Chullage é AKapella47 em novo vídeo

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

Chullage lançou um novo vídeo onde volta a vestir a pele de AKapella47. “Da Hype” é a nova mensagem de intervenção que se ouve num pequeno filme realizado por Hugo Alves.

“The Revolution Will Not Be Televised”. Quando Gil Scott-Heron proferiu estas palavras, certamente que não se referia ao YouTube, mas é por lá que o rapper da Margem Sul tem propagado alguns temas de cariz interventivo, como é habitual nas suas construções poéticas. E até faz algum sentido que assim seja. É certo que existem parecenças entre a plataforma digital e o objecto de difusão audiovisual, que todos os dias coloca grupos de pessoas a olhar para si em busca de (falsos) momentos de conforto e felicidade, patrocinados por uma qualquer entidade que tenha em mãos um cheque chorudo para “conquistar” um território que lhe permita colocar em prática a, aparentemente indolor, terapia de horário nobre. As diferenças entre ambos são bastante estão à vista se pensarmos na liberdade face à escolha de conteúdos e publicação dos mesmos, sem censuras, onde o único filtro que pode eventualmente existir é o (abençoado) ad-blocker, que joga totalmente a favor do utilizador que aperta o botão do play.

Como prova dessa liberdade, hoje decidi ouvir Chullage. O Sr. Preto não acredita em hypes, veste a pele de uma AK(apella)47 e dispara em todos os sentidos. O único acto violento que comete é o de, eventualmente, conseguir fazer o ouvinte cair na dura realidade que é aperceber-se de que, lá no fundo, somos meras marionetas orquestradas por um qualquer grupo de pessoas portadores de um mediatismo suficientemente alto para nos fazer acreditar que está tudo ok e que o caminho certo é realmente aquele que nos é apontado durante as suas intervenções. A vida é uma Trump(a).

Entre o corte e costura de imagens e os harmoniosos movimentos que Chullage efectua em frente à câmara, há uma clara mensagem a transmitir: “don’t belive da hype”. As palavras “são” dos Public Enemy e, quase 30 anos depois, é estranho que ainda seja necessário haver artistas para nos relembrar dessa mesma mensagem. O acesso à informação facilitou-se exponencialmente desde a altura de It Takes A Nation Of Millions To Hold Us Back e, nos dias de hoje, só não vê quem não quer.

 


Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira

Latest posts by Gonçalo Oliveira (see all)