A lista do ano de Kamau

[TEXTO] Núria R. Pinto [FOTO] Hélder White

2018 foi também o ano em que Portugal recebeu o veterano Kamau. Acompanhado de uma equipa de luxo com nomes como Drik Barbosa, Rincon Sapiência, Rashid e DJ Nyack, o autor de Nun Ducor Duco – aclamado álbum de estreia que completou 10 anos durante o ano que passou – pisou os palcos do Musicbox e do Sumol Summer Fest para nos garantir que há toda uma geração de ouro em SP, na lírica e nas produções, com muitas aulas para dar e que está mais vibrante do que nunca.

Dois álbuns e dois EPs depois, o ex-membro dos Quinto Andar lançou o mais recente single, “Próximo”, em Setembro passado. “Máximo respeito é o mínimo!” Deixou-nos as suas escolhas para fechar o ano que passou.

 


[MELHOR ARTISTA NACIONAL] Sam The Kid

“Não acompanhei muito a cena do Brasil nesse último ano por estar muito envolvido em projectos pessoais. Então citarei o Sam por idealizar e realizar o álbum Mechelas e fechar essa série brilhantemente com sua faixa solo ‘Sendo Assim’. Saudações, meu mano!”

 


[MELHOR ARTISTA INTERNACIONAL] Jay-Z

“Desde o The Carters e suas participações, fechando com o verso em ‘What’s Free’ do Meek Mill. 15 anos depois de sua suposta aposentadoria, Shawn Carter ainda dá muito trabalho.”

 


[MELHOR PRODUTOR NACIONAL (BR)] DKVPZ

“Vejo muito potencial nessa dupla e gostei muito do que eles apresentaram esse ano. Desde faixas próprias a beats feitos com a intenção de rimar, foram minha melhor descoberta desse ano. Em breve faremos algo, caras!”

 


[MELHOR PRODUTOR INTERNACIONAL] Nottz

“Ele resolveu mostrar uma constância absurda em seu Instagram e a maioria das batidas me agradaram. Saíram algumas faixas em alguns trabalhos e ainda acho que ele vem brabo no próximo ano. Inclusive com Busta Rhymes e seu pessoal.”

 


[MELHOR FAIXA NACIONAL (BR)] “Steez” de Zudizilla e ” Um Dia de Injúria” de Amiri

“Seria injusto citar uma e não citar a outra. Simplesmente as coisas que mais gostei do que ouvi esse ano e espero ouvir mais desses caras ano que vem. E sei que vou.”

 


[MELHOR FAIXA INTERNACIONAL] “713” de The Carters

“Jay-Z e Beyoncé numa das melhores surpresas do ano. Eu ouvi essa música sempre que chegava ao estúdio por um bom tempo… E tem ‘Jay rhyming like Common Sense’, literalmente.”

 


[MELHOR DISCO NACIONAL (BR)] Crise de Rashid

“Pela construção da obra a cada single e pelo resultado alcançado, meu mano Rashid e seu time Foco na Missão fizeram mais uma! Salute!”

 


[MELHOR DISCO INTERNACIONAL] Weather or Not de Evidence

“Disco introspectivo com ótimas batidas e rimas e audiovisuais que muito me agradaram. Não sei se gosto mais do disco ou da história que acompanhou a obra. Mas foi o que mais ouvi esse ano. Menção honrosa para No News is Good News do Phonte também.”

Núria Rito Pinto

Núria Rito Pinto

Hip hop, r&b e brasilidades com tanta moderação quanto vontade. Fundou o clube de fãs da “Corda” do Boss AC, já comprou CDs pela capa e preferia comer douradinhos frios todos os dias do que ficar sem Spotify.
Núria Rito Pinto

Latest posts by Núria Rito Pinto (see all)