Amon dedica uma “Noite Inteira” ao hip hop

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

 

Amon, que iniciou o seu percurso em 2007, é um dos nomes sonantes do rap da linha da Azambuja. Após vários anos em que abraçou a cultura com um vasto número de temas soltos, foi em 2013 que nos apresentou o seu trabalho mais sonante: Túneis de Cu Chi. A esta mixtape juntaram-se vários convidados com quem o rapper já tinha partilhado o microfone. Johny Gumble, Xksitu e Cezar são alguns dos nomes que frequentemente vemos ligados ao MC de S. João da Talha, que milita nas crews Top Dogs e Royal Mafia. 2013 foi também o ano em que se afirmou como produtor, assinando os seus beats sob o alter-ego de Groove Synthdrome, que mostra serviço neste mesmo tema.

“Isto é uma dedicatória”, conta João Antunes, nome que o rapper tem inscrito no cartão de cidadão, “um som de amor mesmo, para a cena que me dá mais satisfação fazer. É para a musica, ou o acto de produzir um som, encarando isto quase como uma relaçao amorosa, que a nivel fisico não é tao palpável mas a nivel espiritual me realiza bastante.”

Amon confidenciou ao Rimas e Batidas estar actualmente envolvido na produção de um EP, que tem nesta faixa o seu primeiro avanço. Ainda sem data definida para a edição do trabalho final, o MC diz-nos que “o lançamento será provavelmente entre o fim deste ano e o inicio do próximo. Seria para o fim deste ano mas estas cenas acabam por demorar sempre mais do que queremos. Não vai ser com nenhuma editora, deverá sair pela Top Dogs Records que funciona, para alem de crew, também como uma street label.”

 

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira