Os 5 melhores vídeos nacionais de 2018

[TEXTOS] Alexandre Ribeiro e Luis Almeida [ILUSTRAÇÃO] Riça

Mais visualizações, mais dinheiro, mais possibilidades. Vivemos tempos de celebração efusiva do rap português — pelo menos no que diz respeito às gerações mais novas — e isso reflecte-se nos visuais, que merecem cada vez maior investimento. No entanto, esta lista é uma mistura: “Água de Coco” e “Flor de Maracujá” são empreendimentos declaradamente ambiciosos; os vídeos de “Chibo” ou “Jazigo” são produções independentes com menos recursos, mas igual balanço criativo.

Da exaltação da portugalidade à captura dos lugares mais sombrios da mente, os cinco vídeos representam cinco maneiras diferentes de dar novas camadas às canções, uma tarefa importante que nunca deveria ser descurada na hora de criar um videoclipe.

 


[PROFJAM] “Água de Coco” (1º lugar) / Realização: André Caniços & Miguel C. Saraiva

ProfJam começa a ser inimitável. Com um estilo muito próprio na sua música, o rapper procura a mesma originalidade para os seus videoclipes. Aqui, a Think Music juntou-se à Bro Cinema para juntos produzirem um clipe irreverente e com capacidade para ditar a tendência estética de 2019. Realizado por André Caniços e Miguel C. Saraiva, o videoclipe traduz na perfeição o tema, não sendo óbvio. Ambos vivem numa perfeita comunhão de elementos: o íntimo e familiar de Mário, as festas e vibe da Think Music e a parte espiritual traduzida na igreja — que pode ser lido um pouco como um agradecimento a entidades divinas pelo seu talento. Mas se a música de ProfJam não é “Água de Coco”, este vídeo também não poderia ser. Com um conjunto de momentos deslumbrantes — é difícil ficar indiferente a toda a sequência inicial do clipe –, o vídeo é uma produção extraordinária que elevou a fasquia e colocou todos os realizadores e produtoras em alerta.

 


[HOLLY HOOD] “Miúda” (2º lugar) / Realização: Holly Hood

Num dos videoclipes mais surpreendentes deste ano, Holly Hood realizou algo único e altamente criativo. Não é preciso muito para se ter um vídeo competente, mas é preciso saber usar o que se tem e nisso Holly foi mestre. Apenas utilizando fotografias, “Miúda” agarra-nos do princípio ao fim, conta uma história intensa e vibrante, mas com pouco movimento. Cada elemento é importante e cada frame tem valor: isso nem sempre é fácil de alcançar.

 


[PEDRO MAFAMA] “Jazigo” (3º lugar) / Realização: Follow Creative Studio

Como é que se descreve a música de Pedro Mafama? Numa tentativa menos profunda, diríamos que era uma mistura entre Alfama e a Amadora, ou seja, o urbano tradicional junta-se ao urbano periférico mais moderno e africano. Obviamente que é muito mais do que isto, mas neste videoclipe a Follow Creative Studio tentou exactamente traduzir o que se sente quando o ouvimos. Juntando elementos tradicionalmente lisboetas, mas sempre com um olhar no presente e futuro, é um vídeo com muita cor, que cheira a Verão e a Santos Populares. Os elementos analógicos não tiram vivacidade, muito pela contrário, e encaixam perfeitamente na estética musical de Mafama. Tem uma beleza ímpar que mistura a estética de Wes Anderson com a de João Salaviza, numa sinergia muito bem conseguida.

 


[STEREOSSAURO] “Flor de Maracujá” (4º lugar) / Realização: Bruno Ferreira

Um videoclipe tecnicamente simples que brilha nos pormenores: chama a atenção pelas performances, cor, luz e montagem. O trabalho com o slow motion traduz a profundidade de alguns momentos, que contrastam com a velocidade e intensidade de outros. A utilização da luz natural é um dos pontos mais fortes do vídeo — destaque para a luz na cena da luta na lama.

 


[NERVE] “Chibo” (5º lugar) / Realização: Sebastião Santana

O único tema com vídeo de AUTO-SABOTAGEM tirou a fotografia à mente de NERVE, misturando tensão e confusão num cocktail molotov que foi meticulosamente criado para explodir nas mãos dos “putos estúpidos d’hoje”. O vermelho, a referência ao “demónio” que mora ali na porta em frente à porta em frente à do autor, foi um dos elementos subtis (mas preciosos) na construção do ambiente mais tenebroso do hip hop português em 2018, a par de “CAIXÃO“, videoclipe feito pela mesma equipa para o colectivo COLÓNIA CALÚNIA.

//

Escolhas de: Alexandre Ribeiro, Miguel Santos, Luis Almeida, Miguel Alexandre, Ricardo Farinha, Vasco Completo, Alexandra Oliveira Matos, Moisés Regalado, Manuel Rodrigues, Gonçalo Oliveira e Rui Miguel Abreu.

ReB Team

ReB Team

Facebook.com/rimasebatidas
Twitter: @rimasebatidas
Instagram: @rimasebatidas
SoundCloud.com/rimasebatidas
YouTube.com/c/rimasebatidas
Mixcloud.com/rimasebatidas
ReB Team