dose este ano com “The Hated”, tema do seu mais recente projecto Paranoia: A True Story, o EP que marca o seu ingresso na mítica Def Jam.

 



A fasquia agora é outra e Dave está a reservar a artilharia pesada para o seu primeiro álbum da carreira. O projecto irá figurar na mesma prateleira de artistas como os Beastie Boys e os Public Enemy ou Vince Staples e Logic, tudo nomes já associados ao histórico selo editorial lançado por Russell Simmons e Rick Rubin ainda no decorrer da década de 80. Seguindo o raciocínio do seu rumo desde o início do seu trajecto no hip hop, com pelo menos um longa-duração editado por ano, deveremos ter um novo trabalho de Dave East em 2018. As expectativas estão bastante altas…

Ainda numa fase prematura para avançar com certezas absolutas, o rapper de Harlem abordou o tão desejado trabalho numa entrevista concedida à Rap-Up. E soa promissor: as possíveis colaborações com Drake ou Chris Brown – que até já fez parte do seu último Paranoia: A True Story – ou as produções que alguns beatmakers lendários como No I.D., Just Blaze e The Alchemist lhe têm feito chegar.

“O álbum vai ser um documentário da minha vida,” revelou o MC nessa mesma entrevista. “Fui dando alguns pedaços e histórias aqui e ali, mas vou mesmo levar-vos até à altura em que a minha mãe me empurrou cá para fora. Vou ser mais profundo e quero trazer uma sonoridade que viva para sempre. É por isso que fui até esses produtores: eles criaram as minhas músicas favoritas de sempre.”

O processo para desenvolver um projecto dessa dimensão pode, por vezes, assumir alguns atrasos para que tudo resulte na perfeição. Mas não vamos estar muito tempo sem novidades do MC da Def Jam, que prometeu uma sequela para o seu mais recente trabalho. A revelação foi feita à Montreality e a chegada de Paranoia 2 pode estar para muito breve, já que o rapper, na altura da entrevista, apontava a sua edição para uma data próxima do Halloween. Nas redes sociais, o rapper partilhou alguns excertos de temas inéditos, e os fãs mais atentos vão compilando no YouTube, como podem ver neste exemplo.

A nova etapa de Dave East pode muito bem merecer entrada directa nos vossos telemóveis e computadores. Não acreditam? Se acham que ele rima como poucos nos seus projectos a solo, vejam o que ele tem feito aos instrumentais das vossas canções favoritas…

 


[Dave East] “Push It” (O.T. Genasis Remix)


[Dave East] “Free Smoke” (Drake Remix)

https://youtu.be/FQuzDgjmv4o


[Dave East] “Mask Off” (Future Remix)


[Dave East] “Party Monster” (The Weeknd Remix)


[Dave East] “Unforgettable” (French Montana Remix)


[Dave East] “Vagabond” (Cory Finesse Remix)


[Dave East] “Cut It” (O.T. Genasis Remix)

pub

Últimos da categoria: Ensaios

RBTV

Últimos artigos