7 Dias, 7 Vídeos

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Direitos Reservados

 

Semana calma, a combinar com o espirito natalício, que conta com temas novos de Earl Sweatshirt, Pusha T e até uma mensagem bastante positiva de Kendrick Lamar. Bastante impressionado também com as descobertas de Mr. Muthafuckin’ eXquire e Dappy, com líricas bastante agressivas e um tipo de som muito interessante.

Em 7 Dias, 7 Vídeos, há uma vasta pesquisa pelo mais e o menos óbvio, coleccionando o melhor fruto de cada árvore para dar a conhecer aos nossos leitores. É um resumo semanal onde o conteúdo nem sempre é mediático mas é de elevado interesse.

 


 

[KENDRICK LAMAR] “Hard Work”

Kendrick Lamar celebrou a época natalícia com os sucessos obtidos no decorrer do ano. São 11 as nomeações para os Grammys arrecadadas pelo rapper de Compton. Mas mais importante do que a celebração é a mensagem que K.Dot tem para passar com o seu novo miniclip “Hard Work”. É isso que sentimos quando escutamos To Pimp A Butterfly. Fruto de horas incansáveis de empenho e dedicação tanto de Kendrick como restante equipa de produção, músicos, etc. Tudo na nossa vida deve ser encarado dessa forma. Saber que o empenho é um íman para o sucesso, nem que o mesmo venha sob a forma de um simples pacote de bolachas. É esta a mensagem natalícia que Kendrick quer que tenhamos como mantra.

 


 

[EARL SWEATSHIRT] Live @ The Observatory

Uma das caras principais do colectivo Odd Future faz algo fora do comum em palco e estreia cinco temas novos. Provavelmente à procura de reacções para algumas das faixas que fará alinhar num próximo álbum ou EP. Este ano lançou I Don’t Like Shit, I Don’t Go Outside, um álbum que passou um bocado ao lado da crítica, se compararmos a Kendrick Lamar ou Drake, mas que é uma pequena obra-prima de Earl Sweatshirt. Nestes novos temas vemos que continua em busca de sonoridades obscuras com auxílio de samples que o jazz viu serem esquecidos com o tempo.

 


 

[MR. MUTHAFUCKIN’ EXQUIRE] “Gold Mouth Piranha”
(Live Forever, self-released)

O rapper de Brooklyn vai buscar a essência dos Bone Thugs-n-Harmony e Twista adaptados à bass music. Uma abordagem fora do comum aos flows de alta velocidade que faz brilhar ainda mais este egotrip. Dá-lhe a credibilidade que procura.

Este ano editou Live Forever, de onde pertence este single.

 


 

[DAPPY FEAT. TULISA] “At It (Tarzan 2.75)”

Este é um daqueles temas que encontramos por vezes nas redes que atiramos à internet procurando o melhor peixe. Trap refinadíssimo marcado por fortes e definidos 808s e um bom uso do autotune. Egotrip agressivo, apanha desvios por percursos pop. Tudo ingredientes que podem fazer incendiar qualquer club com um bom sistema de som.

 


 

[BENNY SINGS FEAT. MAYER HAWTHORNE] “Shoebox Money”
(STUDIO, Jakarta Records)

O cantor pop holandês viu Mayer Hawthorne dar-lhe aqui uma ajudinha no novo single. Foi, de facto, o motivo pelo qual dei pela sua existência, mas o que me fez realmente carregar no botão de replay foi a frescura na soul/pop de Benny Sings. Não é o primeiro a criar personagens dentro deste género na música feita para rir, ainda assim teve a destreza de pegar num tema original que, confesso, me fez soltar alguns sorrisos.

 


 

[PUSHA T FEAT. THE-DREAM] “M.F.T.R.”
(Darkest Before Dawn, GOOD Music)

Mais um single, mais um hit. O álbum Darkest Before Dawn está a apoderar-se da minha playlist. Rapidamente Pusha T lança clip após clip. O conceito estava todo montado e agora surge em massa para os nossos ouvidos. É realmente notável a quantidade de sucessos que consegue atingir com cada álbum, que nos brinda sempre com o mais fresco do rap alternativo. Será que mantém a maratona de vídeos? Cá estarei para ver.

 


 

[LIL CHOPPA] “VIP (Prod. Triple B)”

Primeiro single da sua próxima mixtape #ThisIsMe, a sair já no inicio do próximo ano. Lil Choppa mostra-nos neste vídeo o porquê de poder vir a ser uma razão válida em 2016. Traz trap na veia e um wordplay baseado nas bases do grime, quem sabe algo que possa vir a fazer o fogo que precisamos de ouvir para manter os ouvidos quentes com o frio que se avizinha.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira

Latest posts by Gonçalo Oliveira (see all)