pub

Alcântara Toca Discos: 5 concertos dos projectos mais fortes de hip hop em 2016

[TEXTO] Amorim Abiassi Ferreira [FOTOS] Hélder White

A noite de sexta, dia 17 de Junho, começou ventosa, mas o vento trouxe consigo 5 concertos de nomes que prometem deixar a sua marca no ano de 2016. No Alcântara Toca Discos, uma turma mostrou o melhor que tem produzido e já deu alguns sinais de ter surpresas para a segunda metade do ano. Os nomes? Keso, Pro’Seeds, Blasph & Beware Jack, Kroniko e SP Deville. Sim, esta não é uma classe qualquer.

“Cheguem-se à frente” diz Keso. O rapper portuense deu arranque à noite de concertos, sozinho em palco, enquanto deambula pelos temas do seu novo KSX 2016. Todos levantam os braços ao som de “BruceGrove”: “CCTV, se me vês a abanar a mão diz ao meu pai que o amo, diz à minha mãe que a amo”. Sob a ponte 25 de Abril, Keso proclamou o seu ódio à humanidade e foi recebido com muito carinho pela plateia.

 


 

De seguida, Pro’Seeds controlam o palco. Berna, DJ Score e Serial trouxeram até Alcântara a tradição do boom bap nortenho. A apresentação de Softpower Sagrado pode ter sido a solução para o frio da noite. Tudo graças a uma aula de step improvisada, convocada por Berna, ao som de “Fora de Mim”.

 


Blasph e Beware Jack entram ao palco. O primeiro de óculos escuros e o segundo com uma energia irrequieta. Atrás de ambos, Kilú encadeia as suas pesadas produções. Por cima do autocarro em letras garrafais está escrito “Lisbon is the new Lisbon”, e a faixa “Cidade Vígara” não precisava de mais enquadramento. Mostrar OPROCESSO, trazer convidados como Nerve, Maura Magarinhos e Bdjoy, e por fim entrar pelo público enquanto todos cantam “Finalmente por um dia sou rei!”. A dupla sabe bem o que faz.

 


 

O fim da noite foi entregue às mãos da FamilliBizno. Kroniko inaugura o capítulo final na companhia de Splinter em palco e Osémio Boémio como DJ. Energia intensa a cada malha de Retrxpectiva, com a mestria de quem já faz isto há 15 anos. As produções trap não poderiam encaixar melhor com a amálgama de contentores e autocarros que é tão característica ao Village Underground.

 



SP Deville começa a sua actuação ao som de “Olha para Trás” provando que o talento na FamiliBizno não se reúne por coincidência. Preciso no flow, dicção e afinação, o rapper mostrou também mostrou à plateia o seu porta chaves do Chewbacca. Bdjoy esteve sempre presente nas congas, aquecendo as percussões das produções de beats de nova escola. Para terminar a noite em grande? Um preview de uma nova música que estava “mais fresco que o pão de amanhã.”

 


 

IMG_7898BW

 

IMG_7119

 

IMG_7132bw

 

IMG_7124

 

IMG_7391bw

 

IMG_7677

 

IMG_7885BW

 

IMG_7887BW

pub

Últimos da categoria: Reportagem

RBTV

Últimos artigos