Tyler, The Creator no NOS Primavera Sound: flor, sim, mas não de estufa

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [FOTOS] Pedro Mkk

Alguns meses depois do cancelamento do concerto de Tyler, The Creator no Super Bock Super Rock, limpámos as lágrimas e voltámos a sorrir: o rapper e produtor norte-americano acabava de ser confirmado no NOS Primavera Sound 2018. Passados mais alguns meses, chegou o dia e estamos, finalmente, frente-a-frente com um dos mais audazes, influentes, subversivos e criativos artistas que aterraram nos últimos anos no sobrelotado universo hip hop.

Pouco depois da hora estabelecida, Tyler, The Creator pisa pela primeira vez um palco nacional e não desilude. A volatilidade e a capacidade de explosão são duas faces da moeda e Tyler não tem pejo em saltitar de uma para outra como se não existissem dois lados. Levamos com a corrosiva “Deathcamp” num momento e logo de seguida somos presenteados com a calorosa “Boredom” — que tem direito a um dos melhores acompanhamentos por parte da audiência que, de resto, nunca abandona Tyler nem sequer por um segundo.

Quem é que nunca se sentiu aborrecido depois de fazer headbanging? Bem, pouca gente, certamente, mas o Flower Boy nunca se regeu pelas regras. Aliás, o público que esperou por si desde a abertura das portas é uma pequena amostra daquilo que Tyler proclama: a expressão individual, sem filtros, sem limites. E as roupas são parte importante disso, sem dúvida. O colete reflector com “Child of Golf” escrito nas costas não passou despercebido e vai certamente revelar-se tendência nos próximos tempos. É olhar para as contas de Instagram certas e confirmar…

O último disco de Tyler, Flower Boy, lançado em 2017, resulta efusivamente ao vivo e os graves e sub-graves não perdem força no sistema de som do festival. “Who Dat Boy” — que não conta com a presença de A$AP Rocky (actua amanhã no Palco NOS), ao contrário do que sucedeu em Barcelona, “I Ain’t Got Time!” ou “Tamale” causam o caos nas primeiras filas e deixam certamente algumas marcas nos intervenientes dos moshs….

Praticamente sozinho durante todo o concerto — Taco (DJ) e Jasper (o hype man) mantêm-se sempre de lado –, Tyler, The Creator enche o palco de um canto ao outro e não se coíbe de o usar como se se tratasse da sua sala de casa. Dança, canta, de pé ou deitado, tudo entre amigos que o acompanham há bastante tempo; uns na estrada, outros nos “fones”. A viagem termina com “See You Again” e o desejo que se impõe depois disso é só um: que volte depressa (e para um palco ainda maior).